Abrir menu principal

Aníbal Aquilino Ribeiro

Aníbal Aquilino Fritz Tiedmann Ribeiro (Paris (França, 26 de Fevereiro de 1918 - 1999) foi um juiz português. Era filho do escritor Aquilino Ribeiro.[1]

Aníbal Aquilino Fritz Tiedmann Ribeiro
Juiz Conselheiro do Supremo Tribunal de Justiça
Sucessor(a): ...
Dados pessoais
Nascimento: 26 de Fevereiro de 1914
Paris, França
Falecimento: 1999 (85 anos)

BiografiaEditar

Nascimento e educaçãoEditar

Aníbal Aquilino Ribeiro em 26 de Fevereiro em 1914, em Paris, filho do escritor Aquilino Ribeiro e de Grete Fritz Tiedmann.[1] Ainda nos primeiros meses de vida, vem para Lisboa com os seus pais, na sequência do eclodir da Primeira Guerra Mundial.[1]

Fez os estudos liceais na cidade de Viseu, onde esteve hospedado na casa do Sr. Aparício, um adepto republicano, sempre acompanhado por amigos do seu pai, Pinto de Campos e o médico Gomes Mota.[1]

Frequentou depois a Faculdade de Direito, onde se licenciou e iniciou-se na magistratura.[1]

 
Cidade de Lagos, na primeira metade do Século XX.

Carreira profissionalEditar

Em 1938, já estava a exercer como delegado do Procurador da República em Santiago do Cacém, e durante a primeira metade da década de 1940 foi transferido para a cidade de Lagos, onde ocupou a mesma posição.[1] Em Junho de 1944, passou para a Comarca de Almada, e em 1955 regressou ao Algarve, como juiz de direito em Olhão.[1]

Em 1977 ascendeu à posição de Juiz Conselheiro do Supremo Tribubal de Justiça.[1] Depois da sua aposentação, criou em 25 de Julho de 1988 a Fundação Aquilino Ribeiro em Moimenta da Beira, com o apoio da médica Maria Josefa de Campos e de vários amigos e admiradores do seu pai.[1]

Falecimento e famíliaEditar

Faleceu em 1999, estando casado com Maria Josefa de Campos, que continuou o seu trabalho na fundação.[2]

Referências

  1. a b c d e f g h i MARREIROS, 2015:37-41
  2. «Memórias de Aquilino Ribeiro guardadas na aldeia de Soutosa». Rádio Televisão Portuguesa. 15 de Setembro de 2007. Consultado em 5 de Novembro de 2018 

BibliografiaEditar

  • MARREIROS, Glória (2015). Algarvios pelo coração, algarvios por nascimento. Lisboa: Edições Colibri. 432 páginas. ISBN 978-989-689-519-8 


  Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.