Alexander von Suchten

Alexander von Suchten (c. 1520 em Dirschau (Tczew) ou Danzigue (Gdańsk), † 7 de novembro de 1575 em Linz). Era poeta, médico e foi, em sua época, um famoso alquimista.

Alexander von Suchten
Descrição original da imagem da biblioteca de fotos alemã, autoria de Alexander von Suchten
Nascimento 1520
Tczew ou Gdańsk; Polônia
Morte 7 de novembro de 1575
Linz, na Alta Áustria
Nacionalidade Polónia
Ocupação médico
poeta
alquimista
Magnum opus Os segredos do antimônio; Uma verdadeira filosofia; Diálogo alquímico

VidaEditar

Pouco se sabe sobre a vida de Suchten. [1] Seus pais eram Georg von Suchten e Euphemia Schultz. A família Suchten (em polonês "Suchta") era originária da região do Baixo Reno. Em 1400 a família mudou-se para Danzigue, onde seus membros tornaram bastante influentes; alguns membros da família tornaram-se conselheiros, vereadores e prefeitos da cidade. [2] Christoph Suchten, um tio paterno, tornou-se secretário do rei polonês Sigismundo I; um tio materno, Alexander Schultze (em alemão Scultetus) era um cônego em Frombork e um dos poucos amigos de Nicolau Copérnico. [3]

A partir de 1535 Suchten frequentou a escola secundária em Elbląg. [4] Em dezembro de 1538 ele recebeu uma posição eclesiástica, passando a atuar como cônego em Frombork, através de seu tio Alexander Schultze. [5] Não muito depois, essa posição foi barrada a homens sem instrução, de modo que Suchten se matriculou na Universidade de Leuven em 19 de janeiro de 1541, onde estudou filosofia e medicina. [6] Por volta de 1545, ele passou algum tempo na corte de Alberto da Prússia, em Königsberg, onde publicou seu poema Vandalus (baseado em uma lenda polonesa sobre a princesa Wanda). [nota 1]. [7] Entre 1549 e 1552, Suchten foi empregado como alquimista por Oto Henrique, Eleitor Palatino. De 1554 a 1557, ele estava na corte real polonesa de Cracóvia. Posteriormente, ele teria adquirido o doutorado em medicina em uma universidade italiana (presumivelmente na universidade italiana (talvez a Universidade de Ferrara). [8]

Em 1563 ele tentou, sem sucesso, obter uma posição como médico pessoal em Königsberg. A partir de 1567, trabalhou com o médico de Estrasburgo, e paracelsista Michael Toxites, na Alsácia e no Alto Reno. No outono de 1574, Suchten finalmente assumiu a posição de médico rural em Linz, na Alta Áustria, onde morreu em 7 de novembro de 1575. [9]

Obras (seleção)Editar

As obras de Alexander von Suchten foram fortemente baseadas em Paracelso, onde ele expressamente se manifestava contra o charlatanismo - especialmente contra a possibilidade de uma transmutação de metais (fabricação de ouro) - no campo da química e da medicina.

Galeria de imagensEditar

Trata-se de uma representação teosófica da alquimia e da Kabala judaica, com uma descrição original das imagens da biblioteca de fotos alemã, de autoria de Alexander von Suchten.

Notas

  1. Lenda polonesa medieval e que deu-se nos tempos em que a Cracóvia, era governada pelo Rei Krak. Conta-se que certo jovem ao colher ervas às beira do rio Vístula, próximo ao castelo Wawel, pode ver o dragão Smok, em uma gruta. O rei Krak promove uma disputa para matar o dragão dando sua filha Wanda como esposa ao vencedor. O vencedoir foi um jovem sapateiro que se casa com a princesa. Assim surgiu a cidade de Cracóvia.

Referências

  1. Humberg, p. 31.
  2. Strehlau, p. 326.
  3. Eintrag em Robert A. Hatchs, Banco de dados: A Revolução Científica
  4. Wilhelm Gnapheus, O primeiro trabalho da escola Albigensis, Danzigue 1541; sowie Molitor, p. 484 f.
  5. Humberg, p. 31.
  6. Que Alexander recebeu um mestrado em filosofia em Cracóvia em 1521 (!) - como é frequentemente afirmado – por autores polacos, por exemplo: Hubicki, p. 54 – está errado.
  7. Em detalhes sobre sua poesia, cf. Molitor.
  8. Humberg 32. Hubicki, p 55, por outro lado, procurar reivindicações, dezenas de estudos na Itália tiveram lugar de 1543 a 1545. Ele também diz que Suchten teve seu doutorado para suas teses De Galeni placitis em Pádua. Isso remonta ao controverso Diálogo Satírico da genuinidade, e até agora não há evidências documentais.
  9. Para detalhes de suas atividades lá, sua morte e sua propriedade, veja Humberg.

BibliografiaEditar

  • Carl Molitor: Alexander von Suchten, médico e poeta da época do duque Albrecht. In: Antigo Prussiano mensalmente. No. 19, 1882, pp. 480-488.
  • Wilhelm Haberling: Alexander von Suchten, um médico e poeta de Gdańsk do século 16. In: Jornal da Sociedade Histórica Ocidental da Prússia. No. 69, 1929, págs 177-230.
  • Wilhelm Haberling: Notícias da vida do médico e poeta de Gdańsk, Alexander von Suchten. In: Arquivo de História da Medicina e Ciência de Sudhoff. Nr. 24, 1931, pp 117-123.
  • Włodzimierz Hubicki: Alexander von Suchten. In: Arquivo de História da Medicina e Ciência de Sudhoff. No. 44, 1960, pp. 54-63.
  • Helmut Strehlau: A família patrícia de Danzig von Suchten. Em: Ostdeutsche Familienkunde. No. 6 (1971/73), pp. 326-329.
  • Rudolph Zaunick: The Saxon Paracelsist Georg Forberger : com contribuições bibliográficas para Paracelso, Alexander von Suchten, Denis Zacaire, Bernardo de Treviso, Paolo Giovio, Francesco Guicciardini e Natale Conti. Steiner, Wiesbaden 1977.
  • Ralf Bröer: Circulação sanguínea e Trinity. In: Relatórios sobre a História da Ciência. No. 29, 2006, pp. 21-37 e 137-154.
  • Oliver Humberg: O espólio do médico austríaco da paisagem austríaca Alexander von Suchten († 1575). Em: comunicações de renascimento de Wolfenbüttel. No. 31, 2007, pp. 31-51.
  • Hubicki, Włodzimierz. "Alexander von Suchten." Sudhoffs Archiv für Geschichte der Medizin und der Naturwissenschaften 44 (1960): 54–63.
  • Humberg, Oliver. "Die Verlassenschaft des oberösterreichischen Landschaftsarztes Alexander von Suchten (†1575)." Wolfenbütteler Renaissance-Mitteilungen 31 (2007): 31–51.
  • Molitor, Carl. "Alexander von Suchten, ein Arzt und Dichter aus der zeit des Herzogs Albrecht." Altpreußische Monatsschrift 19 (1882): 480–88.
  • Strehlau, Helmut. "Die Danziger Patrizierfamilie von Suchten." Ostdeutsche Familienkunde 6 (1971/73): 326–29.

Ligações externasEditar