Afonso Froilaz

Afonso Froilaz foi rei de Leão e da Galiza durante um breve lapso de tempo, entre 925 e 926;[1][2][3] tão desafortunado foi que a História nem sequer o regista com um ordinal para acompanhar o nome.

Afonso Froilaz
Nascimento 911
Morte 933
Ruiforco de Torío
Sepultamento Basílica de Santo Isidoro
Cidadania Reino de Leão
Progenitores
Ocupação governante
Título King of León

Filho e sucessor natural de Fruela II, foi desapossado da coroa pelos filhos de Ordonho II, Sancho Ordonhes e Afonso Ordonhes, poucos meses depois de ascender ao trono, que pegaram em armas contra ele, por se julgarem com mais direito à coroa de Leão (uma vez que o trono lhes havia sido usurpado pelo pai de Afonso, o rei Fruela, irmão de Ordonho).[3]

Vencido, refugiou-se nas Astúrias, e depois na Galiza onde manteve as suas pretensões ao trono. Em 932 foi feito prisioneiro, junto com os seus irmãos, bem como com o próprio rei Afonso IV de Leão, por Ramiro II, o qual ordena que sejam todos cegados e encarcerados em mosteiros.[1] Aí morreu uns anos mais tarde; diz-se que o futuro Ordonho IV era seu filho, mas não há provas que corroborem que Afonso tenha tido descendentes.[1]

Referências

  1. a b c García, Elida García; Historia, Universidad de Oviedo Facultad de Geografía e (1998). Scripta: estudios en homenaje a Elida García García (em espanhol). Oviedo: Universidad de Oviedo. p. 100 
  2. Graça, J. Da; Graça, John Da (2017). Heads of State and Government (em inglês). Berlim: Springer. p. 820 
  3. a b Cano, Víctor Manuel Aguirre (2018). La construcción de la realeza astur. Poder, territorio y comunicación en la Alta Edad Media (em espanhol). Santander: Ed. Universidad de Cantabria. p. 169 

Precedido por
Sancho Ordonhes
 
Rei de Leão

925-926
(contestado)
Sucedido por
Afonso IV
Precedido por
Fruela II
 
Rei da Galiza

925-926
(contestado)
Sucedido por
Sancho Ordonhes