American Dreamz

American Dreamz
American Dreamz[1] (PRT)
Tudo pela Fama[2] (BRA)
 Estados Unidos
2006 •  cor •  107 min 
Direção Paul Weitz
Produção Paul Weitz
Chris Weitz
Roteiro Paul Weitz
Elenco Hugh Grant
Dennis Quaid
Mandy Moore
Marcia Gay Harden
Chris Klein
Jennifer Coolidge
Willem Dafoe
Gênero comédia musical
Música Stephen Trask
Cinematografia Robert Elswit
Edição Myron I. Kerstein
Distribuição Universal Pictures
Lançamento Estados Unidos 21 de abril de 2006
Idioma inglês
Orçamento US$17,000,000[3]
Receita US$16,656,103[3]
Site oficial

American Dreamz (Brasil: Tudo pela Fama /Portugal: American Dreamz) é um filme de comédia de 2006 sobre os políticos e a cultura popular estadunidense.[4][5]

SinopseEditar

Na manhã seguinte à sua reeleição, o presidente dos EUA, Joseph Staton (Dennis Quaid), decide ler o jornal pela primeira vez em quatro anos. Isso o leva a descer uma ladeira escorregadia. Ele começa a ler obsessivamente, reexaminando sua visão "preto e branco" do mundo de uma maneira mais "madura" e se escondendo em seu quarto de pijama. Assustado com o aparente colapso nervoso do presidente, seu chefe de gabinete (Willem Dafoe) o empurra de volta para os holofotes, reservando-o como juiz convidado no sucesso da televisão e o favorito pessoal da esposa do presidente (Marcia Gay Harden), o talent show American Dreamz. Os Estados Unidos parecem não se cansam do American Dreamz, apresentado por Martin Tweed (Hugh Grant), que se auto-engrandece e se odeia, sempre à procura da próxima celebridade instantânea. Sua última safra de esperançosos inclui Sally Kendoo (Mandy Moore), uma magnólia de aço conivente com um devotado e veterano namorado William Williams (Chris Klein) e Omer Obeidi (Sam Golzari).

Como a mãe de Omer morreu no Oriente Médio em um ataque americano, ele se juntou a um grupo de jihadistas. Ele era ator em um filme de instrução para terroristas, mas era muito desajeitado e seu interesse pelas músicas dos programas era desaprovado. Portanto, ele foi enviado aos EUA para aguardar mais instruções, mas os líderes esperavam que não pudessem usá-lo. Ele se mudou para o sul da Califórnia para morar com sua família extensa lá, incluindo seu primo efeminado Iqbal (Tony Yalda) e Shazzy (Noureen DeWulf). Iqbal esperava ser selecionado para participar do American Dreamz, mas em um mal-entendido, Omer foi selecionado. Iqbal fica irritado com isso no começo, mas depois concorda em ajudar Omer a vencer e se torna seu gerente.

A organização terrorista de Omer agora vê uma oportunidade: Omer é instruído a chegar ao final e matar o presidente em um ataque suicida. Ele consegue chegar a final. A segurança é contornada através da montagem da bomba após a verificação de segurança, no banheiro, de pequenas peças contrabandeadas (os pedaços menores de explosivo são disfarçados de chiclete). Omer concorda, mas muda de idéia e joga a bomba na lata de lixo.

Sally é a outra finalista. No começo do filme, ela largou William porque acreditava que sua vida não teria ido a lugar nenhum se ela ainda o tivesse como namorado e que ele só a arrastaria para baixo. Isso levou William a se juntar ao exército dos Estados Unidos, apenas para ser ferido no Iraque e enviado de volta aos EUA. Para os propósitos do show e por insistência de seu agente, Chet Krogl (Seth Meyers), Sally precisa fingir que ainda ama William . Na véspera da final do American Dreamz, William propõe casamento a Sally, que ela rejeita até Chet decidir aumentar a popularidade e as chances de ganhar o programa, pedindo a William que faça a proposta no ar. No entanto, William testemunha Sally fazendo sexo com Martin, e fica furioso. Quando ele joga fora o anel de noivado, ele encontra a bomba que Omer jogou na lata de lixo. Ele então aparece no palco e ameaça detoná-lo. Enquanto as outras pessoas evacuam, William começa a cantar e Martin, que se recusa a soltar a câmera, filma. Quando William chega ao final da música, ele detona a bomba entrando na câmera, matando ele e Martin. O filme então corta para fotos de pessoas discando seus telefones celulares para votar no vencedor. Eventualmente, é revelado que Williams foi eleito o vencedor surpresa do American Dreamz.

O epílogo revela o que cada um dos personagens fez após o final da temporada passada. Omer tornou-se uma estrela de sucesso da Broadway, onde é mostrado realizando uma cena do musical Grease. O presidente faz de sua esposa seu novo chefe de gabinete. E Sally Kendoo se torna a nova apresentadora do American Dreamz.

ElencoEditar

ProduçãoEditar

EscritaEditar

Embora o concurso de canto descrito no filme tenha sido interpretado como uma sátira direta do American Idol, Paul Weitz disse em uma entrevista que as semelhanças são quase acidentais e que o showrunner não é baseado em Simon Cowell, mas no próprio Hugh Grant: "um cara depressivo, mórbido, mas muito engraçado, cínico ... egoísta demais para ter outros juízes, então é só ele meio que projetado na tela julgando os competidores".[6] Weitz passou a chamar o filme de sátira cultural ao invés de política.

BilheteriaEditar

American Dreamz estreou em 21 de abril de 2006 e faturou US$3,7 milhões em seu primeiro final de semana, ficando em nono.[7] O filme teve um total doméstico bruto de US$7,2 milhões e um internacional internacional de US$9,2 milhões, totalizando um total de US$16,4 milhões.[3] Ele teve seu lançamento mais amplo em seu fim de semana de estréia, em 1,500 cinemas nos EUA,[8] e encerrou seu lançamento nacional após apenas quatro semanas em 28 de maio de 2006.

Na Holanda, o filme estreou em # 7, caindo para #10 em sua segunda semana. Em 14 de junho de 2006, o filme arrecadou um total de 92,432 na Holanda.

Na Espanha, o filme estreou em 11º lugar, ganhando US$109,681 em 50 salas. Na semana seguinte, caiu para o 15º lugar, arrecadando 58,467 dólares.

RecepçãoEditar

Em junho de 2020, o filme possui 38% de aprovação no site de crítica Rotten Tomatoes, com base em 183 críticas com uma classificação média de 5,29/10. O consenso dos críticos do site diz: "Uma sátira alegre e tola com uma infeliz falta de foco, American Dreamz mira em vários alvos, mas não é apontada o suficiente para comentários sociais relevantes".[9] Dando ao filme um C+ em sua crítica, Rebecca Murray escreve que Weiz tentou fazer demais: "Simplificando, American Dreamz sofre com uma superabundância de subtramas e personagens. Há tanta coisa acontecendo, a comédia não pode sobreviver à abordagem dispersa do filme".[10] Leonard Maltin em seu livro 151 Best Movies You've Never Seen diz que o diretor "Weitz é um espelho da sociedade americana e usa o humor para nos ajudar a ver a nós mesmos da melhor maneira e na pior das hipóteses".[11]

Trilha sonoraEditar

A trilha sonora do filme foi lançada em 18 de abril de 2006 pela Lakeshore Records.

  1. "Stars and Stripes Forever"
  2. "One" — Sam Golzari (de A Chorus Line)
  3. "Luck Be a Lady" — Sam Golzari (de Guys and Dolls)
  4. "Impossible Dream" — Sam Golzari (de Man of La Mancha)
  5. "My Way" — Sam Golzari
  6. "Greased Lightnin'" — Sam Golzari (de Grease)
  7. "Super Freak" — Rick James
  8. "That's Entertainment" — The Jam
  9. "Nights in White Satin" — The Moody Blues
  10. "Mommy Don't Drink Me to Bed Tonight" — Mandy Moore
  11. "(Girl) Let's Not Be Friends" — Joshua Wade
  12. "Rockin' Man" — Trey Parker
  13. "Never Felt This Way Before" — Niki J. Crawford
  14. "Lez Git Raunchy" — Adam Busch
  15. "Dreams with a Z" — Mandy Moore
  16. "Tea Time" — Joe Lervold
  17. "Trail of Love" — The Razen Shadows feat. Teresa James
  18. "Riza" — Pedro Eustache, Paul Livingstone, Faisal Zedan, Wael Kakish, e Donavon Lerman

DVDEditar

American Dreamz foi lançado em DVD no Reino Unido em 2 de julho de 2006 e foi lançado nos Estados Unidos em 17 de outubro de 2006. Foi lançado na Austrália no final daquele ano.

Referências

  1. American Dreamz (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. Tudo pela Fama (em português) no AdoroCinema
  3. a b c American Dreamz (2006)[1] BoxOfficeMojo.com
  4. «movies.about.com/od/americandreamz/a/dreamzmm041206.htm». Consultado em 31 de março de 2012. Arquivado do original em 29 de abril de 2017 
  5. http://www.metacritic.com/film/titles/americandreamz
  6. Murray, Rebecca. «Dennis Quaid, Mandy Moore and Writer/Director Paul Weitz Talk American Dreamz». About Entertainment. Consultado em 28 de abril de 2017. Cópia arquivada em 29 de abril de 2017 
  7. Weekend Box Office Results for abril de 21–23, 2006.[2] BoxOfficeMojo.com
  8. Solid Silent Hill, So-So Sentinel, Shattered American Dreamz."[3] BoxOfficeMojo.com
  9. «American Dreamz». Rotten Tomatoes. Consultado em 14 de junho de 2020. Cópia arquivada em 13 de fevereiro de 2010 
  10. Murray, Rebecca. «American Dreamz Movie Review». About Entertainment. Consultado em 28 de abril de 2017. Cópia arquivada em 29 de abril de 2017 
  11. Maltin, Leonard (2010). 151 Best Movies You've Never Seen. [S.l.]: HarperCollins. p. 3. ISBN 978-0-06-173234-8 

Ligações externasEditar