Abrir menu principal
Cerco de Zara
Quarta Cruzada
Siege of Zadar.jpg
Cruzados invadindo os muros de Zara.
Data 10 de novembro[1]24 de novembro de 1202[2]
Local Cidade de Zara (atual Zadar), Croácia
Desfecho A cidade de Zara é capturada e saqueada pelos Cruzados[3][4]
Beligerantes
Cross templars.svg Cruzados europeus
Flag of Most Serene Republic of Venice.svg República de Veneza
Coat of arms of Croatia 1495.svg Reino da Croácia
Coa Hungary Country History Bela III (1172-1196).svg Reino da Hungria
Comandantes
Flag of Most Serene Republic of Venice.svg Enrico Dandolo
Cross templars.svg Bonifácio I
Cross templars.svg Simão IV
Desconhecido
Forças
Cruzados: 10 000 homens[5]
Venezianos: 10 000 homens[5]
  • 210 navios venezianos[6]
Desconhecido
Baixas
Desconhecido Desconhecido (presume-se muito altas)
Sobreviventes fugiram para as cidades de Nin e Biograd

O Cerco de Zara (ou Zadar) (em croata: Opsada Zadra; 10–24 de novembro de 1202) foi o primeiro grande combate travado durante a Quarta Cruzada e foi ainda o primeiro ataque feito por cruzados católicos contra uma cidade também católica.[7]

Em 1198, o Papa Inocêncio III emitiu várias encíclicas papais conclamando os cristãos a retomar a Terra Santa dos muçulmanos. Ao invés do que aconteceu na segunda e terceira cruzadas, o papa planejava exercer maior controle sobre as tropas. O plano era invadir o Egito e depois conquistar o Delta do Nilo, e de lá seguir à Palestina. Inocêncio III negociou com a República de Veneza (uma das principais potências navais da Europa na época) para construção de uma frota de navios. O plano era recrutar também 35 mil combatentes e partir para o destino em abril de 1202. Contudo, problemas acabaram atrasando ou impedindo a chegada de muitos homens e apenas 12 mil cruzados foram reunidos. Quando o apoio vindo de Roma minguou, os cruzados ficaram sem muitos meios para pagar pelas acomodações ou pela viagem para a Terra Santa. Então a liderança política de Veneza propôs que aceitariam a conquista da cidade de Zara (uma cidade cristã na costa da Croácia) como pagamento da dívida.[8]

Zara havia se rebelado contra a República de Veneza em 1183 e desde então estava sob proteção papal e do rei Emérico da Hungria. Muitos cruzados se recusaram a participar da invasão, mas pelo menos 10 mil concordaram e seguiram com as forças venezianas pelo Adriático.[9]

As forças cruzadas iniciaram o cerco a cidade de Zara em 10 de novembro de 1202 e em duas semanas já haviam tomado a região. A notícia de que uma tropa cruzada havia saqueado uma cidade cristã chocou a Europa. O papa Inocêncio III decidiu excomungar todos os participantes do massacre em Zara (incluindo os venezianos). Os cruzados então partiram para Constantinopla, onde travaram mais um cerco dois anos depois.[10]

Referências

  1. Michaud, Joseph François (1882). The History of the Crusades. [S.l.]: A. C. Armstrong and Son. p. 63. Consultado em 9 de novembro de 2013 
  2. Setton, Kenneth M.; Wolff, Robert Lee; Hazard, Harry W. (15 de dezembro de 1969). The Later Crusades, 1189–1311. [S.l.]: University of Wisconsin Press. p. 174. ISBN 9780299048440. Consultado em 10 de novembro de 2013 
  3. Sethre, Janet (2003). The souls of Venice. [S.l.: s.n.] pp. 54–55. ISBN 0-7864-1573-8 
  4. Queller, Donald E.; Madden, Thomas F. (1999). The Fourth Crusade: The Conquest of Constantinople. [S.l.]: University of Pennsylvania Press. Consultado em 20 de abril de 2016 
  5. a b J. Phillips, The Fourth Crusade and the Sack of Constantinople, 269
  6. J. Phillips, The Fourth Crusade and the Sack of Constantinople, 106
  7. "Fourth Crusade". Historynet.com. Página acessada em 21 de abril de 2016.
  8. Wolff, R. L. (1969). «V: The Fourth Crusade». In: Hazard, H. W. The later Crusades, 1189–1311. [S.l.]: University of Wisconsin Press. p. 162. Consultado em 20 de abril de 2016 
  9. Sethre, Janet (2003). The souls of Venice. ISBN 0-7864-1573-8.
  10. «Fourth Crusade». Weider History Group. Consultado em 20 de abril de 2016