Os códices (ou codex, da palavra em latim que significa "livro", "bloco de madeira") eram os manuscritos gravados em madeira, em geral do período da era antiga tardia até a Idade Média. Manuscritos do Novo Mundo foram escritos por volta do século XVI.

Fólio 292r do Livro de Kells, que contém o texto que abre o Evangelho segundo João

O códice é um avanço do rolo de pergaminho, e gradativamente substituiu este último como suporte da escrita. O códice, por sua vez, foi substituído pelo livro. As primeiras comunidades cristãs foram as responsáveis pela substituição gradual do volumen (o rolo antigo) pelo códice. Nesse sentido, a história da disseminação do códice como modelo de suporte de escrita está diretamente associada à difusão do cristianismo. Os monges e padres da Igreja Cristã primitiva empenhavam-se em conservar tanto obras da cultura judaico-cristã quanto obras da tradição clássica greco-romana, reproduzindo cópias minuciosas em pergaminhos que eram costurados em blocos, formando o códice. Este foi o principal veículo de difusão escrita do cristianismo e de conservação da cultura clássica.[1]


Alguns CódicesEditar

Ver tambémEditar