Abrir menu principal

Caingangue (filme)

filme de 1974 dirigido por Carlos Hugo Christensen
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2011). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Caingangue
 Brasil
1974 •  cor •  101 min 
Direção Carlos Hugo Christensen
Roteiro Carlos Hugo Christensen (roteiro)
Péricles Leal (argumento e diálogos)
Elenco David Cardoso
Irma Álvarez
Sérgio Britto
Género faroeste
Idioma português
Página no IMDb (em inglês)

Caingangue ou Caingangue, A Pontaria do Diabo é um filme brasileiro de 1974, do gênero aventura em estilo faroeste, escrito e dirigido por Carlos Hugo Christensen.[1] Arranjos e interpretações musicais de Quarteto Lyra e participação especial de Vigilberto Benitez e Joly Sanches. As locações foram em Mato Grosso (atual Mato Grosso do Sul), por indicação do ator protagonista David Cardoso que é natural da região. Apesar de ambientado no Brasil, o filme segue as influências dos faroestes italianos e norte-americanos, principalmente a Trilogia dos Dólares e Shane.

Índice

ElencoEditar

Obs.: Nomes dos personagens de acordo com os créditos finais do filme

SinopseEditar

A história começa quando o pai de um jovem mestiço índio é morto numa emboscada numa estrada perto da fronteira do Mato Grosso (atual Mato Grosso do Sul) com o Paraguai. Anos depois, o jovem vagueia pelo Cerrado como o misterioso pistoleiro solitário conhecido como Caingangue. Cavalgando pelos campos, ele avista a família do posseiro Zé Cajueiro sendo ameaçada por um bando de jagunços. Com rapidez ele age e imediatamente cinco jagunços caem mortos. Caingangue leva os cadáveres para a vila de Santa Helena, quando o sinistro coveiro Lírio Branco de Jesus os identifica como capangas do Doutor Ribeiro, proprietário da Fazenda Ouro Verde. Em poucas palavras, Lírio conta a história do lugar, marcado por confrontos de 20 anos entre os posseiros e os grileiros. Caingangue diz a todos que "está de passagem" mas aos poucos resolve intervir na luta do lado dos posseiros.

Canções da trilha sonoraEditar

De acordo com os créditos iniciais:

  • "Missionera - Bustamante
  • "Clarita" - Joly Sanches
  • "Linda Morena" - Pedro Gonçalves
  • "Colorado" - Popular
  • "Camino de Mi Esperanza - Antonio alvarez Martinez
  • "Acariciando El Arpa"
  • "Che Sy My Porã"- Maurício Cardozo Ocampo
  • "Arpa Paraguaya" - Joly Sanches e Luís Bordon
  • "Pajaro Campana" - Felix Perez Cardoso
  • "Don Arante" - Antonio Alvarez Martinez
  • "La Golondrina" - Silverio Villanueva
  • "Caminito" - J. de Dios Felisberto e G. Coria Peña Loza

Referências


  Este artigo sobre um filme de faroeste é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.