Abrir menu principal
Caetano de Brito e Figueiredo
Pseudônimo(s) Nubiloso
Nascimento 1671
Lisboa
Morte 1732 (61 anos)
Alma mater Universidade de Coimbra
Ocupação juiz de fora, desembargador, escritor
Gênero literário Arcadismo

Caetano de Brito e Figueiredo (1671 — 1732) foi um jurista e poeta português, que serviu também como governador interino do Brasil Colonial.

Era licenciado em direito pela Faculdade de Leis e pela Faculdade de Cânones da Universidade de Coimbra, serviu como juiz de fora de Óbidos e de Silves, como ouvidor de Faro. Veio ao Brasil para ser desembargador da Relação da Bahia. Neste período, com a morte do governador D. Sancho de Faro e Sousa, em 1719, exerceu também o governo civil junto ao arcebispo de São Salvador da Bahia, D. Sebastião Monteiro da Vide e João de Araújo e Azevedo.[1][2]

De volta à Corte, foi vereador da Câmara de Lisboa e nomeado cavaleiro da Ordem de Cristo.

É um dos membros fundadores da Academia Brasílica dos Esquecidos, com o epíteto de Nubiloso.

ObraEditar

  • Diário Panegírico (1718)

Referências

BibliografiaEditar

  • Coutinho, Afrânio; SOUSA, J. Galante de (José Galante de). (2001). Enciclopédia de literatura brasileira. 2. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional, Academia Brasileira de Letras. ISBN 8526007238 
Precedido por
Sancho de Faro e Sousa
Membro da junta governativa do Brasil
1719 - 1720
Sucedido por
Vasco Fernandes César de Meneses