Brendan Behan

Brendan Francis Aidan Behan,[1] em irlandês Breandán Ó Beacháin (Dublin, 9 de fevereiro de 1923 — Dublin, 20 de março de 1964) foi um poeta irlandês, contista, romancista e dramaturgo que escreveu em inglês e irlandês. Ele foi nomeado pela Irish Central como um dos maiores escritores irlandeses de todos os tempos.[2]

Brendan Behan
Nascimento 9 de fevereiro de 1923
Dublin
Morte 20 de março de 1964 (41 anos)
Dublin
Sepultamento Cemitério de Glasnevin
Cidadania República da Irlanda
Progenitores
  • Stephen Behan
  • Kathleen Behan
Cônjuge Beatrice Behan
Irmão(s) Brian Behan, Dominic Behan
Alma mater
  • Instituto de Tecnologia de Dublin
Ocupação escritor, poeta, jornalista, autor-compositor
Obras destacadas The Quare Fellow, The Hostage, Borstal Boy
Causa da morte diabetes mellitus

Republicano irlandês e voluntário no Exército Republicano Irlandês, Behan nasceu em Dublin em uma família republicana convicta, tornando-se membro da organização juvenil do IRA, Fianna Éireann, aos quatorze anos. Havia também uma forte ênfase na história e cultura irlandesa em casa, o que significava que ele estava imerso em literatura e baladas patrióticas desde tenra idade. Behan acabou se juntando ao IRA aos dezesseis anos, o que o levou a cumprir pena em uma prisão juvenil no Reino Unido e também foi preso na Irlanda. Durante este tempo, ele se encarregou de estudar e tornou-se um falante fluente da língua irlandesa. Posteriormente libertado da prisão como parte de uma anistia geral dada pelo governo Fianna Fáil em 1946, Behan mudou-se entre casas em Dublin, Kerry e Connemara, e também residiu em Paris por um tempo.

Em 1954, a primeira peça de Behan, The Quare Fellow, foi produzida em Dublin. Foi bem recebida; no entanto, foi a produção de 1956 no Theatre Workshop de Joan Littlewood em Stratford, Londres, que deu a Behan uma reputação mais ampla. Isso foi ajudado por uma famosa entrevista bêbada na televisão BBC com Malcolm Muggeridge. Em 1958, a peça de Behan em língua irlandesa An Giall teve sua estreia no Damer Theatre de Dublin. Mais tarde, The Hostage, a adaptação em inglês de An Giall por Behan, teve grande sucesso internacional. O romance autobiográfico de Behan, Borstal Boy, foi publicado no mesmo ano e se tornou um best-seller mundial.

No início dos anos 1960, Behan atingiu o auge de sua fama. Ele passou cada vez mais tempo na cidade de Nova York, declarando famosamente: "Para a América, minha nova terra encontrada: o homem que odeia você odeia a raça humana".[3] A essa altura, Behan começou a passar tempo com pessoas como Harpo Marx e Arthur Miller e foi seguido por um jovem Bob Dylan.[4] No entanto, essa fama recém-descoberta não fez nada para ajudar sua saúde ou seu trabalho, com suas condições médicas de alcoolismo e diabetes continuando a se deteriorar: Nova York e Confissões de um rebelde irlandês de Brendan Behan recebeu poucos elogios. Ele tentou brevemente combater isso por um período seco enquanto estava hospedado no Chelsea Hotel em Nova York, e em 1961 foi internado no Sunnyside Private Hospital,  uma instituição para o tratamento do alcoolismo em Toronto,[5] mas mais uma vez voltou ao álcool e recaiu no alcoolismo ativo.

TrabalhosEditar

PeçasEditar

  • The Quare Fellow (1954)
  • An Giall (The Hostage) (1958)
    • Behan escreveu a peça em irlandês e a traduziu para o inglês.
  • Richard's Cork Leg (1972)
  • Moving Out (peça em um ato, encomendada para rádio)
  • A Garden Party (peça em um ato, encomendada para rádio)
  • The Big House (1957, peça de um ato, encomendada para rádio)

LivrosEditar

  • Borstal Boy (1958)
  • Brendan Behan's Island (1962)
  • Hold Your Hour and Have Another (1963)
  • Brendan Behan's New York (1964)
  • Confessions of an Irish Rebel (1965)
  • The Scarperer (1963)
  • After The Wake: Twenty-One Prose Works Including Previously Unpublished Material (póstumo – 1981)

MusicaEditar

  • Brendan Behan Sings Irish Folksongs and Ballads Spoken Arts Records SAC760 (1985)
  • The Captains and the Kings

BiografiasEditar

  • Brendan Behan – A Life de Michael O'Sullivan
  • My Brother Brendan de Dominic Behan
  • Brendan Behan de Ulick O'Connor
  • The Brothers Behan de Brian Behan
  • With Brendan Behan de Peter Arthurs
  • The Crazy Life of Brendan Behan: The Rise and Fall of Dublin's Laughing Boy by Frank Gray
  • My Life with Brendan de Beatrice Behan
  • Brendan Behan, Man and Showman by Rae Jeffs

ReferênciasEditar

  1. Brendan Behan: A Life, Michael O'Sullivan, pg 23
  2. «From James Joyce to Oscar Wilde, top ten Irish novelists in history». IrishCentral.com. Consultado em 27 de outubro de 2015. Cópia arquivada em 17 de agosto de 2016 
  3. «NYC – Chelsea – Hotel Chelsea – James Schuyler, Brendan Behan». Flickr (em inglês). Consultado em 25 de maio de 2017. Cópia arquivada em 11 de maio de 2017 
  4. «Brendan's tragic voyage: Behan in the USA: The Rise and Fall of the Most Famous Irishman in New York». The Irish Times (em inglês). Consultado em 25 de maio de 2017. Cópia arquivada em 1 de novembro de 2014 
  5. «Behan enters alcoholics clinic for treatment». The Globe and Mail. 28 de março de 1961 
  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Brendan Behan