André Dias (teólogo)

Mestre em Teologia, Canonista, professor universitário e Abade do Mosteiro de Rendufe, e Bispo de Ciudad Rodrigo, Ajaccio e Megara e Tabor

André Dias[a] (Lisboa, 1348-1450 ou 1451) foi um religioso da Ordem de São Bento, abade, bispo, mestre em teologia, canonista e professor universitário.[1][2][3][4][5][6]

André Dias
Nascimento 1348
Lisboa
Morte Desconhecida 1450 ou 1451
Mosteiro de Alpendurada em Alpendurada e Matos, antiga freguesia de Marco de Canaveses
Nacionalidade português
Ocupação Abade, professor e bispo

BiografiaEditar

André Dias estudou em Viena, foi professor universitário em Roma e depois abade do Mosteiro de Santo André de Rendufe (1401-1414), bispo de Ciudad Rodrigo, de Ajaccio (1422-1428) e de Megara e fundador da Confraria do Santo Nome de Jesus no convento de São Domingos de Lisboa em 1432.

Participou nos Concílios de Constança (1414-1418) e de Basileia-Ferrara-Florença (1431-1445).

Morreu como abade comendatário do mosteiro de Alpendurada, castigado pela posição que manifestou contra a Igreja Grega na tentativa de união das duas igrejas no concílio de Florença.[1][2][4][3][5][6]

ObrasEditar

  • Interrogationes pro confessoribus
  • Regula decimarum
  • Modus confitendi
  • Tractatus polemico-theologicus de Graecis errantibus (1428).
  • De decimis (1425)
  • Lumen confessorum
  • Confessio minor seu Modus confitendi
  • Confessio maior
  • De decimis
  • Interrogationes et doctrinae quibus quilibet sacerdos debet interrogare suum confitentem
  • Canones poenitentiales
  • Laudes e cantigas espirituais (1435)[1][2][4][3][5][6][7]
Laudes e cantigas spirituaaes [...] trasladadas de lynguagem felorentino em lynguagem portugaleso, en na çidade muyto froreçente de Florença, no anno de myl e quatroçentos e triinta e çinquo, per mym meestre Andre Dias de Lixboa, meestre em theolysia, e pobre bispo de Megara, em Greçia, da hordem e sam Beento professo.[nota 1]

Notas

  1. Muitos cantos são traduzidos, mas alguns são de sua autoria, fazendo dele também um compositor. Cf. LESSA (2016) nas referências.
  1. Também conhecido como André de Escobar, de Rendufe, de Lisboa, Andreas Hispanus, Destabar ou Didaci

Referências

  1. a b c Cf. ALMEIDA, José Carlos Lopes. Frei André Dias bispo de Megara.
  2. a b c Cf. Monumenta Henricina,vol. VI (1437-1439), pp. 81-82.
  3. a b c MATOSO, José. Enciclopédia Verbo Luso-Brasileira de Cultura, Edição Século XXI, s.v. André Martins.
  4. a b c LESSA, Elisa Maria Maia da Silva. «O património artístico musical do Mosteiro de Santo André de Rendufe: Conhecer o passado para intervir no presente», in Artison, n.º 3 (2016, pp. 112-120.
  5. a b c MARTINS, M. Raízes comuns entre o Laudário de Mestre André Dias e o Laudário de Pisa.
  6. a b c Pesquisa de «André Dias» em Bio-Bibliographical Guide to Medieval and Early Modern Jurists
  7. Cf. Laudes e cantigas espirituais de Mestre André Dias : escritas aos 1435. Coligido e anotado por Mário Martins. Negrelos : Mosteiro de Singeverga, 1951.
  Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.