O .50-70 Government (também chamado de .50-70 Musket e .50 Government[1] e coloquialmente muito conhecido como .50-70 Springfield), é um cartucho de fogo central de pólvora negra, adotado em 1866 para o rifle Springfield Model 1866 "Trapdoor".

.50-70 Government

Tipo Rifle
Local de origem  Estados Unidos
História operacional
Em serviço 1866-1873
Utilizadores  Estados Unidos
Histórico de produção
Data de criação 1866
Fabricante Arsenal Springfield e outros
Especificações
Cartucho tipo reto com aro
Diâmetro do Projétil ,515 in (13,1 mm)
Diâmetro do pescoço ,535 in (13,6 mm)
Diâmetro da base ,565 in (14,4 mm)
Diâmetro do aro ,660 in (16,8 mm)
Espessura do aro ,065 in (1,65 mm)
Comprimento do estojo 1,75 in (44,5 mm)
Comprimento total 2,25 in (57,2 mm)
Espoleta Large rifle
Desempenho balístico
Projétil Peso / Tipo Velocidade Energia
425 gr (28 g) lead SP 441 m/s 2.683 J
550 gr (36 g) lead FN 419 m/s 3.130 J
400 gr (26 g) SP 564 m/s 4.118 J
Comprimento do tubo de teste: 28 in
Referências: Accurate Powder

Características editar

Derivado do .50-60-400 Joslyn, o cartucho foi desenvolvido após os resultados insatisfatórios do cartucho rimfire .58 para o rifle Springfield Model 1865 Trapdoor.

O cartucho .50-70 Government se tornou o cartucho oficial das forças armadas dos EUA até ser substituído pelo .45-70 Government em 1873. O cartucho .50-70 tinha um limite de pressão de 22.500 PSI.[2]

A designação oficial desse cartucho na época do seu lançamento era "US center-fire metallic cartridge", e a designação comercial .50-70-450, com o seguinte significado:

Munição no calibre .50-70 Government com uma carga de pólvora negra, está atualmente disponível comercialmente na Buffalo Bore. Os recarregadores experimentaram uma variedade de pesos de bala de 425 a 600 grãos (39 g) de peso. Além disso, a Marinha dos Estados Unidos contratou a Remington para produzir vários milhares de carabinas Rolling Block com câmara para uma versão de carga reduzida desse cartucho, que foi oficialmente produzido para uso apenas em carabinas. Este cartucho de carga reduzida usava um .50-70 encurtado com uma bala de 430 grãos (28 g) e 45 grãos (2,9 g) de pólvora negra.

A Marinha dos Estados Unidos também comprou rifles Remington Rolling Block com câmara para o cartucho de tamanho normal .50-70. O Exército dos EUA também encomendou rifles Rolling Block e carabinas no calibre .50-70 e também fez alguns Rolling Blocks em sua instalação do Arsenal Springfield neste calibre.[4] O Exército dos EUA também tinha um grande suprimento de carabinas Sharps disparadas por percussão no final da Guerra Civil e fez com que a empresa Sharps Rifle convertesse cerca de 31.000 delas para o calibre .50-70 para uso na cavalaria. Enquanto isso, o exército, que havia saído da Guerra Civil com um estoque de quase um milhão de mosquetes por antecarga de percussão, converteu os mosquetes Springfield Model 1863 e o Model 1864 em munição de cartucho metálico usando o método de conversão Allin ("trapdoor" - "alçapão"), bem como "rifles de cadete". A primeira das conversões .50-70 foi o Springfield Model 1866. Novas versões melhoradas foram feitas e usadas pelo exército em 1873. Depois de 1873, com o advento do cartucho .45-70, o exército declarou o .50-70 como excedente e enquanto alguns rifles em .50-70 foram entregues a batedores indígenas, o grosso foi simplesmente vendido como excedente. Na Marinha dos Estados Unidos, entretanto, o cartucho 50-70 e as armas associadas a ele permaneceram em uso até o final da década de 1880.

Buffalo Bill Cody usou um Springfield Model 1866 no calibre .50-70 enquanto caçava búfalos para alimentar os trabalhadores da ferrovia Kansas Pacific (posteriormente Union Pacific Eastern Division). O General G. A. Custer era conhecido por ter e usar um Rolling Block "esporterizado"[5] no calibre .50-70 e acreditava-se que o tinha com ele na Batalha de Little Bighorn.

Como o general Sheridan do exército havia embarcado em um plano para eliminar o bisão durante o curso das Guerras Indígenas Americanas, os rifles .50-70 também foram emitidos, ou comprados, por caçadores de búfalos para uso na eliminação dos vastos rebanhos de Bisões. Sharps começou a fabricar rifles esporterizados[5] em .50-70 (e depois .50-90, .50-110, etc.) e com miras aprimoradas para tiros de longo alcance para uso pelos caçadores de búfalos.

Em 1867, o cartucho .50-70 usado no Springfield Model 1866 do Exército desempenhou um papel fundamental em conter uma força de ataque de 300-1000 índios Lakota Sioux durante a Wagon Box Fight.[6]

Réplicas funcionais modernas de rifles históricos calibre .50-70 foram importadas para os Estados Unidos por empresas como Davide Pedersoli e A. Uberti, Srl. (uma subsidiária da Beretta). O calibre .50-70 ainda tem algum uso e popularidade por parte de esportistas e atiradores de "Cowboy Action Shooting".

Ver também editar

Referências

  1. Barnes, Frank C., e Amber, John. Cartridges of the World (Northfield, IL: DBI Books, 1972), p.115, ".50-70 Musket (.50 Gov't)"
  2. .50-70 Govt data from Accurate Powder[ligação inativa]
  3. Col. J.G Benton, "Springfield Breech Loading Rifle Musket, Model of 1868", United States Army, 1868
  4. Remington Rolling Block Military Rifles, by George Layman
  5. a b «Esporterizar». rossi - Sinposc. doczz.com.br. Consultado em 25 de agosto de 2020. Anglicismo; arte de converter carabinas e fuzis militares em armas esportivas, alterando-se coronha, sistema de pontaria, instalando-se de miras ópticas e ajustando-se o mecanismo de gatilho; em inglês "Sporterize". 
  6. Keenan, Jerry. The Wagon Box Fight, Boulder, CO: Lightning Tree Press, 1990, p. 22

Ligações externas editar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre .50-70 Government