Abrir menu principal
Bandeira do caganato turco representando a Loba asena em verde.
Brasão proposto da Turquia que demonstra a Asena.

Asena é uma loba[1][2][3] associado com um Göktürk mitos étnicos "repleto de simbolismo xamânico".[4][5]

A Lenda do Lobo CinzaEditar

A lenda fala de um menino que sobreviveu uma batalha; uma loba encontrou a criança ferida e o tratou até recuperar a saúde de volta. A loba, impregnada pelo menino, escapou de seus inimigos atravessando o Mar Ocidental para uma caverna perto das montanhas Qocho e uma cidade dos Tocharians, dando à luz dez meninos metade-lobo, metade humanos. Destes, Ashina se tornou seu líder e estabeleceu o clã Ashina, que governou sobre o Göktürk e outros impérios nômades turcomanos.[6][7]

Estes primeiros turcos migraram para a região de Altai, onde eram conhecidos como ferreiros experientes, semelhante aos citas.[8]

Referências

  1. Livro de Zhou, Vol. 50. (chinês)
  2. History of Northern Dynasties, Vol. 99. (chinês)
  3. Livro de Sui, Vol. 84. (chinês)
  4. André Wink. Al-Hind: The Making of the Indo-Islamic World. Brill Academic Publishers, 2002. ISBN 0-391-04173-8. Página 65.
  5. Ziya Gökalp, transcrição: Şahin Filiz, "Türk devletinin tekâmülü 12: Hakanlık Teşkilatı",Küçük Mecmua -II-, Bu da Çinlilere göre (Asena=Kurt) manasındadır (em turco)
  6. Findley, Carter Vaughin. The Turks in World History. Oxford University Press, 2005. ISBN 0-19-517726-6. Página 38. (em inglês)
  7. Roxburgh, D. J. (ed.) Turks, A Journey of a Thousand Years. Royal Academy of Arts, London, 2005. Página 20. (em inglês)
  8. Christopher I. Beckwith, Empires of the Silk Road: A History of Central Eurasia from the Bronze Age to the Present, Princeton University Press, 2011, p. 9 (em inglês)