Capela de Nossa Senhora da Penha de França (Faial)

capela em Santana, Madeira, Portugal
Capela de Nossa Senhora
da Penha de França
Nomes alternativos Capela da Penha
Construção 1685
Proprietário inicial António Teixeira Dória
Função atual Religiosa
Religião Catolicismo
Património Nacional
Classificação Valor Local
Data 1996
SIPA 8401
Geografia
País Portugal
Cidade Santana (Madeira)

A capela de Nossa Senhora da Penha de França é uma capela na ilha da Madeira, em Portugal, mais especificamente no sítio da Fazenda, na freguesia do Faial, concelho de Santana. É uma ermida católica escavada numa rocha (penha) e datada do século XVII, mas com origens mais remotas. Segundo consta, na mesma rocha outrora haveria uma mesquita construída por escravos muçulmanos (mouriscos), que teria sido descoberta e destruída por um natural da zona e substituída por aquele pequeno templo cristão.[1][2][3][4]

HistóriaEditar

Consta que, no século XVI, havia uma mesquita improvisada no local, escavada na pedra por escravos muçulmanos oriundos das Áfricas, fugidos dos donos madeirenses, e que lhes servia de refúgio. Irvão Teixeira terá descoberto e destruído a mesquita e criado, no mesmo sítio, uma capela cristã. Uma referência a esta história é um artigo do Correio da Madeira, de 22 de setembro de 1922, da autoria do padre Fernando de Meneses Vaz.[5]

Em 1685 (data inscrita sobre a portela), fundou-se a atual capela pelas mãos de António Teixeira Dória, descendente de Irvão Teixeira e 5.º neto do 1.º donatário de Machico, Tristão Vaz Teixeira.[2]

Em 1904, João Teodoro Figueira, então proprietário da capela, vendeu-a à família dos atuais donos e procedeu a algumas reparações. Em 1984, no 3.º domingo de outubro, reinstituiu-se a antiga romaria da Penha de França. Em 1996, deram-se obras de conservação geral pela Direção Regional dos Assuntos Culturais.[1]

DescriçãoEditar

É um edifício de arquitetura religiosa, popular e maneirista, envolvido por adro cimentado e murado. A capela é escavada num tufo vulcânico vermelho e tem a fachada rasgada por um portal de arco de volta perfeita (de cantaria vermelha do Cabo Girão), com a data de 1685 inscrita na chave do arco. As portadas são de madeira vermelho-escura. A cobertura, em alvenaria pintada de branco, é encimada por uma cruz latina (de cantaria vermelha do Cabo Girão) sobre um acrotério e por uma sineira com um sino de bronze dourado.

No interior, a rocha forma um teto em abóbada de berço irregular e existe um pequeno altar de cantaria maneirista. No lado da Epístola, há uma pequena pia de água-benta e, nas paredes laterais, dois pequenos nichos escavados na rocha, formando pequenos armários. Ao fundo, um retábulo-mor, constituído por nicho em arco de volta perfeita, aberto num bloco rectangular de cantaria do Cabo Girão.[1]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c Carita, Rui (2001). «Capela da Penha / Capela de Nossa Senhora da Penha de França». Sistema de Informação para o Património Arquitectónico. Consultado em 16 de agosto de 2018 
  2. a b Trindade, Cristina (3 de fevereiro de 2017). «Islamismo». Aprender Madeira. Consultado em 16 de agosto de 2018. uma tradição que atribui a estes escravos [mouros] a escavação de um tufo de pedra mole, na freguesia do Faial, onde funcionaria uma improvisada mesquita, depois descoberta e destruída por Irvão Teixeira. Um descendente deste último, António Teixeira Dória, mandou edificar, nesse mesmo local, quase à laia de exorcismo, a capela de N.ª Sr.ª da Penha de França, que se instituiu em 1680. 
  3. «Património e Cultura». Município de Santana. Consultado em 16 de agosto de 2018 
  4. «Património Edificado». Santana Madeira Biosfera. Consultado em 16 de agosto de 2018 
  5. «Capela de Nossa Senhora da Penha de França». Somos Madeira. Consultado em 16 de agosto de 2018