Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Alcatrão da Madeira

O alcatrão é uma mistura de substâncias betuminosas, espessa, escura e de forte odor, que se obtém da destilação de certas matérias orgânicas, principalmente de carvão, ossos e de algumas madeiras resinosas. Destes tipos, o alcatrão de hulha é o produto mais conhecido e comercializado, geralmente por siderúrgicas.

À semelhança de um derivado do carvão do qual retirou o seu nome, o alcatrão é uma substância que se encontra presente no fumo do tabaco. O alcatrão é um resíduo negro e viscoso composto por centenas de substâncias químicas, algumas das quais são consideradas carcinogênicas ou classificadas como resíduos tóxicos. Entre as substâncias que se podem encontrar no alcatrão do tabaco, incluem-se hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, aminas aromáticas e compostos inorgânicos.[1]

Numa primeira instância, o alcatrão provoca a obstrução dos pulmões e perturbações respiratórias e, assim, à semelhança de outros componentes do cigarro, é responsável pela sua toxicidade, provocando a dependência do tabaco e várias doenças associadas ao seu consumo, como por exemplo, câncer de pulmão e enfisema pulmonar. Em Portugal, a palavra alcatrão também é usada como sinónimo de asfalto.

Na clássica experiência em laboratório da origem da vida, por Stanley L. Miller e Harold C. Urey, foi produzido alcatrão como o produto mais abundante (85% da produção).[2]

Ver tambémEditar

Referências

  1. http://brasilescola.uol.com.br/quimica/alcatrao.htm
  2. Mark Eastman, M.D. e Chuck Missler (2010). «The Origin of Life and The Suppression of Truth». Robert Shapiro, Origins-A Skeptics Guide to the Creation of Life on Earth,(1986),pg. 105. Consultado em 29 de maio de 2016