Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para a batalha de 971, veja Cerco de Dorostolo.
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações (desde junho de 2019). Ajude a melhorar este artigo inserindo fontes.
Batalha de Silistra
Invasão da Bulgária por Esvetoslau
Data Primavera de 968
Local Silistra, na moderna fronteira entre Bulgária e Romênia
Desfecho Vitória dos rus'
Beligerantes
Primeiro Império Búlgaro Império Búlgaro Rússia de Quieve Rússia de Quieve
Comandantes
Primeiro Império Búlgaro Desconhecido Rússia de Quieve Esvetoslau I
Forças
30 000 60 000
Baixas
Pesadas Pesadas
Silistra está localizado em: Bulgária
Silistra
Localização de Silistra no que é hoje a Bulgária

A Batalha de Silistra ocorreu na primavera de 968 perto da cidade búlgara de Silistra, mas, provavelmente, no atual território da Romênia. Ela foi travada entre os exércitos do Império Búlgaro e a Rússia de Quieve, resultado em vitória dos rus'. Quando soube da derrota, o imperador búlgaro Pedro I abdicou. A invasão da Bulgária pelo grão-príncipe Esvetoslau I foi um sério golpe para os búlgaros que, em 971, já haviam perdido todas as províncias orientais para o Império Bizantino.

Índice

Origens do conflitoEditar

 
Invasão da Bulgária pela Rússia de Quieve

A partir da década de 940, os magiares passaram a lançar repetidos raides em território búlgaro. O imperador Pedro não conseguia impedi-los e, como os bizantinos não se prontificavam a ajudá-lo, ele acabou finalmente se aliado aos invasores e deu-lhes um salvo-conduto para que passassem pela Bulgária a caminho das ricas terras da Trácia bizantina. Em 968, o imperador bizantino Nicéforo II Focas retaliou pagando ao cnezo ("príncipe") Esvetoslau para que ele atacasse a Bulgária.

A batalhaEditar

Esvetoslau juntou 60 000 soldados e iniciou sua campanha no início da primavera de 968. Ele encontrou as forças búlgaras, que contava com apenas 30 000 soldados, perto de Silistra. A batalha continuou pelo dia todo e, ao anoitecer, os búlgaros pareciam ter conseguido subjugar os quievanos, mas, inspirados pelo exemplo pessoal do príncipe, as forças de Quieve reverter a situação e, ajudados pelo exército maior, acabaram vencendo. Os búlgaros recuaram para a fortaleza de Silistra e aguentaram o cerco que se seguiu.

ConsequênciasEditar

As forças dos russos continuaram sua vitoriosa campanha e, mesmo sem terem conseguido tomar Silistra, tomaram 80 outras fortalezas. Esvetoslau terminou, finalmente, sendo forçado a retornar a Quieve depois que a diplomacia búlgara incitou os pechenegues, que cercaram Preslava. Porém, eles retornaram no ano seguinte e arrasaram as terras orientais búlgaras.

BibliografiaEditar

  • Атанас Пейчев и колектив, 1300 години на стража, Военно издателство, София 1984.
  • Йордан Андреев, Милчо Лалков, Българските ханове и царе, Велико Търново, 1996.
  • Божидар Димитров, Българите-първите европейци, София, 2002.