Anastácia (filha de Adralesto)

Anastácia (em grego medieval: Ἀναστασώ; romaniz.: Anastasó) foi uma nobre bizantina do século IX.

Anastácia
Nacionalidade Império Bizantino
Filho(a)(s) Constantino
Miguel
Filha
Ocupação General
Religião Cristianismo

VidaEditar

 
Soldo de Romano I Lecapeno (r. 920–944) e Constantino VII Porfirogênito (r. 913–959)

Viveu na segunda metade do século IX. Era filha do patrício Adralesto e diz-se que sua mãe de nome incerto era aparentada com o imperador Romano I Lecapeno (r. 920–944). Casou-se com Eudócimo Maleíno com quem teve Miguel, Constantino e filha de nome desconhecida que casou-se com Bardas Focas, o Velho. Sua família vivia no Tema de Carsiano, mas parece que se alojou várias vezes em Constantinopla. Segundo a Vida de Miguel, ela ficou muito tempo sem ter filhos até que ela e seu marido foram na Igreja da Teótoco em Cucas, onde o sacerdote Metódio lhe disse que viu a virgem em seu sonho anunciando filhos para Anastácia.[1]

Anastácia pode talvez ser identificada com a zoste patrícia Anastácia mencionada na hagiografia do século X Vida de Basílio, o Jovem.[2] Quando Miguel decidiu virar monge em 912 ou 913, seus pais tentaram dissuadi-lo e até o levaram para casa à força do mosteiro, mas finalmente decidiram desistir de sua decisão. Quando Miguel foi ordenado monge por volta de 914/915, Anastácia encontrou-se com seu marido em Ancira, que lhe informou sobre o processo. Após a morte do marido entre 914 e 917 sem deixar testamento, Anastácia despojou sua propriedade entre seus filhos e entrou num convento.[1]

Referências

  1. a b Lilie 2013.
  2. Cheynet 2000, p. 180; 182.

BibliografiaEditar

  • Cheynet, Jean-Claude (2000). «La patricienne à ceinture: une femme de qualité». Au cloître et dans le monde: femmes, hommes et sociétés (IXe-XVe siècle) - Mélanges en l'honneur de Paulette L'Hermite-Leclercq. Paris: Universidade de Paris. ISBN 978-2-84050-180-0 
  • Lilie, Ralph-Johannes; Ludwig, Claudia; Zielke, Beate et al. (2013). «#20343 Anastaso». Prosopographie der mittelbyzantinischen Zeit Online. Berlim-Brandenburgische Akademie der Wissenschaften: Nach Vorarbeiten F. Winkelmanns erstellt