Aníbal Bettencourt Barbosa

jornalista português (1913-1980)

Aníbal Cymbron Bettencourt Barbosa (Ponta Delgada, 3 de novembro de 1913 — Ponta Delgada, 3 de janeiro de 1980) foi professor e director da Escola Industrial e Comercial de Ponta Delgada, publicista, jornalista e notável pedagogo e intelectual, com obra publicada sobre temáticas de educação e de biografia.[1]

Aníbal Bettencourt Barbosa
Nascimento 3 de novembro de 1913
Ponta Delgada
Morte 3 de janeiro de 1980
Ponta Delgada
Cidadania Portugal
Alma mater
Ocupação jornalista, professor, escritor, pedagogo

Biografia editar

Nasceu em Ponta Delgada, ilha de São Miguel, filho de Aníbal Cymbron Barbosa, professor do Liceu Nacional de Ponta Delgada, e de Julieta Dias Vaz do Rego. Concluídos os estudos secundários na sua cidade natal, licenciou-se em Filologia Germânica e em Ciências Pedagógicas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa no ano de 1936.

Foi professor da Escola Industrial e Comercial do Funchal, vindo depois para a sua terra natal, sendo professor e director da Escola Industrial e Comercial de Ponta Delgada, a partir de 1950. Revelou-se um notável pedagogo, empenhando-se em organizador do ensino técnico-profissional na cidade de Ponta Delgada, fazendo com a respectiva Escola Industrial e Comercial atingisse particular relevância. Deveu-se à sua persistência e influência junto do Governo do Estado Novo a construção do edifício onde presentemente funciona a Escola Secundária Domingos Rebelo.

Dedicou grande atenção à psicopedagogia, criando o Centro Psicopedagógico da Escola Industrial e Comercial de Ponta Delgada e publicando numerosos trabalhos sobre o assunto, quer na imprensa especializada quer na imprensa diária. Em consequência, deixou colaboração sobre a temática pedagógica na imprensa regional e em publicações culturais.

Dedicou-se também ao jornalismo, sendo director do diário Açores, de Ponta Delgada, de 14 de Julho de 1971 a 1 de Janeiro de 1975. Adepto do Estado Novo, procurou manter um jornalismo de certa qualidade durante a sua direcção, procurando também apresentar uma certa isenção jornalística aquando das eleições para a Assembleia Nacional, em 1973, durante a Primavera Marcelista.

Depois do 25 de Abril de 1974, abandonou a direcção do jornal, por motivos de saúde, na sua editorial de 1 de Janeiro de 1975. A sua substituição por Gustavo Moura, um jornalista desportivo sem formação superior, juntamente com outras mudanças verificadas na imprensa de Ponta Delgada, marca simbolicamente o fim de uma era na imprensa local.

Foi agraciado com os graus de Oficial (27 de julho de 1961) e Comendador (2 de julho de 1969) da Ordem da Instrução Pública.[2] Foi Vice-Presidente do Instituto Cultural de Ponta Delgada.

Obras publicadas editar

Para além de colaboração dispersa por vários periódicos, é autor das seguintes obras:

  • (1955) "O Professor Artur Viçoso May" in Insulana, XI : 386-388.
  • (1956) Alguns Aspectos do Ensino Técnico no Distrito de Ponta Delgada. Ponta Delgada, Tip. Insular.
  • (1959) Importância dos auxiliares audio-visuais no ensino das línguas vivas. Ponta Delgada.
  • (1964) "A palavra e a sua influência na educação" (separata do Livro da I Semana de Estudos dos Açores). Ponta Delgada, Instituto Cultural de Ponta Delgada: 247-259.
  • (1964) Algumas sugestões para a criação de cursos de psicopedagogia, Ponta Delgada.
  • (1970) Homenagem a Artur do Canto Resende 1897-1945, Ponta Delgada, Escola Industrial e Comercial de Ponta Delgada.
  • (1976) "O Dr. João Anglin: o Homem, o Pedagogo e o Chefe" in Insulana, XXXI-XXXII: 19-22.
  • (1978) "Mateus de Andrade Albuquerque de Bettencourt" in Insulana, XXXIII-XXXIV : 5-14.

Notas

  1. Enciclopédia Açorian: "Barbosa, Aníbal Cymbron Bettencourt".
  2. «Entidades Nacionais Agraciadas com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Aníbal Cymbron Bettencourt Barbosa". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 10 de agosto de 2020 

Bibliografia editar

  • AAVV, Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, Lisboa / Rio de Janeiro, Editorial Enciclopédia Lda, volume 39, 1960.
  • Lemos, Mário Matos e, Jornais Diários Portugueses do Século XX, Coimbra, Ariadne Editora, s. d. (2001).