¡Ah qué Kiko!

(Redirecionado de ¡Ah que Kiko!)
¡Ah qué Kiko!
Ah que Kiko! / Kiko e sua Turma (BR)
Informação geral
Formato série
Duração 21 min. aprox.
Criador(es) Carlos Villagrán
País de origem  México
 Venezuela
Idioma original espanhol
Produção
Produtor(es) Carlos Villagrán
Elenco Carlos Villagrán
Sergio "El Comanche" Ramos
Ramón Valdés
Beatriz Olea
e grande elenco
Tema de abertura "¡Ah qué Kiko!"
Tema de encerramento Várias canções. Na maioria das vezes, foi a música Surfin' Bird do grupo americano The Trashmen.
Exibição
Emissora original México TV Azteca

Brasil Rede Bandeirantes

Transmissão original 19871988
Temporadas 2
Episódios 24 (nos 6 DVDs lançados)."Kiko e Sua Turma" possui 2 episódios que não estão nos 6 DVDs originais. Há também um episódio ausente onde Seu Brancelha chega a venda. Acredita-se haver aproximadamente 29 episódios.
Cronologia
Federrico
Programas relacionados Federrico
Kiko Botones
Chaves
Chaves em Desenho Animado
Chapolin Colorado

¡Ah qué Kiko! (Kiko e Sua Turma, no Brasil em DVD) é uma série de televisão mexicana-venezuelana criada e estrelada por Carlos Villagrán, exibida originalmente entre 1987[1][2] e 1988[3] pela emissora Telerey e posteriormente pela Imevisión (atual TV Azteca) como spin-off de El Chavo del Ocho. Apesar da baixa audiência na época, o programa foi reprisado em diversos países da América do Sul. No Brasil, a série foi lançada em DVD em três volumes em 2012[carece de fontes?] e exibida pela Rede Bandeirantes, mas o SBT passou a exibir o programa devido o programa ter como protagonista principal o deuteragonista do Chaves, ou seja, o Quico.[4][5]

EnredoEditar

Kiko é um garoto de 9 anos que trabalha na venda "A Surpresa" e costuma fazer as entregas no seu carrinho com buzina, o Pantomas'. O responsável pela venda é o Seu Madruga (posteriormente substituído pelo Seu Brancelha, devido a problemas de saúde de Ramón Valdés). Os melhores amigos de Kiko são Totó, um menino esperto que sempre tenta enganar Kiko para que ele lhe dê coisas da venda, e a ingênua Nena, sobrinha da bela Pamela que sempre compra fiado, se aproveitando da paixonite de Seu Madruga ou Seu Brancelha, enquanto Nena é disputada entre Kiko e Totó. Na série, uma personagem recorrente era a Dona Socorrinho, uma fofoqueira que sempre ia a venda para contar seus "comentários".

ElencoEditar

DublagemEditar

Outras Vozes: Carlos Silveira, Eleonora Prado, Gessy Fonseca, Gileno Santoro, Rosa Maria Baroli, Guilherme Lopes, Arlete Montenegro.

Estúdio: Uniarthe, São Paulo Direção: Nelson Machado Filho

ParticipaçõesEditar

  • Angélica Cordero
  • Olga Yolanda Martinez
  • Amada Obregón
  • Luis Alcaraz
  • Roger Oropeza
  • Mari Paz Mata
  • Lupita Adriana
  • David Aldama
  • Rebeca Aramoni

DVD's no BrasilEditar

A série foi lançada em 3 DVD's no Brasil pela Amazonas Filmes:

  • Kiko e Sua Turma (Vol 1)
Nome
1 O Bom Ladrão
2 A Lanterna Mágica
3 Os Avós do Seu Brancelha
4 O Robô
  • Kiko e Sua Turma (Vol 2)
Nome
1 O Assalto
2 O Bebê
3 Ajudando a Cinderela
4 O Aniversário do Kiko
  • Kiko e Sua Turma (Vol 3)
Nome
1 O Anjinho
2 O Aparelho Desintegrador
3 Os Ciganos
4 Seu Brancelha Ciumento

TransmissãoEditar

País Emissora Ano(s)
  Mexico Imevisión (atual TV Azteca) 1987-1988
  Argentina América TV 1995
  Bolívia RTP (Canal 4)
  Brasil Rede Bandeirantes
  Chile TVN 1996-1997
  Colômbia Inravisión 1991
  Perú Frecuencia Latina 1989
  Venezuela Televen 1990
Venevisión 1992

Referências

  1. «Carlos Villagrán relembra episódio tragicômico com Ramón Valdés no 'The Noite'». Caras. Consultado em 15 de fevereiro de 2020 
  2. «30 anos sem Seu Madruga: conheça Ramón Valdés além de 'Chaves'». Estadão. 9 de agosto de 2018. Consultado em 15 de fevereiro de 2020 
  3. Rangel, Eduardo (4 de abril de 2019). «Última cena de Seu Madruga pode ter sido premonição de sua morte». Natelinha. Consultado em 15 de fevereiro de 2020 
  4. «Em homenagem, Quico lamenta a distância de Chaves». VEJA. 4 de dezembro de 2014. Consultado em 15 de fevereiro de 2020 
  5. «Morre Rubén Aguirre, o Professor Girafales de 'Chaves', aos 82 anos». VEJA. 17 de junho de 2016. Consultado em 15 de fevereiro de 2020 

Ligações externasEditar