52.º Batalhão de Infantaria de Selva

52.º Batalhão de Infantaria de Selva
52ºBIS.png
Exercito em marabá pa - panoramio.jpg
Rotatória de entrada do batalhão, com uma estátua de uma onça pintada, um dos símbolos da unidade.
Estado Pará Pará
Subordinação 23.ª Brigada de Infantaria de Selva
Sigla 52.º BIS
Criação 31 de janeiro de 1973 (47 anos)
Comando
Comandante Ten. cel. Bastos
Sede
Endereço Rodovia Transamazônica, km 8


O 52.º Batalhão de Infantaria de Selva (52.º BIS) é uma unidade do exército brasileiro, localizado no município de Marabá, no sudeste do Pará. É subordinada à 23.ª Brigada de Infantaria de Selva, também sediada em Marabá. O 52.º BIS possui a denominação histórica de Batalhão Capitão-Mor Francisco Caldeira Castelo Branco.

É um batalhão de 1ª linha, de tipo III, sendo constituído por uma Companhia de Comando e Apoio, e três Companhias de Infantaria de Selva, além do Núcleo Preparatório de Oficiais da Reserva (NPOR).

Está situado entre aos núcleos da Cidade Jardim e da Nova Marabá, na rodovia Transamazônica, a cerca de 9 km do centro histórico da cidade de Marabá. Está assentado em um grande conjunto arquitetônico, constituído por pavilhões de linhas arrojadas, onde destacam-se o pavilhão de comando, os pavilhões das companhias de fuzileiros, da Companhia de Comando e Apoio, da Base Administrativa e do Pelotão de Saúde[1]. O seu atual comandante é o cel. Roberval de Almeida .[2]

HistóricoEditar

No dia 31 de janeiro de 1973, chegava a Marabá, por via aérea, um pelotão da 3ª Companhia do 2.º Batalhão de Infantaria de Selva, sediado na cidade de Belém, caracterizando, efetivamente, a criação do 52.º BIS. Em junho do mesmo ano, chegaram a Marabá os outros dois pelotões.

Assim, em portaria ministerial reservada nº 022, de 10 julho de 1973, foi a 3ª Cia. do 2.º BIS transformada em 1ª Cia. do 52.º BIS. Nesse período, tanto a incorporação do ano de 1974, destinada à 1ª/52.º BIS, quanto a de 1975, já para o 52.º BIS, foram realizadas com jovens recrutas da região de Marabá

Através da portaria nº 205 de 4 de abril de 2005, o comandante do Exército concedeu a denominação histórica "Batalhão Capitão-Mor Francisco Caldeira Castelo Branco", o estandarte e o distintivo históricos. Na relembrança do capitão-mor Francisco Caldeira Castelo Branco, fundador, em 1616, do Forte do Presépio, a primeira fortificação militar da Amazônia e que deu origem à cidade de Belém, pelo que este militar recebeu o epíteto de "descobridor e primeiro conquistador da Amazônia".[3]

Características e finalidadeEditar

 
Simulação de artilharia no 52.º BIS, em 2008.

O 52.º BIS é uma unidade de selva, para preparação diuturna de seus quadros e na formação de reservistas aptos a atuar no ambiente de selva. Também executa ações subsidiárias e colabora com os órgãos de segurança pública na pacificação da área conhecida como "Bico do Papagaio", participando de operações de desarmamento, por meio do estabelecimento de postos de bloqueio e controle de estradas e, subsidiariamente, na assistência às populações carentes.

A área de abrangência do 52.º BIS possui empreendimentos de alta sensibilidade econômica, como o complexo mineral da Serra dos Carajás, a Usina Hidrelétrica de Tucuruí e a Estrada de Ferro Carajás.

Subunidades subordinadasEditar

  • Base administrativa
  • Companhia de Comando e Apoio
  • 1ª Companhia de Infantaria de Selva - Pioneira
  • 2ª Companhia de Infantaria de Selva - Soberana
  • 3ª Companhia de Infantaria de Selva - Guerreira
  • Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva (a partir de 2017)

Referências

  1. «Dados do Batalhão». Exército Brasileiro. 23 de fevereiro de 2014. Consultado em 23 de fevereiro de 2014 
  2. «O Comandante atual». Comando do 52 BIS. Consultado em 23 de fevereiro de 2014 
  3. «Histórico». Comando do 52 BIS. 23 Fev 2014. Consultado em 23 de fevereiro de 2014 

Ligações externasEditar