Carolina Larriera

Carolina Larriera (Bahía Blanca, 13 de fevereiro de 1973) é uma economista argentina. Foi membro da Organização das Nações Unidas de 1995 a 2005 e teve uma união civil com o diplomata brasileiro Sérgio Vieira de Mello.

Carolina Larriera
Nome completo Carolina Larriera
Nascimento 13 de fevereiro de 1973 (48 anos)
Bahía Blanca, Argentina
Nacionalidade argentina
Cônjuge Sérgio Vieira de Mello
Ocupação economista

Formação e atuaçãoEditar

Economista formada na Universidade de Harvard, foi membro do Departamento de Missões de Manutenção da Paz das Nações Unidas, entre os anos de 1995 e 2005.

Carolina ingressou na ONU e trabalhou como voluntária até 1997, quando se formou em economia. Desiludida com o mercado financeiro, ela continuou na organização até ser designada para Timor-Leste, onde atuou no processo de pacificação e independência daquele país até 2003.[1] Lá, ela fez parte da administração do projeto de concessão de microcrédito Small Enterprises Project, do Trust Fund for East Timor (TFET) pelo Banco Mundial.[2][3] Foi durante esse período que ela conheceu o brasileiro Sérgio Vieira de Mello, que atuava como Alto Comissário da ONU no Timor, com quem passou a viver.[4]

Em 2003 ambos foram para Bagdá e, em 19 de agosto, o Hotel Canal, que servia como sede da ONU havia dez anos, foi alvo de um atentado suicida que vitimou 22 pessoas, entre elas, Sérgio. No momento do atentado, ela trabalhava na sua sala no mesmo edifício e a poucos metros da sala de Sérgio, que foi completamente destruída pelo caminhão bomba. Imagens registradas pelas TVs logo após o atentado mostram Carolina desesperada, gritando pelo nome de Sérgio no meio dos escombros. Sérgio ainda conseguiu contactar Carolina e as equipes de resgate por celular, mas faleceu poucas horas depois.[5]

Em 2004 foi eleita "Mulher do Ano" pelo Conselho Nacional da Mulher do Brasil, renunciando da ONU em 2005, fazendo dura crítica a falta de investigações sobre o incidente.[6] Também foi representante na América Latina da ONG suíça DNDi (Iniciativa Medicamentos para Doenças Negligenciadas), chefiando em 2008 o Escritório Regional na América do Sul.[7][8] Foi professora na PUC[7] e do curso de Relações Internacionais do Ibmec-RJ.

Carolina é uma Fellow no Hauser Center da Harvard University e também da Carr Center of Human Rights na Harvard Kennedy School. Mora no Rio de Janeiro, Brasil.

Vida pessoalEditar

Sergio e Carolina tinham uma união civil que durou até a sua morte.[9][10][11][5] O julgamento da união estável civil foi o resultado de um processo ganho por Larriera contra Annie, ex-mulher de Sérgio, seus herdeiros e o Espólio, e foi concedido por um painel de três juízes liderado pela juíza Regina Fábregas da Vara da Família da Comarca da Capital, Poder Judiciário, Rio de Janeiro, Brasil, após um processo de mais de dez anos.[12]

CondecoraçõesEditar

Representações cinematográficasEditar

Ela foi representada pela atriz Ana de Armas na produção cinematográfica Sergio, de 2020.[15][16][17]

Referências

  1. «Uma história de amor». Veja. 10 de setembro de 2003 
  2. Power, Samantha (14 de fevereiro de 2008). Chasing the Flame: One Man's Fight to Save the World (em inglês). [S.l.]: Penguin 
  3. Banco Mundial (17 de abril de 2000). Project Appraisal Document on a Trust Fund for East Timor in the Amount of US$4.85 million to East Timor for a Small Enterprises Project.
  4. «Carolina Larriera, una argentina que sobrevivió». Clarín. 20 de agosto de 2003 
  5. a b Zaidan, Patricia (23 de outubro de 2017). «Carolina Larriera: "Eu me senti humilhada por não ter um papel assinado"». CLAUDIA. Consultado em 27 de abril de 2020 
  6. «Ex-noiva de Sérgio Vieira de Mello critica ONU». Noticiaslusofonas.com. 30 de abril de 2004 
  7. a b Couri, Norma (30 de maio de 2008). «Um herói do Brasil para o mundo». Época 
  8. DNDi (2008). 2007-2008 Annnual Report.
  9. Larriera, Carolina. «Uma voz para as vítimas». PÚBLICO 
  10. «Uma voz para as vítimas». O Globo. 19 de agosto de 2018 
  11. «La batalla que la pareja de comisionado de DDHH le ganó a la ONU». The Clinic (em espanhol). 30 de agosto de 2018 
  12. «Processo 0419880-27.2008.8.19.0001 | Escavador». Escavador. Consultado em 25 de outubro de 2018 
  13. Jornal da República (19 de maio de 2012). I (18).
  14. Unidade de Suporte à Governação Democrática – USGD. Missão Integrada das Nações Unidas em Timor-Leste – UNMIT. (julho de 2012). Relatório Mensal de Governação. O Estado da Governação Democrática em Timor-Leste.
  15. «Conheça Ana de Armas, atriz cubana que será par de Wagner Moura em "Sergio"». Revista Glamour. 8 de fevereiro de 2019. Consultado em 23 de abril de 2020 
  16. Braziliense, Correio; Braziliense, Correio (17 de abril de 2020). «Wagner Moura e Ana de Armas estrelam biografia de Sergio Vieira de Mello» 
  17. Caqui Bandeira (3 Janeiro 2020). «Sergio: Cinebiografia da Netflix estrelada por Wagner Moura ganha nova imagem». Terra 

Ligações externasEditar