13 Ghosts

(Redirecionado de 13 Fantasmas (1960))
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Thirteen Ghosts.

13 Ghosts é um filme de terror estadunidense de 1960, dirigido e produzido por William Castle [1] para a Columbia Pictures. Participa do elenco a atriz Margaret Hamilton que interpreta uma governanta vidente, de quem um dos personagens (interpretado pelo ator-mirim Charles Herbert) acredita ser uma bruxa. O roteiro deixa em aberto essa possibilidade, fazendo uma referência a um dos papeis mais conhecidos de Hamilton, a Bruxa Malvada do Oeste do filme de 1939 The Wizard of Oz. A trama é sobre fantasmas que assombram uma antiga mansão, também de interesse de trapaceiros, o que se tornou uma fórmula conhecida por ser utilizada em várias outras produções, inclusive no desenho animado do Scooby Doo, lançado alguns anos depois.

13 Ghosts
 Estados Unidos
1960 •  pb •  85 min 
Direção William Castle
Produção William Castle
Roteiro Robb White
Elenco Charles Herbert
Jo Morrow
Rosemary DeCamp
Gênero terror
Música Von Dexter
Idioma língua inglesa

ElencoEditar

SinopseEditar

O ocultista dado como morto durante dez anos, Dr. Plato Zorba, vivia numa mansão retirada até que morreu de repente. O jovem advogado dele, Benjamin Rush, comunica ao herdeiro, o distraído professor Cyrus Zorba, sobre o testamento. Cyrus está com problemas financeiros e acabara de ficar sem todo a mobília, recolhida pelos credores. Quando sabe que herdara a mansão, ele e a família se mudam de imediato para lá. Mas não demoram a descobrir que a casa é assombrada por doze fantasmas, onze capturados pelo professor Plato ao redor do mundo e o décimo-segundo é o próprio. E que logo haverá um assassinato que fará surgir um décimo-terceiro fantasma.

Illusion-OEditar

Como muitas de suas mais famosas produções, William Castle se valeu de um artifício para promover o filme. Desta feita foi dada uma "escolha" para a audiência: aos "corajosos" que iriam assistir ao filme e quisessem ver os fantasmas e aos mais temerosos que preferissem não ver aos fantasmas. A escolha era dada por usar ou não um óculos especial, supostamente "deixado pelo Dr. Zorba".

Nos cinemas, a maior parte das cenas eram em preto-e-branco, mas, quando surgiam os fantasmas, era utilizado um processo apelidado de Illusion-O: as cenas com os atores e cenários — tudo exceto os fantasmas — recebia a aplicação de um filtro azul, enquanto aos fantasmas eram aplicados um filtro vermelho sobreposto às cenas. O público recebia óculos com lentes com celofane vermelho ou azul. Diferentemente dos óculos "3-D" que tinham uma lente vermelha e outra ciano ou azul, as lentes Illusion-O precisavam que as pessoas olhassem por apenas uma lente colorida com ambos os olhos. Escolhendo as lentes vermelhas, o filtro intensificava as imagens dos fantasmas, enquanto as azuis as removia. Apesar de Castle afirmar o contrário, nenhum caso de ataque cardíaco ou choque nervoso seria evitado pelo processo Illusion-O pois, apesar do filtro azul, na verdade os fantasmas eram visíveis sem as lentes, sem necessidade do filtro vermelho.

Devido aos fantasmas poderem ser vistos sem as lentes, o filme foi transmitido durante anos pela televisão norte-americana sem a necessidade de uso de lentes para se ver os fantasmas. As edições em DVD variam em relação a preservação do efeito Illusion-O, com as mais recentes incluindo versões com e sem fantasmas.

RefilmagemEditar

Em 2001 houve a refilmagem com o mesmo título, dirigido por Steve Beck. Como o filme original, houve a distribuição da Columbia Pictures (exceto EUA e Canadá, que ficaram a cargo da Warner Bros. Pictures)[2]

Referências

  1. Joe Jordan (30 de junho de 2014). Showmanship: The Cinema of William Castle. [S.l.]: BearManor Media. pp. 231–. GGKEY:7X0U2FR3T69 
  2. . Castle, William (1976). Step right up!: ... I'm gonna scare the pants off America. New York City, New York, EUA: G. P. Putnam's Sons. ISBN 9780399114700. OCLC 1974189. Consultado em 30 de março de 2012 

Ligações externasEditar