Aroldo Cedraz

médico veterinário e político brasileiro

Aroldo Cedraz de Oliveira ComMM (Valente, 26 de fevereiro de 1951) é um professor, médico veterinário, político e atual ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). Pela Bahia, foi deputado federal durante quatro mandatos e secretário de Indústria e Comércio.

Aroldo Cedraz
Aroldo Cedraz
Aroldo Cedraz em 2006
Ministro do Tribunal de Contas da União
Período 10 de dezembro de 2014
a 14 de dezembro de 2016
Antecessor(a) Adylson Motta
Ministro do Tribunal de Contas da União
Período 3 de janeiro de 2007
a atualidade?
Deputado federal pela Bahia
Período 1º de fevereiro de 1991
a 3 de janeiro de 2007
(4 mandatos consecutivos)[a]
Secretário Estadual de Indústria, Comércio e Mineração da Bahia
Período 2000 a 2002
Governador César Borges
Dados pessoais
Nome completo Aroldo Cedraz de Oliveira
Nascimento 26 de fevereiro de 1951 (73 anos)
Valente, BA
Progenitores Mãe: Mariá Cedraz de Oliveira
Pai: João José de Oliveira
Alma mater Universidade Federal da Bahia (UFBA)
Prêmio(s) Ordem do Mérito Militar[1]
Esposa Eliana Leite Oliveira
Partido MDB (1972–1979)
PMDB (1980–1993)
PFL (1993–2007)
DEM (2007)
Sem partido (2007–presente)
Profissão professor, médico veterinário, político

Biografia editar

É formado em Medicina Veterinária pela Universidade Federal da Bahia, onde também se tornaria professor. Casado com Eliana, tem três filhos.[2]

Ligado ao político Antônio Carlos Magalhães,[3] em 1990 elegeu-se deputado federal da Bahia, pelo PRN. Seria reeleito em 1994, 1998 e 2002. Tentou reeleger-se em 2006 mas não obteve êxito. Já foi filiado ao MDB, PMDB, e por último, o PFL.

Em seu terceiro mandato como deputado federal, Aroldo foi admitido em 1999 à Ordem do Mérito Militar no grau de Comendador especial pelo presidente Fernando Henrique Cardoso.[1]

Foi Secretário de Indústria e Comércio da Bahia entre 2000 e 2002 e presidiu a Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara entre 2005 e 2006.

TCU editar

Com a aposentadoria do ministro Adylson Motta em 2006, coube a Câmara dos Deputados indicar o substituto a vaga. Houve quatro candidatos, e por votação secreta, Cedraz venceu com 172 votos, contra os 148 votos dados ao deputado Paulo Delgado (PT-MG), 50 votos a Gonzaga Mota (PSDB-CE) e 20 votos ao deputado Ademir Camilo (PDT-MG).[4] Confirmado pelo Senado e nomeado pelo presidente da república, renunciou ao mandato de deputado federal para assumir o novo cargo em 3 de janeiro de 2007.

Ligações externas editar

Notas

  1. Licenciado entre 7 de dezembro de 2000 e 27 de março de 2002 para assumir a Secretaria de Indústria, Comércio e Mineração da Bahia. Renuncia em 3 de janeiro de 2007 para tornar-se ministro do Tribunal de Contas da União.

Referências