Abrir menu principal
Alessandro Correa de Campos
Presbítero da Igreja Católica
Hierarquia
Papa Francisco
Arcebispo metropolita Odilo Pedro Cardeal Scherer
Bispo Pedro Luiz Stringhini
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Mogi das Cruzes
Mandato 2014 até a atualidade
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 27 de janeiro de 2007
Resende, Rio de Janeiro
Dados pessoais
Nascimento Guaratinguetá, SP
17 de fevereiro de 1982 (37 anos)
Nacionalidade brasileiro
Categoria:Igreja Católica
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Alessandro Correa de Campos (Guaratinguetá,[1] 17 de fevereiro de 1982) é um sacerdote católico, cantor e apresentador de televisão brasileiro. É conhecido pela alcunha de "Padre Sertanejo",[2] por sempre usar da música sertaneja para passar suas mensagens religiosas.

Além de fazer shows pelo país, Alessandro Campos também apresenta programas de televisão e de rádio. Já passou pela TV Aparecida, Rede Vida e Rede Gazeta, e na RedeTV!, onde permaneceu no ar por apenas dois meses.[3]

Índice

BiografiaEditar

InfânciaEditar

Alessandro conta sempre à imprensa que descobriu a vocação sacerdotal na infância, por volta dos sete anos de idade.[1] Ele afirma que brincava de celebrar missas e usava suco de groselha e bolachas para simular a celebração da eucaristia.

Aos dez anos, virou coroinha[1] e foi encaminhado para o seminário quando tinha treze.[2]

OrdenaçãoEditar

Estudou teologia na Faculdade de Teologia do Tabor, de propriedade da Diocese de Mogi.[4] Foi ordenado padre em 2007,[5] aos 27 anos de idade, em Resende,[1] no Sul Fluminense.

Ficou ligado à Arquidiocese Militar, onde permaneceu até 2011.[1] No meio militar, passou pela Academia Militar das Agulhas Negras e foi tenente e capelão do Colégio Militar de Brasília.[2] Lá, inseriu a música sertaneja em suas missas.

Em 2014, retornou à Diocese de Mogi.[6] O bispo local o autoriza a fazer shows pelo Brasil, além de apresentar programas de rádio e televisão. Assim, Alessandro atua como uma espécie de "padre missionário".

MúsicaEditar

Padre Alessandro Campos é conhecido por usar dos elementos da música sertaneja. Por onde passa, sempre aparece com trajes de cowboy em meio às vestimentas tradicionais de padre. Alessandro cantava na igreja ainda na época de coroinha e, já sacerdote, foi incentivado a entrar na carreira musical pelos padres de sua antiga paróquia.[7]

Seu primeiro álbum foi lançado em 2011, mas o sucesso veio no álbum seguinte, "O que é que eu sou sem Jesus?", que chegou nas lojas em 2014. A quantidade de 900 mil álbuns vendidos o fez ficar na frente de artistas como Ivete Sangalo e Roberto Carlos.[8] Dessa maneira, ele apareceu na lista de 50 álbuns mais vendidos do mundo, pela Federação Internacional da Indústria Fonográfica.[8]

TelevisãoEditar

O sacerdote estreou na TV Aparecida onde comandou o "Aparecida Sertaneja" por dois anos. No programa, Alessandro cantava e recebia convidados do gênero. Deixou o comando do programa em 2015.[9]

Em 2016, transferiu-se para a Rede Vida.[10] Na emissora de São José do Rio Preto, apresentou o programa "Família Sertaneja", posteriormente rebatizado de "Viva a Vida". Também acumulou função na Rede Século 21,[6] no comando do programa "Vem com Fé". Durante o ano de 2017, apresentou o "Festa Sertaneja", na TV Gazeta.[11] Em novembro de 2018 foi contratado pela RedeTV! e em 11 de fevereiro de 2019 começou apresentar um programa que leva seu nome.[12][13]

ControvérsiasEditar

Em 2018 o padre Alessandro Campos foi acusado de agredir fãs idosos, funcionários de televisão (Gazeta e Aparecida) e telespectadores e ostentar um padrão de vida de luxo, com carros importados, roupas caras e jóias (que não condizem com uma vida sacerdotal). Em sua defesa, o padre alegou que não agrediu ninguém e que não fez voto de pobreza.[14]

Apesar da crise econômica, os municípios de Palmeira dos Índios (AL) e Santo Antonio de Jesus (BA) contrataram o Padre Alessandro Campos para realizar shows com cachês que variam entre R$ 120 mil e R$ 135 mil[15][16] Esses altos cachês se devem ao endividamento do padre, que chegou a ter rendas de shows penhoradas pela justiça por conta de dívidas.[17]

Segundo o site "Notícias da TV", Alessandro Campos cobra ingresso do público (composto principalmente de idosos) que deseja assistir seu programa de televisão da platéia. Os recursos arrecadados com essa prática, incomum na televisão brasileira, seriam todos destinados ao padre (que por sua vez não divulga o destino e a quantidade do valor arrecadados). O pagamento do ingresso não permite ao público qualquer meio de interação com Campos, o que gerou diversas reclamações no site Reclame Aqui.[18]

DiscografiaEditar

  • O homem decepciona, Jesus Cristo jamais (2011)
  • O que é que eu sou sem Jesus? (2014)
  • Quando Deus quer, ninguém segura - Ao Vivo (2015)
  • Deus nos fez para sermos felizes (2016)
  • Deus sempre faz o melhor (2018)

ReferênciasEditar

  1. a b c d e «Conheça a trajetória de fé do padre Alessandro Campos». Alto Astral. 5 de janeiro de 2017 
  2. a b c «Ex-militar, padre caubói une missa com show musical». Terra 
  3. «Sem audiência, programa do Padre Alessandro Campos é cancelado após dois meses na RedeTV!» 
  4. «Padre Alessandro Campos celebra 10 anos de ordenação | O Diário de Mogi». O Diário de Mogi. 22 de janeiro de 2017 
  5. «You are being redirected...». www.rs21.com.br. Consultado em 6 de maio de 2018 
  6. a b «Pe. Alessandro Campos: novo apresentador da Rede Século 21». www.rs21.com.br. Rede Seculo 21. Consultado em 6 de maio de 2018 
  7. «Padre Alessandro Campos conta trajetória». www.a12.com. Consultado em 6 de maio de 2018 
  8. a b «Alessandro Campos, o padre sertanejo, é o único brasileiro no top 50 mundial». Folha de S.Paulo 
  9. «Após dois anos, Padre Alessandro Campos pede demissão da TV Aparecida» 
  10. «Família Sertaneja] Padre Alessandro Campos fecha contrato com a Rede Vida de Televisão - Ancoradouro». Ancoradouro. 12 de janeiro de 2016 
  11. «Padre sertanejo assina com a TV Gazeta e terá programa aos domingos». TV Gazeta. 4 de julho de 2017. Consultado em 13 de fevereiro de 2019 
  12. «RedeTV contrata padre para comandar atração musical em 2019». tvefamosos.uol.com.br. Consultado em 13 de fevereiro de 2019 
  13. «Padre Alessandro Campos estreia programa nas manhãs da RedeTV!». Observatório da Televisão. 8 de fevereiro de 2019. Consultado em 13 de fevereiro de 2019 
  14. Ricardo Feltrin (17 de dezembro de 2018). «"Padre sertanejo" é acusado de ostentação e de ofender idosos; ele nega». UOL. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  15. Tribuna do Sertão (1 de novembro de 2018). «Em meio a corte de gastos, prefeitura contrata show de padre por R$ 120 mil». NN1. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  16. «POR R$ 135 MIL, PADRE ALESSANDRO CAMPOS RECEBE SEGUNDO MAIOR CACHÊ DE FESTA JUNINA NUMA CIDADE DO INTERIOR DA BAHIA». Edelson Freitas. 22 de junho de 2016. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  17. Roberto Gonçalves (5 de novembro de 2018). «Padre contratado em Palmeira estava mergulhado em dívidas». Tribuna do Sertão. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 
  18. Gabriel Perline (18 de fevereiro de 2019). «'Padre sertanejo' cobra taxa de idosos para assistirem programa na RedeTV!». Notícias da TV. Consultado em 18 de fevereiro de 2019 

Ligações externasEditar