Aalsterse vlaai

Aalsterse vla (também escrito como Aalsterse vlaai) é uma torta tradicional belga, originária da região de Aalst.[1][2]

Ela é feita com base em um pudim de pão cozido a partir de spekulaas e ontbijtkoek. A receita também é conhecida como "vlaai do Flandres Oriental".[3] Ao contrário de outras tortas típicas da Bélgica, a versão de Aalst não usa nenhum tipo de fruta em sua composição.[4]

PreparaçãoEditar

Existem diferentes receitas para a preparação da Aalsterse vla. A receita original é feita a partir de mastel, um tipo de pão tradicional belga. Mistura-se o mastel com peperkoek, macis, xarope, açúcar cristal e mascavo e ovos, formando um pudim de pão que é então enformado e assado.[5]

Outras receitas usam spekulaas e temperos como noz-moscada e cravo.[6] A receita é tão tradicional que há a venda de assadeiras feitas especialmente para a sua preparação em mercados de rua de Aalst.[7][8]

ConsumoEditar

A torta é popular como uma sobremesa natalina. A receita pode ser comida em fatias como uma torta normal, ou como cobertura de pão.[9][10]

A Aalsterse vla também é utilizada como recheio para waffles e sanduíches.[11]

HistóriaEditar

Não se sabe precisamente a data de origem da receita, mas suas menções primordiais datam do século XVI. A pintura Provérbios Neerlandeses de Pieter Bruegel, datada de 1559, utiliza a imagem das tortas para representar um dos 85 provérbios retratados: "ter o telhado cheio de tortas".[12]

No passado, a receita era feita por donas de casa, como uma forma de aproveitar restos de comida. Isso acontecia especialmente durante as festividades de natal. Famílias que não possuiam fornos em suas casas levavam a massa crua da receita em fôrmas à padarias, onde a torta era assada.[5][8][13] Depois de um tempo, padeiros começaram a fazer suas próprias versões da receita em assadeiras de pedra, que eram retornadas aos estabelecimentos após o cliente e sua família consumirem toda a torta.[5][7]

ReferênciasEditar

  1. «Aalsterse vlaai». www.streekproduct.be (em neerlandês). Consultado em 21 de maio de 2020 
  2. Huysentruyt, Piet. «Aalsterse vlaai». VTM Koken 
  3. Lekker, Libelle. «Oost-Vlaamse vlaai». Libelle Lekker (em neerlandês). Consultado em 21 de maio de 2020 
  4. Arnoudt, Rik (10 de julho de 2010). «Aalsterse vlaai is iets om fier op te zijn». vrtnws.be (em neerlandês). VRT NWS. Consultado em 21 de maio de 2020 
  5. a b c «Aalsterse vlaaien». Dagelijkse Kost (em neerlandês). Consultado em 21 de maio de 2020 
  6. «Recept voor Oost-Vlaamse vlaai». www.colruyt.be. Consultado em 21 de maio de 2020 
  7. a b «Aalsterse vlaaien». Stad Aalst. Consultado em 21 de maio de 2020 
  8. a b Lievens, Rutger (11 de setembro de 2015). «Bak weer Aalsterse vlaaien». HLN. HLN. Consultado em 21 de maio de 2020 
  9. «Torentje met Aalsterse Vlaai». www.streekproduct.be (em neerlandês). Consultado em 21 de maio de 2020 
  10. «Aalsterse vlaai | Smulweb.nl». Smulweb. Consultado em 21 de maio de 2020 
  11. «Wafels met Aalsterse vlaai». www.streekproduct.be (em neerlandês). Consultado em 21 de maio de 2020 
  12. Lievens, Rutges (14 de maio de 2019). «Pieter Bruegel de Oude schilderde Aalsterse vlaai al in 1559». HLN.be. Consultado em 21 de maio de 2020 
  13. Schauvliege, Joke. «Een beleid voor immaterieel cultureel erfgoed in Vlaanderen» (PDF). Departement Cultuur, Jeugd en Media. Kunsten en Erfgoed