Apolônio Cardoso

político brasileiro
Apolônio Cardoso
Nascimento 14 de dezembro de 1938
Campina Grande
Morte 22 de dezembro de 2014 (76 anos)
Cidadania Brasil
Alma mater Universidade Estadual da Paraíba
Ocupação político

Apolônio Cardoso (Campina Grande, 14 de dezembro de 1938Campina Grande, 22 de dezembro de 2014) advogado, poeta, repentista. Considerado um dos mais significativos e importantes da poética da região nordeste.

HistóriaEditar

Muito pobre iniciou a vida ainda menino como engraxate. Aprendeu a poesia ouvindo grandes mestres como: José Gonçalves, José Antônio Barbosa e Patativa do Assaré, enquanto lhes engraxa os sapatos. Aos 18 anos mudou-se para Mossoró, em busca de oportunidade como violeiro e repentista. Passou a tocar em bares e na rádio Difusora de Mossoró.

Retornou a Campina Grande para concluir os estudos. Formou-se em 1974, em Direito pela antiga Fundação Universidade Região Nordeste - FURNE, hoje Universidade Estadual da Paraíba – UEPB. Como advogado, tornou-se um tribuno de grande verve, chegando muitas vezes a fazer suas sustentações orais em versos.

Foi vereador e professor de História em importantes colégios em Campina Grande. Bem como, articulista de jornais e apresentador de rádio, tratando do folclore nordestino. Apesar destes inúmeros trabalhos jamais deixou a poesia e o repente.

Criou e organizou o Primeiro Congresso Nacional de Violeiros, realizado em Campina Grande em 1974, no Teatro Municipal Severino Cabral. Este evento e os outros que se seguiram, trouxe visibilidade aos violeiros e repentistas, o que ajudou imensamente ao reconhecimento destes personagens como figuras importantes da cultura popular nordestina.

Apolônio Cardoso, é autor de vário poemas e canções muito conhecidas pelo povo, como Flor do Mocambo e Flor do Cascalho. Essa última, inclusive, foi música tema do filme Romance (2008), do premiado cineasta Guel Arraes e teve direção musical de Caetano Veloso.

Por quase sempre tratar de flores em seus poemas, Apolônio Cardoso é conhecido como o “poeta das flores”.

[1][2][3][4][5]

Referências

  1. REDAÇÃO. Morre em Campina Grande o ex-vereador, advogado e poeta Apolônio Cardoso, Pbagora, Disponível em: http://www.pbagora.com.br/conteudo.php?id=20141222161417&cat=paraiba&keys=morre-campina-grande-exvereador-advogado-poeta-apolonio-cardoso, Acesso em: 26 jan. 2015.
  2. FERREIRA, Marcos. Apolônio Cardoso, O Mossoroense, Disponível em: http://www2.uol.com.br/omossoroense/280103/entrevista.htm, Acesso em: 26 jan. 2015.
  3. REDAÇÃO. Morre o poeta Apolônio Cardoso, autor de "Flor do Mocambo" e "Flor do Cascalho", O Mossoroense, Mossoró, 27 dez. 2014, Disponível em : http://omossoroense.uol.com.br/index.php/o-jornal/cotidiano-mobile/61979-morre-o-poeta-apolonio-cardoso-autor-de-flor-do-mocambo-e-flor-do-cascalho[ligação inativa], Acesso em: 26 jan. 2015.
  4. JUNIOR, Pedro. Poeta campinense é homenageado no Rio Grande do Norte. Portal Midia Net, 21 out. 2013, Disponível em: http://www.portalmidia.net/poeta-campinense-e-homenageado-no-rio-grande-do-norte/, Acesso em: 26 jan. 2015.
  5. CARDOSO, Josué. Poeta campinense Apolônio Cardoso é homenageado no Rio Grande do Norte, Jornal A Palavra, 21 0ut. 2013, Disponível em: http://apalavraonline.com.br/index.php?option=com_content&view=category&layout=blog&id=2&Itemid=128&id_noticia=%206631, Acesso em: 26 jan. 2015.