Carne (curta-metragem)

Disambig grey.svg Nota: Para o filme de 1991, veja Carne (filme).

Carne é um documentário de animação em curta-metragem brasileiro de 2019, escrito e dirigido por Camila Kater. Teve sua estreia mundial na competição de curtas na mostra Pardi di Domani do Festival de Locarno, onde ganhou uma menção especial do Júri Jovem.[1] O filme é uma coprodução entre Brasil e Espanha. Misturando diversas técnicas de animação, o curta retrata o depoimento documentário de cinco mulheres acerca da relação com seus corpos.[2][3]

Carne

2019 •  cor •  12 min 
Direção Camila Kater
Produção Livia Perez
Chelo Loureiro
Roteiro Ana Julia Carvalheiro
Camila Kater
Elenco Helena Ignez
Rachel Patricio
Larissa Rahal
Valquiria Rosa
Raquel Virginia
Gênero
Lançamento 10 de agosto de 2019 (2019-08-10) (Suiça)
Idioma português

O filme foi selecionado e premiado em alguns dos mais importantes festivais de cinema do mundo, entre eles o Festival de Toronto, Festival do Rio, Festival de Brasília, Mostra de Cinema de Tiradentes, Festival de Cinema de Animação de Annecy e outros. O filme foi indicado a um prêmio Goya e foi qualificado para concorrer ao Oscar em 2021.[4][5][6][7]

Referências

  1. «Doctela | Carne». doctela.com.br. Consultado em 15 de abril de 2021 
  2. Panerari, Vanessa (9 de agosto de 2019). «CARNE, documentário animado de Camila Kater, estreia em Locarno». Francamente, querida. Consultado em 15 de abril de 2021 
  3. «Camila Kater fala sobre o curta Carne». Cine Festivais. 6 de setembro de 2019. Consultado em 15 de abril de 2021 
  4. «CARNE: curta-metragem brasileiro é aposta para o Oscar 2021». Revista Glamour. Consultado em 15 de abril de 2021 
  5. «Curta-metragem brasileiro "CARNE" pode ser uma das apostas para Oscar 2021». www.folhape.com.br. Consultado em 15 de abril de 2021 
  6. Agenda, Arte &. «O curta brasileiro "Carne" está qualificado para o Oscar 2021». Correio do Povo. Consultado em 15 de abril de 2021 
  7. «Curta documental de animação da brasileira Camila Kater está qualificado ao Oscar». www.acritica.net. Consultado em 15 de abril de 2021