Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde outubro de 2017). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Xavier Marques Academia Brasileira de Letras
Xavier Marques, em Bahia Illustrada
Nome completo Francisco Xavier Ferreira Marques
Nascimento 3 de dezembro de 1861
Itaparica, Bahia Bahia
Morte 30 de outubro de 1942 (80 anos)
Salvador, Bahia Bahia
Nacionalidade brasileiro
Ocupação Jornalista, político, romancista, poeta e ensaísta
Magnum opus O Feiticeiro (1922)

Francisco Xavier Ferreira Marques (Itaparica, 3 de dezembro de 1861Salvador, 30 de outubro de 1942) foi um jornalista, político, romancista, poeta e ensaísta brasileiro.

Foi eleito em 24 de julho de 1919 para a cadeira 28 da Academia Brasileira de Letras.[1]

Índice

BiografiaEditar

Iniciou seus estudos na ilha de Itaparica, mas em pouco tempo se transferiu para Salvador. Matriculou-se no colégio do cônego Francisco Bernardino de Sousa. Em pouco tempo já estaria empenhado no jornalismo, atividade que muito lhe satisfazia. Interrompeu, porém, quando de seu segundo mandato legislativo. O primeiro foi de deputado estadual, de 1915 a 1921; e o segundo de deputado federal, de 1921 a 1924.

Outra paixão de sua vida foi a literatura. O romance de estreia foi Boto e companhia (1897). A este seguiu-se a novela "Jana e Joel" (1899), aclamada pela crítica como sua obra mais interessante.

Assim como a poética de Arthur de Salles, seu amigo, a ficção de Xavier Marques tem grande influência dos temas praieiros, e é das mais representativas do regionalismo brasileiro.

Foi premiado pela Academia Brasileira de Letras, em 1910, pelo romance Sargento Pedro.

ObrasEditar

  • Temas e variações, poesia, 1884
  • Uma família baiana, romance, 1888
  • Insulares, poesia, 1896
  • Boto e companhia, romance, 1897
  • Jana e Joel, romance, 1899
  • Pindorama, romance, 1900
  • Holocausto, romance, 1900
  • Praieiros, edição conjunta das novelas Maria Rosa e O arpoador e mais A noiva do golfinho. 1902
  • O sargento Pedro, romance, 1910
  • Vida de Castro Alves, biografia, 1911
  • A arte de escrever, estilística, 1913
  • A boa madrasta, romance, 1919
  • A cidade encantada, contos, 1919
  • O feiticeiro, romance, 1922
  • Ensaio histórico sobre a Independência, 1924
  • As voltas da estrada, romance, 1930
  • Letras acadêmicas, ensaios, 1933
  • Cultura da língua nacional, filologia, 1933
  • Terras mortas, novela, 1936
  • Ensaios, 2 volumes, 1944
  • Evolução da crítica literária no Brasil e outros estudos, 1944

Referências

Ligações externasEditar