Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde março de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Chispita
Marcellina (IT)
Chispita (BR)
Logo da telenovela.
Informação geral
Também conhecido(a) como Marcellina (Itália)
Formato Telenovela
Gênero
Duração 45 minutos
Estado Finalizada
Criador(es) Lucía Carmen
Baseado em Andrea Celeste de Abel Santa Cruz
País de origem México
Idioma original (em castelhano)
Produção
Diretor(es) Pedro Damián
Produtor(es) Valentín Pimstein
Câmera Multicâmera
Elenco Lucero
Enrique Lizalde
Angélica Aragón
Usi Velasco
(ver mais)
Tema de abertura México «Chispita» por Timbiriche
Brasil «Anjo Bom» por Sarah Regina e a Turminha Levada da Breca
Tema de encerramento México «Chispita» por Timbiriche
Brasil «Anjo Bom» por Sarah Regina e a Turminha Levada da Breca
Empresa(s) de produção Televisa
Exibição
Emissora de televisão original México Las Estrellas
Brasil SBT
Formato de exibição 480i (SDTV)
Formato de áudio Estéreo
Transmissão original 15 de novembro de 198219 de agosto de 1983
N.º de temporadas 1
N.º de episódios 200
Cronologia
Programas relacionados Andrea Celeste (1979)
Luz Clarita (1996)

Chispita é uma telenovela mexicana infantil produzida por Valentín Pimstein, e foi exibida no Las Estrellas entre 15 de novembro de 1982 e 19 de agosto de 1983, em 200 capítulos, sucedendo Déjame vivir e antecedendo Un solo corazón.

A história é uma adaptação da telenovela argentina Andrea Celeste, obra original de Abel Santa Cruz e produzida em 1979.

Foi protagonizada por Lucero, além das participações estrelares de Angélica Aragón e Enrique Lizalde e antagonizada por Renata Flores.

SinopseEditar

Esta novela conta a história de Isabel (Lucero), uma menina muito carinhosa, carismática e que possuí uma energia muito peculiar, pelo que todos a chamam Chispita. Ela vive em um colégio de freiras, junto com a sua avó, que trabalha como cozinheira lá. Infelizmente, a avó de Isabel morre sem lhe revelar que ela não é orfã, o que a menina havia acreditado ser até esse momento, já que a sua mãe vive em algum lugar do México.

Pouco depois da morte da avó de Isabel, a diretora do orfanato decide contratar uma nova cozinheira, e é que chega Lúcia (Angélica Aragón), uma doce e enigmática mulher, que não é mais que a verdadeira mãe de Chispita, que vive com amnésia devido ao acidente de automóvel onde seu marido faleceu. Ela, junto com Lola (Beatriz Moreno) e a irmã Socorro (Elsa Cárdenas), se tornam as melhores amigas da menina.

Enquanto isso, em outro local da cidade, a Lili (Usi Velasco), a filha mais nova do viúvo Alexandre de la Mora (Enrique Lizalde), sofre com problemas de comportamento desde a morte de sua mãe. Estes problemas pioram devido às ideias que Irene (Renata Flores), a tutora malvada da menina, coloca na sua cabeça. Ele também tem outro filho, João Carlos (Leonardo Daniel), um jovem bondoso e de bons sentimentos, que namora com Olga (Roxana Chávez), uma moça caprichosa e orgulhosa, que é filha de Pilar (Inés Morales), a noiva de Alexandre. Apesar disso, Glória (Alma Delfina), uma empregada da casa e sobrinha de Flora (Aurora Clavel), a cozinheira, é apaixonada por João Carlos.

Através do Padre Eugênio (Gastón Tuset), amigo e guia espiritual de Alexandre e seus filhos, Chispita chega ao lar dessa família, pois ele pensava que se Lili pudesse mudar sua atitude com a ajuda de Isabel, o que não acontece, visto que Lili, seguindo os concelhos de Irene, humilha e despreza Isabel. Os demais moradores da casa a aceitam, em especial Flora e Glória, com quem ela divide o quarto, e nasce uma amizade entre elas. Ao descobrir que Glória ama João Carlos, a menina faz ele ver a beleza da Glória, e ele começa a se apaixonar por ela, mas Irene faz de tudo para humilhar Glória.

Mesmo com uma nova vida, Chispita sonha em encontrar sua mãe, e pede ao Padre Eugênio que encontre sua mãe, o que é muito complicado pois não se sabe nada sobre a mãe de Isabel.

Enquanto isso, Alexandre conhece Lúcia, e entre eles nasce uma atração imediata entre eles, e ele começa a visitá-la diariamente. Ao perceber da situação, Pilar procura Lúcia e a humilha, dizendo que a mulher é muito pouca coisa para alguém como Alexandre. Além disso, José (Manuel López Ochoa), que entrega fruta no colégio, fica com ciúmes de Alexandre e Lúcia, visto que está apaixonado por ela.

Alexandre, ao perceber que ama Lúcia, decide pedi-la em casamento antes de se separar de Pilar, que sofre um acidente de automóvel, e aproveita para fingir uma invalidez e obrigar Alexandre a se casar com ela o mais rápido possível. Lúcia, ao descobrir do casamento, se afasta do colégio e vai morar com sua amiga Cristina, e Pilar aproveita isso para criar intrigas, e diz que ela fugiu com um amante.

A busca do Padre Eugênio dá resultados ao encontrar Bertha (Hilda Aguirre), a tia de Isabel, que tenta levar a menina a morar com ela, mas sem sucesso, mesmo com o carinho que elas têm. Por sua vez, Isabel se afasta da família de la Mora, pois Irene a acusa de roubar o amor de Alexandre e Lili e de ser uma mal-agradecida. Ela consegue fugir de casa com a ajuda de José. Após o sumiço, a menina diz ao padre que está na casa de um amigo, o que preocupa todos no colégio e na casa de Alexandre.

Entretanto, Lúcia começa a se lembrar de seu passado pouco a pouco, e relembra a capela onde batizou sua filha. José revela o paradeiro de Isabel, que volta para a casa de Alexandre, deixando todos felizes, inclusive Lili, que começa a ignorar Irene e a sentir afeto por Chispita. Alexandre descobre o paradeiro de Lúcia, que está prestes a se casar com José, e ambos têm planos de adotar Isabel.

Uma amiga de Pilar, a fim de se vingar, conta a Alexandre que a sua invalidez é fingida, e logo após ele termina o seu compromisso. Ele tenta falar com Lúcia, mas é inútil, pois ela vai se casar com José, que por sua vez começa a desconfiar que Isabel é a filha de Lúcia, e decide investigar.

Durante o casamento de Lola, que se casa com Rogério (Samuel Molina), motorista de Alexandre, a tia de Chispita encontra Lúcia, e diz a todos que Maria Luísa (o verdadeiro nome de Lúcia) estava ali perto. José termina com Lúcia, pois percebe o amor que ela sente por Alexandre. Entretanto, Lúcia recupera a memória, e confirma que Isabel é sua filha com a ajuda de Bertha.

Alexandre confirma que Isabel e Lúcia são mãe e filha, e elas acabam se reencontrando. Depois deste belo encontro, Alexandre pede Lúcia em casamento, e ela aceita. Enquanto isso, João Carlos termina com Olga, e pede Glória em casamento, que imediatamente aceita. Irene pede perdão a Chispita e a Glória por todo o mal que fez, e Lili está feliz pois terá uma nova mãe e uma irmã.

Alexandre e Lúcia fazem um casamento duplo, junto com João Carlos e Glória, e são abençoados pelo Padre Eugênio. Agora, Chispita finalmente tem a mãe e a família que sempre desejou.

ElencoEditar

Exibição no BrasilEditar

Foi exibida pelo SBT pela primeira vez entre 12 de março a 3 de novembro de 1984, em 202 capítulos, substituindo O Direito de Nascer e sendo substituída por Jerônimo, às 18h00.

Foi reprisada pela primeira vez entre 4 de março a 27 de setembro de 1985.

Foi reprisada pela segunda vez entre 4 de agosto a 23 de novembro de 1992 substituindo Vovô e Eu.

Foi reprisada pela terceira vez entre 24 de junho e 28 de setembro de 1996, ao meio dia, substituindo Carrossel das Américas e sendo substituída por Vovô e eu.

Também foi exibida pela CNT entre 2 de junho e 31 de outubro de 1997, em 117 capítulos, substituindo a reprise de Alcançar uma Estrela.

Trilha sonoraEditar

 Ver artigo principal: Chispita (álbum)

CuriosidadesEditar

  • Quando a novela foi exibida pela primeira vez, o sucesso foi estrondoso, ao ponto de que a emissora passava os capítulos a conta-gotas. Tanto que Chispita, mesmo sendo uma novela curta, ficou no ar de março a novembro de 1984, sendo exibida em dois horários. O desempenho da trama surpreendeu a própria Lucero, que confessou numa entrevista a Augusto Liberato, no Viva a Noite, em 1986 não imaginar que Chispita no Brasil teria a mesma repercussão no México. Já em 1992, a novela ficou no ar durante quatro meses, do início de agosto ao final de novembro, mas com exibição de uma hora.
  • A abertura original da novela é um plágio da abertura de Pai Herói, novela de Janete Clair, exibida pela Rede Globo em 1979. Nas duas aberturas, era feita a montagem de um quebra-cabeça, cuja gravura era uma criança em um bosque. Ao final, sempre faltava a peça que representa o pai ou a mãe. Havia ainda, nos dois casos, créditos em ângulos.
  • A Folha fez uma comparação política entre o programa de Paulo Maluf para as eleições gerais de 1989 e a novela, dizendo que ambas primavam baixo nível técnico.[1]
  • A trama deve duas dublagens. A primeira foi realizada pelo estúdio Maga, mas a dublagem se perdeu em uma enchente que ocorreu no SBT em 1991. A partir da reprise de 1992, a trama foi exibida com uma nova dublagem, feita pela Herbert Richers.[2]
  • Durante a sua exibição na CNT, a novela sofreu uma mudança de horário enorme, visto que estreou às 17h, mas a partir do dia 18 de julho a trama começou a ser exibida às 8 horas da manhã.

Prêmios e IndicaçõesEditar

Prêmio TVyNovelas 1983Editar

Categoria Nomeada Resultado
Melhor atriz infantil Lucero Ganhadora

Outras versõesEditar

ReferênciasEditar

  1. «Comparação». São Paulo. Folha: Política, A-4. 18 de setembro de 1989. Consultado em 24 de maio de 2015 
  2. http://www.infantv.com.br. «InfanTv - A Máquina do Tempo rumo à sua infância». Consultado em 3 de outubro de 2019 

Ligações externasEditar