Aleixo Belov

Velejador e escritor brasileiro

Aleixo Belov, nascido Alexey Dimitrievitch Belov[1] (em ucraniano: Олексíй Дмитрович Бело́в; Merefa, Ucrânia, 9 de janeiro de 1943), é um empresário, engenheiro, navegador e escritor ucraniano radicado no estado da Bahia, Brasil.

Aleixo Belov
Nome completo Alexey Dimitrievitch Belov
(Олексíй Дмитрович Бело́в)
Nascimento 9 de janeiro de 1943 (79 anos)
Merefa, Ucrânia
Residência Bahia, Brasil
Progenitores Mãe: Zinaida Belov
(Зинаида Михайловна Бело́ва(Слатина))
Pai: Dimitri Belov
(Дмитрий Алексеевич Бело́в)
Cônjuge Lygia
Filho(a)(s) Marúcia, Mariana, Lara, Alana e Alexey
Ocupação empresário, navegador e escritor
Principais trabalhos A Volta Ao Mundo Em Solitário
Página oficial
aleixobelov.com.br

BiografiaEditar

Nasceu na cidade de Merefa, na Ucrânia durante a ocupação alemã. Ainda pequeno imigrou junto aos pais, o agrônomo Dimitri e a médica Zinaida.[2][3] Primeiramente para a Polônia, depois Alemanha e Itália, se fixando no Brasil quando tinha 6 anos de idade.[1] É casado com a advogada Lygia, e pai de cinco filhos (Marúcia, Mariana, Lara, Alana e Alexey).[4]

“Quando entramos no Brasil, o pessoal da imigração disse que não existia Alexey por aqui e botaram meu nome como Aleixo. Era a mesma coisa de querer um presidente honesto e escolherem o Ernesto (Geisel)”. — disse sobre seu nome aportuguesado.[4]

ViagensEditar

Aleixo recebeu o diploma da Marinha do Brasil o reconhecendo como o primeiro navegador a dar uma volta ao mundo em solitário com veleiro de bandeira brasileira, o veleiro "Três Marias".[5][6] A viagem é relatada minuciosamente em seu primeiro livro A Volta Ao Mundo Em Solitário lançado em 1981 pela Editora Nórdica, de Salvador.

Em outubro de 2011, o navegador completou a sua 4ª volta ao mundo,[7] desta vez a bordo do veleiro-escola "Fraternidade", veleiro com 21,50 metros de comprimento especialmente construído pelo empresário para esta viagem, tendo o casco constituído de aço carbono e o convés de aço inox.[7] Nesta viagem, Aleixo foi acompanhado por jovens alunos biólogos, engenheiros e cineastas, tendo zarpado de Salvador em janeiro de 2010.[8]

Em março de 2014, o velejador foi recebido pela Marinha do Brasil ao regressar de viagem à Antártica onde vivenciou a experiência de comandar uma tripulação de nove pessoas por um trajeto de 8,5 milhas, a bordo do Fraternidade.[9]

"A travessia pela passagem de Drake foi um dos momentos mais difíceis. A neblina não me deixava ver 50 metros além da proa. E é bom lembrar que eu navegava entre icebergs", contou. A região descrita pelo velejador tem ventos de cerca de 150 km/h e ondas de até 10 metros.[9]

Referências

  1. a b «O Velho E O Mar: de volta ao mar». Salvador, Bahia. Jornal A Tarde - Revista Muito (09): 29. 1 de junho de 2008. Consultado em 13 de maio de 2012 [ligação inativa]
  2. «Aleixo Belov – O navegador solitário – Entrevista – Parte 1». Nunca se sabe. 10 de novembro de 2015 
  3. «Aventura, aprendizagem e romance a caminho do Alaska | Edgardigital - UFBA». www.edgardigital.ufba.br. Consultado em 23 de novembro de 2017 
  4. a b Paiva, Marina (31 de dezembro de 2009). «Aleixo Belov dará sua quarta volta ao mundo a bordo de veleiro-escola». Correio 
  5. «Velejador brasileiro a dar a volta ao mundo sozinho lança livro sobre a aventura». Portal Terra/360graus. 19 de outubro de 2004. Consultado em 12 de maio de 2012 [ligação inativa]
  6. «Leituras do Leo». Consultado em 6 de maio de 2012 
  7. a b «Aleixo Belov finaliza quarta viagem de volta ao mundo». 4 de outubro de 2011. Consultado em 11 de maio de 2012 [ligação inativa]
  8. «4ª volta do Mundo». Consultado em 11 de maio de 2012 [ligação inativa]
  9. a b Priscila Machado (15 de março de 2014). «Navegador Aleixo Belov retorna de viagem à Antártica». A Tarde. Consultado em 4 de maio de 2015 

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.