O Banco Finantia, S.A. (BF) é um banco global e independente de origem portuguesa, com mais de 30 anos de experiência, em serviços especializados na banca privada e corporativa, cuja sede central é em Lisboa.

Banco Finantia
Razão social Banco Finantia, S.A.
Empresa de capital aberto
Atividade Finanças e Investimento
Fundação 1987 (37 anos)
Sede Lisboa, Portugal Portugal
Área(s) servida(s) Portugal Portugal,  Brasil,

Espanha,  Reino Unido,
 Estados Unidos

Produtos Serviços bancários, Serviços financeiros, Depósito bancário
Website oficial Banco Finantia

A atividade do Finantia começou em 1987, como empresa de serviços financeiros, contando com investidores privados nacionais. A escritura pública realizou-se a 31 de Julho de 1987.«Banco Finantia» 

Os primeiros investidores estrangeiros do Finantia – Gestão e Consultoria Financeira, S.A. são Dupont Denand (Paris) e Wallace Smith (Londres).

Em 1988, o Finantia associa-se à Goldman Sachs e transforma-se em Sociedade de Investimentos. Um ano depois começa a gerir o primeiro fundo de tesouraria em Portugal, o Lloyds Curto Prazo. A licença bancária chegaria em 1992.

Com presença nos mercados nacional e internacional, o Banco Finantia atua em segmentos de mercado selecionados: banca privada e banca de investimentos. Os serviços do grupo Finantia incluem também a Gestão Patrimonial e operações de financiamento no mercado de capitais[1].

A atividade de Banca Privada concentra-se na Península Ibérica e a de Banca de Investimento desenvolve-se no corredor Península Ibérica/América Latina e nos mercados turco, russo e da Comunidade de Estados Independentes, através dos escritórios de Lisboa, Londres, Madrid, Nova Iorque, São Paulo e Miami.

Os principais acionistas são a Finantipar (holding controlada pelo Senior Management do Banco Finantia), o Natixis (França), o VTB Capital PLC (Reino Unido) e o WestLB (Alemanha).

O Banco Finantia está matriculado na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa, com o número único de pessoa coletiva e de matrícula 501.897.020, com um capital social de 150.000.000 euros.

Em 2016, o Banco Finantia, em conjunto com a VTB Capital, prestou assessoria ao grupo turco Yildirim na operação de aquisição de concessões portuárias à Mota-Engil e ao Novo Banco. Esta operação constituiu o maior investimento feito por uma empresa turca em Portugal. [2]

O Banco Finantia consta no estudo[3] de 2019 Brand Reputation Value efetuado pela consultora On Strategy, que tem como objetivo avaliar a reputação financeira das marcas em Portugal. No ranking estão empresas de diversos setores e indústrias e o Banco Finantia faz parte Top 10 no setor bancário.

O Banco Finantia integra desde 2016, a Terra Alliance e o Groupement Européen de Banques[4][5] que são organizações focadas na troca de informação sobre a situação financeira e bancária dos países onde operam os seus membros, e observam as principais iniciativas e tendências de mercado.

Em maio de 2019 o Banco Finantia escolheu, em assembleia-geral de acionistas, três novos administradores delegados para o triénio 2019 – 2021. David Guerreiro, Ricardo Caldeira e Telma Oliveira foram os eleitos para reforçar a gestão executiva que, desde 2017, operava sem o presidente executivo que deixou o cargo.[6]

Em novembro de 2021 o Banco Finantia, S.A concluiu o processo de fusão transfronteiriça com o Banco Finantia Spain, S.A., e este passa a ter a denominação de Banco Finantia Sucursal en España. O objetivo desta fusão é o de alcançar uma maior eficiência, capacidade de partilha de recursos e satisfazendo as crescentes exigências regulatórias. Além disso, permitirá aproveitar cada vez mais o know-how do Banco Finantia S.A. com mais de três décadas de história. [7]

Principais produtos e serviços editar

  • Depósitos a Prazo
  • Fundos de investimento
  • Gestão de Carteiras
  • Compra e Venda de Títulos
  • Mercado de Capitais
  • Trade Finance
  • Corporate Finance
  • Assessoria Financeira
  • Mergers and Acquisitions

Principais linhas de atuação editar

  • Crescimento sustentado — Os resultados do Banco Finantia têm sido sempre positivos. Em 2019, os lucros foram de 38,6 milhões de euros.[8]
  • Financeiramente sólido — O Banco Finantia tem como política manter rácios sólidos de solvabilidade. Em 2019, o rácio Common Equity Tier atingiu 21%.
  • Orientado para a Qualidade — O Banco Finantia tem recebido múltiplos prémios nacionais e internacionais ao longo dos anos, sendo de destacar os prémios “Best Smaller Bank in Western Europe 2005”, "O Melhor Grupo Financeiro em Portugal”, atribuído em 2005 e “Melhor Médio e Pequeno Banco em Portugal 2004”, atribuídos respetivamente pelas prestigiadas revistas EUROMONEY, PRÉMIO e EXAME.
  • Global — Grande parte das atividades do Banco Finantia envolvem operações cross-border.

Alguns prémios editar

  • “The Best M&A House in Portugal”, Revista Euromoney em 2001
  • “The Best M&A House in Portugal”, Revista Euromoney em 2002
  • “Best Local Partner in Portugal”, Revista Euromoney em 2003
  • “Best Local Partner in Portugal”, Revista Euromoney em 2004
  • "Melhor Médio e Pequeno Banco em Portugal”, Revista EXAME em 2004
  • "O Melhor Grupo Financeiro em Portugal”, atribuído pela Revista Prémio em 2005
  • “Best Smaller Bank in Western Europe”, atribuído pela Revista Euromoney em 2005
  • “Banco de Investimento do Ano”, atribuído pelos International Banker Banking Awards em 2014
  • “Melhor Banco privado em Portugal”, atribuído pelos Banking Awards em 2015
  • “The Best Corporate Bank in Portugal” , Global Banking & Finance Review Awards em 2017
  • “Best Private Banking Portugal“, Global Banking & Finance Awards 2018
  • Best Corporate Bank Portugal Portugal“, Global Banking & Finance Awards 2018[9]
  • “Best Investment Bank Portugal“, International Business Magazine 2018
  • O Banco Finantia foi considerado, novamente, o mais sólido - financial soundness - e o mais eficiente - cost-to-income - entre os 7 principais bancos a operar em Portugal no ranking ‘Top 250 EU Banks’ de 2019, elaborado pela revista “The Banker“[10]

Operações Mais Relevantes editar

2019 editar

  • O Banco Finantia atuou como entidade colocadora do empréstimo obrigacionista da SIC, televisão pertencente ao grupo Impresa, que começou com 30 milhões de euros e que acabou por obter um financiamento de 51 milhões de euros. A operação teve uma procura 3,96 vezes superior à oferta e foi a maior emissão de dívida de empresas desde 2013.[11][12]
  • O Banco Finantia foi uma das Entidades colocadoras do empréstimo obrigacionista lançado pela Mota-Engil cujo valor inicial era de 75 milhões de euros, mas que acabou por ser revisto. A operação de financiamento acabou por ser de 140 milhões de euros. A procura acabou por superar a oferta final em 1,35 vezes atingindo os 191,5 milhões de euros com 6.558 subscritores.[13]

2015 editar

  • O Banco Finantia assessorou o grupo turco Yildirim na compra dos terminais portuários da Tertir naquele que foi, à data, o maior investimento, de uma empresa turca em Portugal. Com a operação de 275 milhões de euros o Grupo Yldirim passou a liderar a atividade hinterland dos portos em Portugal.[14]

Indicadores Financeiros editar

2019 editar

  • O Banco Finantia foi, em 2018, o segundo banco com mais lucros entre as dez entidades de pequenas dimensões avaliadas pelo Jornal Económico, em junho de 2019. O resultado líquido consolidado em 2018 foi de 38,6 milhões de euros.[15]
  • O Banco Finantia regista, no primeiro semestre de 2019, um lucro líquido consolidado de 15,2 milhões de euros, traduzindo-se numa rentabilidade antes de impostos dos capitais próprios de 9,6%.
  • Em termos de solidez financeira, o Finantia atingiu um rácio Common Equity Tier 1 (CET1) de 21,8%, um dos mais elevados da banca europeia.
  • O Banco Finantia fechou o ano de 2019 com um resultado líquido de 36 milhões de euros pelo que a sua solidez financeira, medida pelo rácio Common Equity Tier 1 (CET1), atingiu os 23,9%, um dos mais elevados da banca europeia. Já o rácio de eficiência (cost-to-income) situou-se nos 32%.[16]
  • Em 2019, o ROE (return on equity) antes de impostos do Banco Finantia foi de 11,1%, o que representa um crescimento em relação aos 10,2% registados em 2018. Também a margem financeira, que atingiu os 61,4 milhões de euros, cresceu em relação aos dados do ano anterior.

2018 editar

  • Banco Finantia regista um lucro líquido consolidado de 38,6 milhões de euros, com um ROE (return on equity) antes de impostos de 10,2%.
  • Em termos de solidez financeira, o Finantia atingiu um rácio Common Equity Tier 1 (CET1) de 21%, um dos mais elevados da banca europeia.
  • A margem financeira do banco atingiu €60,5 milhões, ligeiramente acima do valor do ano anterior.
  • O Banco Finantia registou, em 2018, um lucro líquido por ação de 0,26 euros.

2017 editar

  • O Banco Finantia alcançou em 2017 um lucro de 42,3 milhões de euros (mais 38% do que em 2016) e a solidez financeira, medida pelo rácio de solvabilidade (CET1) do banco foi de 23%.[17]
  • De acordo com o Ranking 2017 efetuado pela revista britânica The Banker (Grupo Financial Times), o Banco Finantia, entre 250 bancos da UE, é o 5º banco a apresentar rácios de solidez financeira mais altos e o 6º banco em eficiência (cost-to-income).[18]
  • O Banco Finantia comemora 30 anos de atividade, com os melhores resultados da última década.[19]

2016 editar

  • O Banco Finantia registou em 2016 um lucro de 30,7 milhões de euros, uma subida de 11% face ao exercício de 2015.[20]
  • A solidez financeira do banco também foi reforçada: o rácio de capital (CET1) (Implementação Total) aumentou para 23,6% (tinha sido 22,3% em 2015).

2015 editar

  • O Banco Finantia aumentou lucros para 27,6 milhões em 2015[21].
  • A solidez financeira do banco voltou a crescer. O seu rácio de capital CET1 (que avalia a sua solidez) atingiu 22,6%, acima dos 18% de 2014.
  • O banco Finantia obteve o primeiro lugar em solidez financeira e rentabilidade em Portugal, de acordo com o ranking da The Banker para 2015[22].

2011 (1º Semestre) editar

  • O lucro líquido consolidado no primeiro semestre de 2011 situou-se em 5,5 milhões de euros.
  • O rácio de solvabilidade aumentou para 14,8%, tendo o Core Tier I alcançado o valor de 10,1%, valor que supera o exigido pela Troika e pelo Banco de Portugal para o final de 2012.

2010 editar

  • O Banco Finantia obteve um lucro líquido consolidado de EUR 10.9 milhões em 2010.
  • O Core Tier I foi de 9,7% acima dos 8% de "core capital" que vai passar a ser exigido aos bancos.
  • O rácio de solvabilidade (CAD) situou-se nos 13,8%, um dos mais elevados do sector.

2009 editar

  • O Banco Finantia obteve um lucro líquido consolidado de EUR 12,1 milhões em 2009, um aumento de 12% em relação aos EUR 10,8 milhões registados no ano anterior.
  • O resultado operacional (resultado líquido antes de imparidades e impostos) registou um aumento de 3,3% situando-se em EUR 92 milhões (EUR 89 milhões em 2008). A melhoria deste resultado deveu-se fundamentalmente ao aumento das comissões e outros proveitos e à redução dos custos operacionais.
  • O rácio de solvabilidade (CAD) situava-se no final de 2009 nos 14,1% (Core Tier I de 9,4%), um dos mais elevados do sector, de acordo com as regras de Basileia II.
  • Durante 2009 o Banco Finantia emitiu EUR 100 milhões de obrigações a 3 anos (rating A+ pela S&P) ao abrigo do programa de garantias do Estado português e titularizou ativos de crédito ao consumo no montante de EUR 125 milhões para desconto no Banco Central Europeu.

2008 editar

  • O Banco Finantia obteve um lucro consolidado de 10,8 milhões de euros em 2008.
  • No final do exercício de 2008 o rácio de solvabilidade (CAD) situava-se nos 13,7% (9,7% Tier I), representando uma melhoria em relação aos 13,3% apurados no ano anterior, de acordo com as regras de Basileia II.

Responsabilidade Social editar

Ao longo dos anos, o Banco Finantia tem estado envolvido em várias iniciativas de solidariedade social, apoio à a educação financeira e associação a atividades ligadas à preservação e divulgação do património artístico e cultural.

Desde 1997 que o Grupo Finantia colabora com o Palácio Nacional da Ajuda e o Banco tem contribuído para a aquisição e recuperação de várias peças do espólio do Palácio.

O Banco Finantia colabora com o ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão há vários anos, atribuindo um prémio ao melhor aluno do primeiro ano de mestrado em “Economia Internacional e Estudos Europeus” e patrocinando eventos como lançamentos de livros editados pela instituição.

O Banco Finantia é membro fundador da Fundação Serralves (1995) onde tem patrocinado diversos programas culturais e sociais.

Em março de 2019, o Banco Finantia foi patrocinador da primeira Conferência Anual Internacional de Model United Nations (MUD), uma simulação das Nações Unidas realizada ao nível do ensino secundário e universitário.

Internacionalização do Banco Finantia editar

  • O Grupo aumentou as operações internacionais, tirando partido de plataformas existentes em Portugal, Espanha, Londres, Nova Iorque e São Paulo e ainda abriu escritórios em Malta (Finantia Malta Ltd) e também em Miami, bases adicionais para o apoio do negócio internacional.
  • Em 2016, com o aumento do número de clientes da banca privada, o Grupo Finantia abriu uma agência para servir os clientes desse setor, no centro de Lisboa.

Referências

  1. «Serviços do Grupo Finantia» 
  2. «Nunca os turcos gastaram tanto dinheiro em Portugal: Mota-Engil vende Tertir por €275 milhões» 
  3. «Criar e gerir valor para os clientes» 
  4. «Groupement Européen de Banques - G.E.B. Banks». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  5. «Groupement Européen de Banques - Groupement Européen de Banques». Consultado em 30 de janeiro de 2020 
  6. «Banco Finantia acaba com "vazio" na gestão executiva e nomeia três administradores delegados». Consultado em 27 de março de 2020 
  7. «Banco Finantia, S.A concluiu o processo de fusão transfronteiriça com o Banco Finantia Spain, S.A.». Consultado em 5 de janeiro de 2022 
  8. «Banco Finantia aprova modelo de governo e lucra 39 milhões em 2018». 31 Maio 2019. Consultado em 29 Outubro 2019 
  9. «GLOBAL BANKING & FINANCE AWARDS® – 2018 – Award Winners». Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  10. «Top 250 EU Banks ranking 2019: a slow growth story». Consultado em 27 de dezembro de 2019 
  11. «SIC paga juro de 4,5% em emissão de 30 milhões no retalho». Consultado em 27 de fevereiro de 2020 
  12. «Procura de obrigações da SIC foi 3,96 vezes superior à oferta». Consultado em 27 de fevereiro de 2020 
  13. «Mota-Engil ganha 6.558 obrigacionistas. Procura atingiu os 191 milhões de euros». Consultado em 29 de abril de 2020 
  14. «Yilport Buys Tertir in Record Turkish Deal in Portugal». Consultado em 29 de junho de 2020 
  15. «Dez bancos pequenos lucram 91,46 milhões em 2018, metade do ano anterior» 
  16. «Finantia cresce na banca privada em 2019». Consultado em 29 de setembro de 2020 
  17. «Lucro do Banco Finantia aumenta 38% para 42,3 milhões de euros em 2017». Consultado em 14 de Novembro de 2018 
  18. «Top 250 EU Banks ranking: profits and capital down but Austria shines». Consultado em 14 de Novembro de 2018 
  19. «Banco Finantia tem o melhor resultado da década. Lucra 42 milhões». Consultado em 14 de Novembro de 2018 
  20. «Banco Finantia lucra €30,7 milhões». 9 de Março de 2017 
  21. «Finantia aumentou lucros para 27,6 milhões em 2015». 7 de março de 2016. Consultado em 3 de maio de 2018 
  22. «Revista The Banker coloca Finantia como banco mais sólido e rentável em Portugal». Consultado em 3 de maio de 2018 

Ligações externas editar

  Este artigo sobre um banco ou instituição financeira é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.