Abrir menu principal

Abdalá ibne Ixaque ibne Maomé ibne Gania, melhor conhecido como Abdalá ibne Gania (em árabe: عبد الله بن غانية‎; transl.: Abdallah ibn Ghaniya; m. 1203) foi membro dos Banu Gania que lutou contra o Califado Almóada no final do século XII e começo do XIII. Em ca. 1187, capturou a fortaleza de Maiorca nas ilhas Baleares e governou sobre ela até sua derrota e morte nas mãos dos almóadas em 1203.

VidaEditar

Abadalá era filho de emir Ixaque ibne Maomé (r. 1155–1183) e irmão de Ali e Iáia, que lideraram uma insurgência contra o Califado Almóada no Magrebe que durou 50 anos.[1] Ele acompanhou seu irmão Ali quando o último partiu das Baleares e invadiu o norte da África, e após a captura de Bugia em 12 de novembro de 1184 ou 22 de maio de 1185, ficou ali com Iáia até a contraofensiva almóada forçá-los a fugir aproximados 7 meses depois.[2][3][4]

Após um golpe pró-almóada nas Baleares em 1185, no qual o comandante Ali ibne Reverter reinstalou Maomé ibne Ixaque como emir, Abdalá foi enviado por seu irmão Ali para retomar as ilhas e partiu com uma frota de Trípoli. Após parar na Sicília, onde recebeu reforços do rei Guilherme II (r. 1166–1189), fez seu caminho para Maiorca e se reuniu com as tropas lealistas chefiadas por Naja, que havia resistido contra ibne Reverter e Maomé. A maioria do campesinato apoiou Abdalá e ele foi rapidamente capaz de assegurar controle de Maiorca e as ilhas circundantes.[5][6][7]

Ao completar a conquista de Maiorca, Abdalá permaneceu no comando da ilha, servindo lá como emir em nome de seu irmão Ali. Durante seu governo, manteve laços amistosos com o rei Pedro II de Aragão (r. 1196–1213) e assegurou uma paz e tratado comercial com a República de Gênova em 1188, permitindo a última estabelecer uma igreja e hotel para mercadores estrangeiros em Maiorca. Também recomeçou atividades de pilhagem, sobretudo contra Provença e os domínios almóadas no Alandalus Oriental,[8][9][10] e continuou auxiliando seus irmãos no Magrebe, enviando dois navios para assistir Iáia quando o último sitiou Trípoli na década de 1190.[11][12]

Por todo seu reinado em Maiorca, Abdalá foi forçado a conter os almóadas, que fizeram repetidas tentativas de tomar as ilhas Baleares. Ibiza foi capturada pelos almóadas em 1187 e Menorca também caiu em cada inespecífica. No inverno de 1200, Abdalá tentou readquirir Ibiza, mas foi compelido a se retirar em fracasso; no ano seguinte, teve mais sucesso contra Menorca, tomando-a após um prolongado cerco que levou aos habitantes a cometerem atos de canibalismo.[11][12]

O emirado de Abdalá terminou em 1203, quando os almóadas lançaram uma grande expedição às Baleares contra ele. As forças almóadas, comandadas por Abul Ulá e Abuçaíde Otomão ibne Abu Hafes e compostas por 15 000 infantes, 700 arqueiros e 1 200 cavaleiros e várias armas de cercos, encontrou a frota de Abdalá em Menorca e destruiu-a, depois do que controlada Menor e avançaram para bloquear Maiorca. Embora a capital foi capaz de resistir por 2 meses, os defensores e Abdalá foram mortos. As ilhas se transformaram em domínios almóadas, permanecendo em suas mãos até serem conquistadas por Jaime I (r. 1213–1276) em 1229.[13][14][15]

Referências

  1. Marçais 1991, p. 1007-08.
  2. Baadj 2015, p. 76 ff..
  3. Bel 1903, p. 41, 53.
  4. Saidi 2010, p. 51.
  5. Baadj 2015, p. 83–85.
  6. Bel 1903, p. 68–72.
  7. Kennedy 2014, p. 239.
  8. Baadj 2015, p. 160.
  9. Bel 1903, p. 117–18.
  10. Kennedy 1996, p. 250.
  11. a b Baadj 2015, p. 155.
  12. a b Bel 1903, p. 96.
  13. Baadj 2015, p. 161.
  14. Bel 1903, p. 119–20.
  15. Kennedy 1996, p. 250–51.

BibliografiaEditar

  • Baadj, Amar S. (2015). Saladin, the Almohads and the Banu Ghaniya. Leida: Brill. ISBN 978-90-04-29620-6 
  • Bel, Alfred (1903). Les Benou Ghanya: Derniers Représentants de l'Empire Almoravide et Leur Lutte Contre l'Empire Almohade. Paris: Ernest Leroux 
  • Kennedy, Hugh (2014). Muslim Spain and Portugal: A Political History of al-Andalus. Londres e Nova Iorque: Routledge 
  • Marçais, G. (1991). «Banu Ghaniya». The Encyclopedia of Islam, New Edition, Volume II: C–G. Leida e Nova Iorque: BRILL. ISBN 90-04-07026-5 
  • Saidi, O. (2010). «2 - A unificação do Magreb sob os Almóadas». In: Niane, Djibril Tamsir. História Geral da África IV - África do Século XII ao XVI. Paris; São Carlos: UNESCO; Universidade de São Carlos