Cerâmica Sacoman S/A

A Cerâmica Sacoman S/A foi fundada em 1895 com o nome de Estabelecimento Cerâmico Sacoman Frères, no bairro do Moinho Velho, distrito do Ipiranga, São Paulo. Atualmente, o local onde ficava a indústria, é o bairro do Sacomã.[1]

Cerâmica Sacoman S/A
Atividade Cerâmica
Fundação 1895
Fundador(es) Antoine, Henri e Ernest Sacoman
Encerramento 1956
Sede São Paulo
Produtos Telhas e tijolos



HistóriaEditar

Por volta de 1886, chegaram em São Paulo, provenientes de Marselha, na França, os irmãos Antoine, Henri e Ernest Sacoman. Industriais de larga visão, conhecidos mundialmente pela produção e exportação das telhas Sacoman – Marseille, os três irmãos pretendiam fundar uma empresa no Brasil. Inicialmente se instalaram no bairro da Água Branca e lá ficaram um ano, fazendo experiências com a argila da região, que não se mostrou adequada para o que eles pretendiam. Mudaram-se para Osasco, mas também lá não encontraram a argila adequada.[1]

Em 1891 se associaram aos irmãos italianos Emídio, Panfilio e Bernardino Falchi para fundarem uma olaria na Vila Prudente. Ali encontraram a matéria prima adequada e começaram a produzir as telhas planas, conhecidas como telhas de Marselha, ou telhas francesas.[2]

Em 1893 os irmãos Sacoman se instalaram em um galpão arrendado dos irmãos Falchi, situado onde hoje é a Rua do Manifesto, no Ipiranga, e começaram a fazer experiências com argila extraída nos terrenos do Moinho Velho, nas proximidades da Figueira das Lágrimas. O transporte da argila era feito em carros-de-boi, pela Estrada de Mato Grosso, hoje Rua Silva Bueno.[1]

Satisfeitos com os resultados obtidos com a argila da região, em 1895 eles adquiriram um terreno 10 alqueires no Moinho Velho, e ali fundaram o Estabelecimento Cerâmico Sacoman Frères - Ipiranga.[3]

Pela alta qualidade apresentada, os produtos da Cerâmica Sacoman tiveram grande aceitação no país, rivalizando com os similares importados. Foram utilizados na edificação da Estação da Luz; na construção da Igreja Nossa Senhora da Paz, da Rua do Glicério; no Edifício Sobre as Ondas, do Guarujá; e muitas outras edificações importantes de São Paulo.[3]

Em 1909 a empresa construiu um edifício, proximo à fabrica, que ficou conhecido como "castelinho". O edifício servia como residência da família Sacoman e, ao mesmo tempo, como mostruário dos produtos da indústria.[3]

Em 1921, Antoine Sacoman, o mais velho dos três irmãos, faleceu. Logo depois, em 1923, Henri e Ernest Sacoman venderam a indústria para Américo Samarone e voltaram para a França. A partir de então, a empresa passou a se chamar Cerâmica Sacoman S/A. Em 1939, a área ocupada inicialmente pela fábrica, foi modificada para a construção da Rodovia Anchieta.[3]

Em 1956 a indústria encerrou suas atividades.O local de onde a empresa retirava a argila transformou-se numa grande lagoa, que foi aterrada em 1960. O "castelinho" foi demolido em 1969 e quase nada, na região, lembra a existência dessa indústria, exceto o nome do bairro, Sacomã.[3]


Ver tambémEditar


Referências

  1. a b c Jornal (21 de agosto de 1954). «Os Irmãos Sacoman». Correio da Manhã ed. 18836. Consultado em 20 de dezembro de 2019 
  2. Newton Zadra (2010). Vila Prudente, do bonde a burro ao metrô. [S.l.: s.n.] pp. 66/69 
  3. a b c d e Rafael Saccoman (Supervisão de conteúdo) (16 de dezembro de 2017). «Irmãos Saccoman: Cerâmica Saccoman-Frères e a influência na etmologia do bairro Sacomã». Saccoman - Etimologia. Consultado em 20 de dezembro de 2019 


  Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.