Boemundo VI de Antioquia

Boemundo VI de Antioquia (ca. 123711 de março de 1275), cognominado o Belo (le Beau), era filho de Boemundo V de Antioquia e Lúcia de Segni. foi Príncipe de Antioquia (como Boemundo VI) e Conde de Trípoli (como Boemundo III) a partir de 1252 até à sua morte. Ficou sob regência da mãe até atingir a maioridade em dezembro de 1252. Foi durante o seu reinado que Antioquia foi capturada pelos impérios combatentes dos mongóis e dos mamelucos egípcios. Em 1268, Antioquia acaba capturada pelos Mamelucos, sendo a partir daí um príncipe somente de jure. Foi sucedido pelo filho, Boemundo (VII de Antioquia, IV de Trípoli), sendo somente conde reinante em Trípoli, mas mantendo o título do pai em Antioquia.

Boemundo VI de Antioquia
Nascimento 1237
Morte 1275
Progenitores
  • Bohemond V of Antioch
  • Luciana di Segni
Cônjuge Sibila da Arménia
Filho(s) Lucia, Countess of Tripoli, Bohemond VII, Count of Tripoli, Mary of Antioch
Irmão(s) Plaisance of Antioch
Título prince of Antioch, comte de Tripoli
Armoiries Bohémond VI d'Antioche.svg

Boemundo VI foi investido como cavaleiro pelo rei Luís IX de França, em Jafa, em 1252. Com ele restauraram-se as boas relações com o Reino Arménio da Cilícia, celebrando-se essa aliança como seu casamento com Sibila da Arménia, filha do rei Hetum I da Arménia. Entretanto, Bertrand Embriaco havia-se rebelado contra Boemundo em Trípoli, cercando a cidade em 1258. No combate entre ambos, apesar de vitorioso, Boemundo saiu ferido. Prestou homenagem, com o pai do sogro, homenagem a Hulagu Cã, depois do Cerco de Bagdade e acompanhou o general mongol Quedebuga aquando da conquista de Alepo e Damasco.

Depois da conquista da Galileia e da invasão da Arménia pelos mamelucos, o exército mameluco cercou Antioquia, a 18 de maio de 1268. Apesar de abandonar Antioquia, manteve o título de Príncipe e continuou a governar de facto em Trípoli desde 1268. Em maio de 1271, o sultão Baibars ofereceu a Boemundo uma trégua de 10 anos, como recompensa pelo reconhecimento de todas as recentes conquistas. Boemundo uniu-se a Eduardo, filho de Henrique III de Inglaterra, que participava na Nona Cruzada e havia desembarcado em Acre a 9 de maio de 1271. Porém, jutnos conseguiram poucos progressos em relação ao avanço dos mamelucos.

Boemundo falece a 11 de março de 1275, deixando a sua esposa viúva e o seu herdeiro ainda menor de idade. Após a sua morte, Sibila encarregou-se da regência.

Casamento e descendênciaEditar

Em 1254, Boemundo VI casou-se com Sibila da Arménia, filha de Hetum I da Arménia e Isabel da Arménia. Deste casamento houve a seguinte descendência:

  • Boemundo VII (1261 - 19 de outubro de 1287), herdeiro dos títulos e possessões do pai;
  • Isabel (n. depois de 1261), morreu jovem;
  • Lúcia (faleceu em 1299), Condessa de Trípoli, após a morte do irmão sem herdeiros.
  • Maria (faleceu em c. 1280), casada com Nicolau de Saint-Omer (m. 1294)


Precedido por
Boemundo V
 
Príncipe de Antioquia

1252 - 1268
Sucedido por
Precedido por
Anexação do Principado ao Império Mameluco: Criação do título
 
Príncipe titular de Antioquia

1268 - 1275
Sucedido por
Boemundo VII
Precedido por
Boemundo V
 
Conde de Trípoli

1252 - 1275
Sucedido por
Boemundo VII