Abrir menu principal

Allied Artists Pictures

(Redirecionado de Allied Artists)
Allied Artists
Cartaz de The Come On, produzido pelo estúdio em 1956.
Gênero Produtora e distribuidora de filmes
Fundação 1946
Fundador(es) Steve Broidy
Sede  Estados Unidos Hollywood, Los Angeles, Califórnia
Pessoas-chave Steve Broidy
Claude A. Giroux
Emanuel L. Wolf

Allied Artists Pictures foi um pequeno estúdio cinematográfico sediado em Hollywood. O estúdio esteve ativo de 1946, data de sua fundação, até 1980, quando foi vendido para a Lorimar Productions.

HistóriaEditar

Em 1946, o presidente da Monogram Pictures, Steve Broidy, formou a Allied Artists Productions, Inc., uma subsidiária da Monogram criada exclusivamente para produzir e distribuir filmes de grande orçamento. Assim, até 1952, enquanto a Monogram continuava com seus filmes B, a Allied Artists lançou vários produtos de boa qualidade, como The Gangster, The Babe Ruth Story, Smart Woman, Southside 1-1000 e Flat Top.[1]

A partir de 1949, as duas empresas passaram a distribuir filmes em língua estrangeira, por arranjo com a Stratford Pictures Corporation, outra companhia criada por Broidy, em parceria com George D. Burrows. Isso durou até 1959, quando a Stratford Pictures deixou de operar.[1]

Em 1951, a Allied começou a produzir filmes também para a televisão e criou a Interstate Television Corporation, ativa até a década de 1970, quando já alterara o nome para Allied Artists Television Corporation.

A princípio, a Allied Artists foi tratada como uma entidade separada da Monogram, porém esta, desejosa de mudar sua imagem de produtora de filmes baratos para produtora de filmes classe A, passou a distribuir sua produção através da Allied no início de 1953.[2] Entretanto, àquela altura, os filmes da Allied já eram tão modestos quanto os da Monogram, o que ia de encontro ao desesperado plano de Steve Broidy de aumentar o prestígio da companhia.[3]

Finalmente, em 12 de novembro daquele ano, as duas empresas foram fundidas sob o nome de Allied Artists Pictures Corporation.

Em 1965, Claude A. Giroux sucedeu a Steve Broidy como presidente e chefe executivo. Nesse período, o estúdio deixou de realizar filmes para o cinema e concentrou-se na produção de material para a TV. Entretanto, continuou a distribuir filmes de produtores estrangeiros ou independentes.

Em 1968, Giroux foi sucedido por Emanuel L. Wolf e, com isso, a produção para o cinema foi retomada. Muitos filmes da Allied, fossem produzidos de forma independente ou não, começavam com a frase "Emanuel L. Wolf presents".[1]

Pelos dez anos seguintes, o estúdio produziu grandes sucessos de bilheteria, como Cabaret, The Man Who Would Be King e The Wild Geese, além de Papillon, a maior arrecadação da companhia em todos os tempos.[2]

Em 20 de janeiro de 1976, a Allied Artists Pictures Corporation fundiu-se com a Kalvex, Inc./PSP, Inc., o que deu ensejo à criação de uma nova empresa -- Allied Artists Industries Inc..

Em 1979, em dificuldades financeiras, a Allied Artists entrou com um pedido de falência, na esperança de conseguir continuar em atividade. Contudo, tal não se deu e, em 1980, o estúdio foi vendido para a Lorimar Productions.

Chegava melancolicamente ao fim um estúdio cuja origem remonta a 1924, como Rayart Productions, que tornou-se a Monogram Pictures em 1930 e, finalmente, Allied Artists Pictures Corporation em 1953.[1]

SériesEditar

A Allied Artists herdou diversas séries da Monogram Pictures e criou uma outra -- Lieutenant Doyle:

Os cowboys Kirby Grant, Wayne Morris e Bill Elliott (ou Wild Bill Elliott), cujas aventuras também foram iniciadas na Monogram, ganharam uma breve sobrevida na nova casa:

  • Kirby Grant - 3 filmes entre 1953 e 1954, ambientados, como sempre, no Alasca;
  • Wayne Morris - 6 filmes entre 1953 e 1954, sendo o último deles, Two Guns and a Badge, considerado pelos historiadores como o último faroeste B produzido[1];
  • Wild Bill Elliott - 7 filmes entre 1953 e 1954.

FilmografiaEditar

Curtas-metragensEditar

Longas-metragensEditar

Ver "Lista dos filmes da Allied Artists Pictures" abaixo.

Referências

  1. a b c d e Martin, Len D. (2001). The Allied Artists Checklist. Jefferson: McFarland. ISBN 9780786411139 (em inglês)
  2. a b Rodrigues da Silva, Divino (2000). «A História e os Filmes da Allied Artists». edição de autor. Matinê (28) 
  3. Okuda, Ted (1991). The Monogram Checklist: The Films of Monogram Pictures Corporation, 1931-1952. Jefferson: McFarland. ISBN 9780786407507 (em inglês)

BibliografiaEditar