A Binance é uma bolsa global de criptomoedas que fornece uma plataforma para a negociação de mais de 100 moedas criptográficas. Desde o início de 2018, a Binance é considerada a maior exchange de criptomoedas do mundo em termos de volume de negociação. Em agosto de 2017 a Binance lançou sua primeira ICO, a Binance Coin (BNB).[1]

Binance
Fundação 2017
Fundador(es)
Sede Não tem sede central
Pessoas-chave Changpeng Zhao (CEO)
Produtos Casa de câmbio
Website oficial www.binance.com

HistóriaEditar

O CEO Changpeng Zhao havia fundado a Fusion Systems em 2005 em Xangai; a empresa construiu sistemas de negociação de alta frequência para corretores. Em 2013 ele se juntou ao Blockchain.info como o terceiro membro da equipe da carteira de criptomoeda. Ele também trabalhou na OKCoin como CTO por menos de um ano, uma plataforma para negociação spot entre ativos digitais e fiat.[2]

A empresa foi fundada na China, mas transferiu seus servidores e sedes da China para o Japão antes da proibição do governo chinês sobre o comércio de criptografia em setembro de 2017.[3] Em março de 2018, a empresa havia estabelecido escritórios em Taiwan.[2]

A partir de janeiro de 2018, foi a maior troca de criptomoedas com uma capitalização de mercado da moeda Binance (BNB) de US $ 1,3 bilhão.[1]

Em março de 2018, a Binance anunciou sua intenção de abrir um escritório em Malta após regulamentações mais rígidas no Japão e na China[4] Em abril de 2018, Binance assinou um Memorando de Entendimento (MoU) com o Governo das Bermudas.[5] Meses depois, um memorando similar foi assinado com a Bolsa de Valores de Malta para desenvolver uma plataforma para troca de tokens de segurança[6] Em 2019, a empresa anunciou a Binance Jersey, uma entidade independente de sua matriz, a Binance.com, com o objetivo de expandir sua influência na Europa. A bolsa baseada em Jersey oferece pares fiat-to-cryptocurrency, incluindo o euro e a libra esterlina.[7]

Em agosto de 2018, Binance e outras três grandes bolsas arrecadaram US$ 32 milhões para um projeto de moeda estável. A ideia de moedas estáveis é fornecer uma criptomoeda sem a notória volatilidade do Bitcoin e outros ativos digitais populares.[8]

Em janeiro de 2019, a Binance anunciou que havia feito parceria com o processador de pagamentos Simplex baseado em Israel para permitir compras com criptografia com cartões de débito e crédito, incluindo Visa e Mastercard. As compras estão sujeitas às políticas bancárias locais da Simplex e são limitadas a Bitcoin, Ethereum, Litecoin e Ripple’s XRP.[9]

Em 7 de maio de 2019, Binance revelou que tinha sido vítima de uma “violação de segurança em grande escala” na qual hackers haviam roubado 7.000 Bitcoins no valor de US$ 40 milhões na época.[10] O CEO da Binance, Changpeng Zhao, disse que os hackers “usaram uma variedade de técnicas, incluindo phishing, vírus e outros ataques” e estruturaram sua transação “de uma forma que passou em nossas verificações de segurança”.[11] Binance parou mais saques e depósitos mas permitiu que a negociação continuasse. O site se comprometeu a reembolsar os clientes por meio de seu fundo de ativos seguros (Cold Wallet), e hoje em dia todos já foram reembolsados.

Tokenização de açõesEditar

A Binance lançou sua primeira ação tokenizada no dia 12 de abril de 2021, permitindo que seus clientes comprassem tokens atrelados ao valor da Tesla (TSLA). Três dias depois, a exchange listou ações fracionárias da Coinbase (COIN).[12] No dia 26 de abril de 2021, a Binance anunciou os pares de ações tokenizadas da Microstrategy (MSTR), Apple (AAPL) e Microsoft (MSFT).[13] No final de abril, a Autoridade de Supervisão Financeira Federal (BaFin) alertou que a exchange poderia enfrentar pesadas multas por lançar tokens rastreando valores mobiliários sem um prospecto de investidor que o acompanha.[14]

Desde 16 de julho de 2021, a Binance deixou de oferecer os tokens de ações devido a pressões reguladoras, em particular da Comissão de Valores Mobiliários e Futuros de Hong Kong.[15]

Referências