Abrir menu principal
Sample N'Ko letters
Palavra N'Ko em escrita N'Ko

N'Ko é um alfabeto idealizado por Solomana Kante em 1949 como sistema de escrita para as línguas mandês da África Ocidental; N'Ko significa 'Eu digo' em todas as línguas Mandé. A normatização da língua é da Associação Kurukan fuwa gbara.

Índice

CaracterísticasEditar

Esse Alfabeto tem similaridades com o alfabeto árabe, principalmente no sentido da escrita (da direita para a esquerda) e a interconexão gráfica das letras.

Diacríticos colocados sob uma vogal indicam Nasalisação. Se colocados no alto da vogal ou sílaba indicam extensão tonal.

HistóriaEditar

O Alfabeto N'Ko passou a ser usado publicamente em Kankan, Guiná, para transcrever as Línguas maninkas no início dos anos 50. O "Día do Alfabeto N'Ko" é o 14 de abril, pois nessa data em 1949 foi finalzado projeto dessa escrita. A introdução do Alfabeto foi acompanhada por um movimento de promoção da escrita N'Ko entre os falantes das línguas mandês no oeste da África.

Em 2005, era usado principalmente na Guiné e Costa do Marfim (respectivamente para Língua maninka e Língua diúla, respectivamente), contando também usuários ativos em Mali (para Língua bambara). Textos publicados en N'Ko incluem uma tradução do Corão, vários livros didáticos de física e geografía, trabalhos poéticos e filosóficos, descrições sobre medicina tradicional, um dicionário, muitos jornais locais.

Em 2006 foi aprovada a codificação da escrita N'Ko no sistema Unicode 5.0. Possui Código ISO 15924 Nkoo.

LetrasEditar

VogaisEditar

ɔ o u ɛ i e a
             

ConsoantesEditar

ra da cha ja ta pa ba
             
ma la ka fa gba sa rra
             
n'   ya wa ha na nya
             

ReferênciasEditar

  • Dalby, David (1969) 'Further indigenous scripts of West Africa: Mandin, Wolof and Fula alphabets and Yoruba 'Holy' writing', African Language Studies, 10, pp. 161–181.
  • Everson, Michael, Mamady Doumbouya, Mamadi Baba Diané, & Karamo Jammeh. 2004. Proposal to add the N’Ko script to the BMP of the UCS
  • Oyler, Dianne White (1994) Mande identity through literacy, the N'ko writing system as an agent of cultural nationalism. Toronto : African Studies Association.
  • Oyler, Dianne White (1997) 'The N'ko alphabet as a vehicle of indigenist historiography', History in Africa, 24, pp. 239–256.
  • Singler, John Victor (1996) 'Scripts of West Africa', in Daniels, Peter T., & Bright, William (eds) The World's Writing Systems, New York, NY: Oxford University Press, Inc. pp. 593–598.
  • Vydrine, Valentin F. (2001) 'Souleymane Kanté, un philosophe-innovateur traditionnaliste maninka vu à travers ses écrits en nko', Mande Studies, 3, pp. 99–131.
  • Wyrod, Christopher (2003) 'The Light on the Horizon: N'ko Literacy and Formal Schooling in Guinea', MA Thesis, George Washington University. link to text
  • B@bel and Script Encoding Initiative Supporting Linguistic Diversity in Cyberspace 12-11-2004 (UNESCO)

Referências externasEditar