Abrir menu principal

Cândido Procópio Ferreira de Camargo

Cândido Procópio Ferreira de Camargo (São Carlos,[1]1922- São Paulo, 1987[2]) foi um sociólogo e demógrafo brasileiro.

Graduado em Direito pela USP (1945) e em Filosofia, pela PUC-SP (1949), [3]posteriormente tornou-se professor da Escola de Sociologia e Política [4]e da PUC-SP.

Em 1971, dirigiu o Centro de Estudos de Dinâmica Populacional (Cedip) da Universidade de São Paulo e, posteriormente, o Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), [3][5] do qual foi um dos fundadores. [6]

Cândido Procópio foi um dos primeiros membros da Comissão de Justiça e Paz da Arquidiocese de São Paulo [3]:55 e era muito próximo ao cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, uma das personalidades mais importantes da resistência à ditadura militar. Em 1975, Procopio levou ao CEBRAP uma encomenda do cardeal Arns: um estudo que retratasse de forma objetiva as condições da população pobre de São Paulo. Formou-se então uma equipe que trabalhou com grande inspiração e entusiasmo. "Vínhamos estudando o assunto sob diferentes ângulos, e o trabalho permitiu-nos sintetizar anos de pesquisa e reunir os vários fios da meada." [7] No ano seguinte, saiu o livro São Paulo 1975: crescimento e pobreza,[8] que se tornou um êxito editorial quase sem precedentes no país, apesar da censura então vigente. O impacto do livro na opinião pública foi tão grande que muitos atribuíram a bomba jogada nas instalações do Cebrap em 1976 a uma retaliação por parte dos aparelhos da repressão militar–policial. [9]

A contribuição de Cândido Procópio na área da sociologia da religião no Brasil é considerada fundamental.[10]Nos anos 1970 e 1980, realizou estudos sobre o catolicismo, destacando os novos movimentos sociais e suas organizações de base, destacando-se o papel das Comunidades Eclesiais de Base]] (CEBs). A Teologia da Libertação e a "opção preferencial da Igreja Católica pelos pobres" tornam-se, então, o objeto privilegiado de estudos sobre o catolicismo nas ciências sociais no país.

Seu livro Católicos, Protestantes, Espíritas (1973) é considerado como um marco da Sociologia da Religião no Brasil, por conter o primeiro estudo concreto de um grande número de casos, amparado por uma teoria sociológica de peso, com uma importante contribuição para a metodologia weberiana.[11]A obra teve como objetivo apresentar o panorama religioso brasileiro e suas relações com o processo social inclusivo, destacando o pluralismo religioso como um fato social novo no Brasil, onde até então havia uma espécie de monopólio do catolicismo.

Foi orientador acadêmico de intelectuais destacados, tais como Beatriz Muniz de Souza, Antônio Flávio Pierucci[12] e Reginaldo Prandi. Integrou as bancas de livre-docência de Maria Isaura Pereira de Queiroz, Fernando Henrique Cardoso, Florestan Fernandes, Paula Beiguelman, Paul Singer e outros.

Obras publicadasEditar

  • Kardecismo e umbanda. Pioneira, 1961.
  • Católicos, protestantes, espíritas. Vozes, 1973.
  • Aspectos sociológicos del espiritismo en São Paulo. Oficina Internacional de Investigaciones Sociales de FERES, 1961
  • Igreja e desenvolvimento. Cebrap, 1971

Referências

  1. REYES HERRERA, Sonia Elizabeth Reconstrução do processo de formação e desenvolvimento da área de estudos da religião nas ciências sociais brasileiras. Porto Alegre: UFRGS, 2004
  2. Procópio: a verdade de cada qual[ligação inativa]. Por Vinícius Caldeira Brant. Novos Estudos CEBRAP, São Paulo n.° 17, pp. 36-37, maio de 1987
  3. a b c FESTER, Antonio Carlos Ribeiro Justiça e paz: memórias da Comissão de São Paulo. Edicoes Loyola, 2005, p. 48
  4. Cândido Procópio Ferreira de Camargo, amigo, mestre e colega. Por Maria Stella Ferreira Levy. Revista de Saúde Pública, vol. 22 n°2 São Paulo, abril de 1988 ISSN 1518-8787
  5. Reflexões Acerca do Mundo Cultural e do Comportamento Reprodutivo dos Kamaiurá Ontem e Hoje. Por Carmen Junqueira, Cândido P. F. de Camargo e Heloísa Pagliaro. In PAGLIARO, H., AZEVEDO, MM. e SANTOS, RV. (orgs.) Demografia dos povos indígenas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2005. ISBN 85-7541-056-3.
  6. SORJ, Bernardo A construção intelectual do Brasil contemporâneo - Da resistência à ditadura ao governo FHC. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2001 ISBN 85-7110-610-x
  7. Cândido Procópio, o gentil combatente Arquivado em 3 de março de 2016, no Wayback Machine. Paul Singer. Novos estudos Cebrap, 17 de maio de 1987.
  8. BRANT, Vinicius Caldeira (org) CAMARGO, Cândido Procópio Ferreira de; CARDOSO, Fernando Henrique; MAZZUCCHELLI, Frederico; Moisés, José Álvaro; KOWARICK, Lúcio; ALMEIDA, Maria Hermínia Tavares de ; SINGER, Paulo Israel São Paulo 1975. Crescimento e pobreza. São Paulo, Edições Loyola, 1976.
  9. Inovação, rigor e ascese: entre a vida e a obra de Vinicius Caldeira Brant. Por Francisco de Oliveira. Tempo Social vol. 13 n° 1. São Paulo, maio de 2001 ISSN 1809-4554
  10. Catolicismo e ciências sociais no Brasil: mudanças de foco e perspectiva num objeto de estudo. Por Carlos Alberto Steil e Sonia Reyes Herrera. Sociologias, Porto Alegre, ano 12, n° 23, jan.-abr. 2010, p. 354-393
  11. Encontro temático discutiu a obra de Cândido Procópio Ferreira de Camargo. Evento realizado na PUC-SP entre 26 e 28 de agosto discutiu os principais pontos do livro "Católicos, protestantes, espíritas", publicado em 1973. Por Luís Mauro Sá Martino. Revista de Estudos da Religião - REVER ISSN 1677-1222. Pós-Graduação em Ciências da Religião. PUC-SP
  12. Antônio Flávio Pierucci (1945-2012). Por Paula Montero. Novos Estudos - CEBRAP n° 93 São Paulo, julho de 2012 ISSN 0101-3300

Ligações externasEditar


  Este artigo sobre sociologia ou um sociólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.