Os angares em Châlons, entre eles os da Antoinette.

A Société d'aviation Antoinette, foi uma empresa fabricante de motores leves movidos à gasolina francesa.

A Antoinette também se tornou fabricante de aviões na era pioneira da aviação, período que antecedeu a Primeira Guerra Mundial, mais notadamente por seus monoplanos recordistas pilotados por Hubert Latham e René Labouchère.

Sediada em Puteaux, a Antoinette esteve em operação entre 1903 e 1912.

HistóricoEditar

 
Detalhe do avião Antoinette VII, exibindo o motor V8 Antoinette.

A Antoinette começou como um empreendimento privado liderado pelo engenheiro Léon Levavasseur e financiado por Jules Gastambide, que possuía uma estação geradora de energia na Argélia.

Num feriado com a família de Gastambide em 1902, Levavasseur propôs o desenvolvimento de motores leves e potentes para uso em aeronaves, e que os motores poderiam ser batizados com o nome da irmã de Gastambide, Antoinette.[1]

Gastambide financiou o empreendimento, e Levavasseur patenteou a configuração de motor V8 naquele ano.[2] Já em 1904, a maioria das lanchas vencedoras de competições na Europa estavam equipadas com motores Antoinette.[1] Durante esse período Levavasseur projetou motores em várias configurações, chegando até a trinta e dois cilindros.[3]

A Antoinette teve seu capital integralizado em 1906, com Gastambide como presidentee Levavasseur como diretor técnico. O pioneiro da aviação Louis Blériot era o vice-presidente.[1] Naquele mesmo ano, a Antoinette exibiu um automóvel com um motor V8 de 7,2 litros e 32 hp no Salon de l'Automobile em Paris.[4]

Sendo a venda de motores para fabricantes de aeronaves seu principal negócio,[1] os motores Antoinette foram usados por: Santos Dumont em seu 14 bis, Paul Cornu em seu helicóptero rudimentar de 1907, no biplano Voisin, modificado por Henri Farman e usado para efetuar o primeiro voo circular de 1 km da Europa em janeiro de 1908. O bloco desse motor era de alumínio fundido com cilindros de aço removíveis.[5] Os motore Antoinette de Levavasseur apresentavam características avançadas, incluindo injeção eletrônica[6] e refrigeração a vapor.[7][8]

Levavasseur começou seus experimentos na área de construção de aviões em 1906, quando sua empresa foi contratada para construir um avião para o capitão Ferdinand Ferber.[9] Em 1908 Blériot tentou dissuadir os diretores da Antoinette de se tornarem fabricantes de aviões, temendo que eles competissem por clientes. Blériot deixou a companhia quando quando seu pedido foi ignorado.[10]

 
O "simulador de voo" da Antoinette, em 1909, um dos primeiros do Mundo.

No início de 1909, a Antoinette trabalhou com o Exército Francês em Châlons para efetuar os primeiros testes militares com aviões, uma escola de pilotagem e uma oficina. A escola incluía o "treinador Antoinette", um simulador de voo rudimentar, composto de uma metade de um barril montada sobre uma junta universal, com "controles de voo", polias e tábuas imitando asas, para permitir ao piloto manter o equilíbrio enquanto os instrutores aplicavam forças externas.[11]

Um dos seus primeiros alunos foi o aventureiro Hubert Latham, que logo se tornou o principal instrutor da companhia.[12] Seus alunos em 1909 incluíam: Marie Marvingt, primeira mulher a voar em missões de combate e estabelecer o serviço de "ambulância aérea" ao redor do Mundo, e também Afonso, Duque de Galliera, primo do Rei Alfonso XIII da Espanha e primeiro piloto militar espanhol.[13]

 
Hubert Latham no seu Antoinette VII - Paris, 1909.
 
Um avião Antoinette com motor V16.

Na primavera de 1909, Latham fez vários voos impressionantes.[14] Esses voos convenceram Levavasseur que Latham poderia cruzar o Canal da Mancha em um avião Antoinette, e vencer o prêmio Daily Mail criado para incentivar esse feito.[15] Latham fez duas tentativas de cruzar o canal em julho de 1909, ambas sem sucesso devido a falhas nos motores quando ele já estava sobre o canal.

Entre as duas tentativas de Latham, o antigo vice-presidente da Antoinette, Blériot, conseguiu efetuar a travessia usando seu próprio avião[16][17] usando um motor Anzani W3 mais simples e confiável de 25 hp refrigerado à ar[18][19] e uma hélice Chauvière mais eficiente.[20]

Os esforços de Latham para promover os produtos Antoinette tiveram maior sucesso na Grande Semaine d'Aviation de la Champagne, entre 22 e 29 de agosto de 1909 em Reims, França, onde ganhou o prêmio ed altitude e ficou em segundo na competição de velocidade, conquistou o terceiro lugar na Copa Gordon Bennett para aviões, e no evento Grand Prix, para o voo mais longo e ininterrupto em circuito fechado, obteve o segundo lugar com um modelo Antoinette IV e o quinto com o modelo Antoinette VII.[21][22]

Na corrida da Copa Gordon Bennett para aviões de 1910 em Belmont Park, Estados Unidos, Latham voou um Antoinette VII equipado com motor V16 de 100 hp.[23]

Levavasseur deixou a Antoinette em novembro de 1909, logo depois de Gastambide.[24] Gastambide e Levavasseur retornaram à companhia em março de 1910, Gastambide como presidente e diretor de operações, e Lavavasseur como diretor técnico.[25]

Depois do retorno de Levavasseur, ele projetou o Antoinette monoplano militar, um monoplano mais esguio com asas em cantiléver, que acabou sendo rejeitado pelos militares.[26][27] A Antoinette entrou em processo de falência logo depois disso.[28]

ProdutosEditar

AviõesEditar

  • Antoinette I - 1907, não chegou a ser concluído.
  • Antoinette II - Fevereiro de 1908 - conhecido também como Gastambide-Mengin II.
  • Antoinette III - 1908 - biplano projetado por Ferdinand Ferber, também chamado de Ferber IX.
  • Antoinette IV - 1908 - monoplano monomotor e monoposto com ailerons frontais.
  • Antoinette V - 20 de Dezembro de 1908 - variante do Antoinette IV com arqueamento das asas no lugar de ailerons.
  • Antoinette VI - 1909 - variante do Antoinette V com ailerons verdadeiros (mais tarde convertido para arqueamento das asas)
  • Antoinette VII - 1909 - outro desenvolvimento do Antoinette IV com motor maior e arqueamento das asas.
  • Antoinette VIII - 1909 - outro desenvolvimento do Antoinette IV com motor maior e arqueamento das asas.
  • Antoinette monoplano militar - 1911 - desenvolvimento militar proposto para o Antoinette IV.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d Villard, Contact!, p.51
  2. Gerard, Les moteurs et aéroplanes Antoinette, p.2
  3. Gerard, Les moteurs et aéroplanes Antoinette, p.4
  4. Hemmings Motor News: Eight Is Enough
  5. The Aero Manual 1910 1972 reprint ed. Newton Abbot, Devon: Davis & Chrles Reprints. 1972 [1910]. p. 188. ISBN 0-7153-5512-0 
  6. Flight magazine, December 21, 1933, p1292: "Direct petrol injection"
  7. «Power Planting», Flight: 249, 19 de março de 1942 
  8. «Power Planting», Flight: 250, 19 de março de 1942 
  9. Flight magazine, December 7, 1916, p.1075: Ten Years Ago "An Antoinette Aeroplane"
  10. Villard, Contact!, p.52
  11. Human Factors in Simulation and Training By Dennis A. Vincenzi, John A. Wise p18 with image
  12. Flight Magazine, December 1909, A Training 'class' at Chalons
  13. Flight Magazine 21 October 1975 p246: Infante Alfonso
  14. Brett, R. Dallas, The History of British Aviation 1908-1914, p.26.
  15. King, Stephen H., The Passion That Left The Ground: The Remarkable Airplanes of Léon Levavasseur, p. 56-57.
  16. Flight Magazine 30 March 1951 p.365: Portrait of a Pioneer by Colin Boyle
  17. Flight Magazine 30 March 1951 p366: Portrait of a Pioneer by Colin Boyle
  18. Grant, Flight: 100 Years of Aviation, pp.42-43
  19. Flight Magazine July 31, 1909 p.456: "The Engine"
  20. Flight Magazine July 5, 1913 p.745
  21. Flight Magazine, September 4, 1909, p.536: Tabulated Performances, &c., of Rheims Meeting
  22. Nicolaou, Stéphane, Reims - 1909: Le Premier Meeting Aérien International, pp. 51ff."
  23. Gerard, Les moteurs et aéroplanes Antoinette, p.12
  24. Flight magazine, November 13, 1909: Aviation News of the Week "M. Levavasseur Retires from Antoinette Co."
  25. Flight magazine, March 19, 1910: "M. Levavasseur Rejoins The Antoinette Co."
  26. Flight magazine, May 14, 1942, p.476: Modernity in 1911
  27. Flight magazine, May 14, 1942, p.477
  28. Villard, Contact!, p.53

BibliografiaEditar

  • Hartmann, Gerard (5 de agosto de 2007). «Les moteurs et aéroplanes Antoinette» [Antoinette engines and aeroplanes] (PDF) (em French). Consultado em 8 de novembro de 2009. Arquivado do original (PDF) em 14 de dezembro de 2014 
  • Grant, R.G (2004). Flight: 100 Years of Aviation. London: Dorling Kindersley. ISBN 1-4053-0575-4 
  • King, Stephen H. (2007). The Passion That Left The Ground: The Remarkable Airplanes of Léon Levavasseur. Tarentum, Pennsylvania: Word Association Publishers. ISBN 978-1-59571-178-6 
  • Nicolaou, Stéphane (1999). Reims - 1909: Le Premier Meeting Aérien International (em French). Le Bourget, France: Musée de l'Air et de l'Espace 
  • Opdycke, Leonard E. French Aeroplanes before the Great War. Atglen, PA: Schiffer. ISBN 0-7643-0752-5 
  • Villard, Henry Serrano. Contact! The Story of the Early Aviators. [S.l.]: Courier Dover Publications. ISBN 978-0-486-42327-2 

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Antoinette