Armando Cortez

roteirista português
Armando Cortez
Nome completo Armando Cortez e Almeida
Nascimento 23 de janeiro de 1928
Nacionalidade Portugal Português
Morte 11 de abril de 2002 (73 anos)
Cônjuge Fernanda Borsatti (1950-1958)
Manuela Maria (1967-2002)

Armando Cortez e Almeida, mais conhecido por Armando Cortez[1] GOIH (Lisboa, 23 de janeiro de 1928Lisboa, 11 de abril de 2002), foi um actor, encenador, argumentista e produtor português.

BiografiaEditar

Actor de teatro desde 1946, interpretou um sem número de autores, em peças como Coéforas, de Ésquilo.

Em 1964, é protagonista, com Francisco Nicholson, do programa Riso e Ritmo, da RTP.

Em 1982, aparece na série Pedro e Paulina. Dirigiu o musical Annie de Thomas Meehan para o Teatro Maria Matos (1983). Em 1984, participou no tele-romance Chuva na Areia da RTP. Em 1986, participa na telenovela Palavras Cruzadas. No ano de 1987 entra na série Lá em Casa Tudo Bem. 1988 é o ano da telenovela Passerelle.

Em 1992, participa na novela Cinzas. Seguem-se Verão Quente e Nico D'Obra, no ano de 1993. No ano seguinte, participa em Na Paz dos Anjos. 1996 é o ano de Roseira Brava, da série Polícias e da novela Vidas de Sal.

Em 1997, participa em Filhos do Vento e A Grande Aposta. No ano seguinte participa em Terra Mãe e Os Lobos. Em 2000, grava Esquadra de Polícia, A Raia dos Medos e Alves dos Reis. Entra também em Ajuste de Contas.

Foi agraciado por Jorge Sampaio com o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique (11 de Outubro de 2000).

No ano de 2001 participa na série O Processo dos Távoras, escrita por Francisco Moita Flores.

Foi director da Casa do Artista, instituição de apoio às artes performativas, que fundou juntamente com Raúl Solnado. A sala de espectáculos afecta a esta instituição foi baptizada em sua homenagem, chamando-se Teatro Armando Cortez.

Morreu aos 73 anos, em Lisboa, vítima de paragem cardiorrespiratória. As suas cinzas foram espalhadas no jardim da Casa do Artista.

Vida pessoalEditar

Neto materno duma prima em terceiro grau do 1.° Visconde de Roriz.

Teve o seu primeiro filho do primeiro casamento, com Fernanda Borsatti da Fonseca, José Eduardo da Fonseca Cortez e Almeida, nascido em 1953, Médico, casado com Anabela Ribeiro Fernandes Cortez e Almeida, com duas filhas (Inês Fernandes Cortez e Almeida e Margarida Fernandes Cortez e Almeida). O seu segundo filho é Pedro Lima Cortez e Almeida, arquitecto, nascido em 1968 do casamento com Maria Manuela Guerra Lima (Manuela Maria).

TrabalhosEditar

  • 1946 - Coéforas
  • 1954 - O Cerro dos Enforcados
  • 1956 - Ar, Água e Luz
  • 1956 - O Dinheiro dos Pobres
  • 1958 - O Homem do Dia
  • 1958 - O Céu da Minha Rua
  • 1958 - O Doente Imaginário
  • 1959 - Dez Contos de Reis
  • 1961 - O Inspector
  • 1964 - Riso e Ritmo (RTP)
  • 1964 - Vamos Contar Mentiras
  • 1967 - O Peixinho Vermelho
  • 1967 - Operação Dinamite
  • 1969 - Bonança & C.a
  • 1969 - O Diabo Era Outro
  • 1970 - O Cerco
  • 1973 - Doze Homens em Conflito
  • 1975 - Legenda do Cidadão Miguel Lino
  • 1975 - Schweik na Segunda Guerra Mundial
  • 1975 - Sua Excelência
  • 1975 - Seara de Vento
  • 1975 - Português, Escritor, 45 Anos de Idade
  • 1975 - 24, 25, 26
  • 1978 - Ivone a Faz Tudo
  • 1979 - O Diabo Desceu à Vila
  • 1983 - Sem Sombra de Pecado
  • 1984 - Opération O.P.E.N.
  • 1984 - Chuva na Areia
  • 1985 - Aqui Há Fantasmas
  • 1986 - Palavras Cruzadas (telenovela)
  • 1987 - O Desejado
  • 1987 - Lá em Casa Tudo Bem Adelino Lopes
  • 1988 - Passerelle
  • 1988 - Histórias Que o Diabo Gosta: A Filha
  • 1988 - Criada para Todo o Serviço
  • 1988 - Humor de Perdição
  • 1988 - Contrainte par corps
  • 1988 - A Mala de Cartão
  • 1989 - Pisca Pisca
  • 1990 - Quem Manda Sou Eu
  • 1990 - Nem o Pai Morre Nem a Gente Almoça/ Nem o pai morre…
  • 1991 - Segno di fuoco
  • 1992 - Crónica do Tempo
  • 1992 - Coup de foudre: Rendez-vous à Lisbonne
  • 1992 - Das Tripas Coração
  • 1992 - Vertigem
  • 1992 - Cinzas 'Rui Veiga
  • 1993 - Verão Quente
  • 1993/1994 - Nico D'Obra: O Reveillon e Atenção às Obras pai de Alice
  • 1994 - Passagem por Lisboa
  • 1994 - Na Paz dos Anjos
  • 1996 - Roseira Brava
  • 1996 - Polícias
  • 1996 - Vidas de Sal
  • 1997 - Filhos do Vento
  • 1997 - A Grande Aposta
  • 1998 - Terra Mãe
  • 1998 - Os Lobos
  • 2000 - Esquadra de Polícia
  • 2000 - A Raia dos Medos
  • 2000 - Alves dos Reis
  • 2000 - Ajuste de Contas
  • 2001 - O Processo dos Távoras ()

Como encenador

  • 1969 - A Casa-Fronteira
  • 1989 - Pisca Pisca
  • 1990 - Quem Manda Sou Eu
  • 1990 - Nem o Pai Morre Nem a Gente Almoça/ Nem o pai morre…
  • 1995 - Primeiro Amor
  • 1996 - Roseira Brava

Como argumentista

  • 1964 - Riso e Ritmo
  • 1967 - Operação Dinamite
  • 1969 - A Casa-Fronteira
  • 1973 - O Grande Negócio
  • 1989 - Pisca Pisca
  • 1992 - Quem Muda a Fralda à Menina?

Como produtor

  • 1964 - Riso e Ritmo
  • 1994 - Trapos e Companhia

HomenagensEditar

A Câmara Municipal de Lisboa atribuiu o seu nome a uma rua em frente ao novo Teatro Aberto, na freguesia de Campolide.[2]

A 5 de maio de 2003 foi inaugurado o Teatro Armando Cortez, na Casa do Artista.

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Armando Cortez

Referências

  1. «Certidão de lista de associadas da Audiogest» (PDF). IGAC/Ministério da Cultura. 25 de julho de 2007. Consultado em 6 de Janeiro de 2014. Arquivado do original (pdf) em 24 de dezembro de 2013 
  2. Comissão Municipal de Toponímia, Toponimia lx Armando Cortez, Março de 2004.