Christian Mayer

Christian Mayer (Modřice, Morávia, 20 de agosto de 1719Mannheim, 16 de abril de 1783) foi um astrônomo jesuíta moraviano-alemão.

Christian Mayer
Nascimento 20 de agosto de 1719
Modřice
Morte 16 de abril de 1783 (63 anos)
Heidelberg
Cidadania Alemanha
Ocupação astrônomo, físico, matemático
Prêmios
Empregador Universidade de Heidelberg
Religião catolicismo

VidaEditar

Nasceu em Modřice (em alemão: Mederitz), Morávia. Foi educado em grego, latim, matemática, filosofia e teologia, mas o local de sua formação não é conhecido. Com vinte e poucos anos de idade decidiu tornar-se um jesuíta, um caminho que o levou a deixar sua casa devido à desaprovação de seu pai. Entrou na Companhia de Jesus em Mannheim em 1745. Depois de completar seu treinamento começou a ensinar humanidades.

 
Mannheim e vizinhança, Charta Palatina de Christian Mayer, circa 1775
 
Observatório de Mannheim

Em 1752 sua reputação era tal que foi selecionado como professor de matemática e física em Heidelberg. Nessa idade, porém, havia desenvolvido um forte interesse em astronomia. Foi nomeado astrônomo da corte em Mannheim, e foi encarregado de selecionar os instrumentos para os novos observatórios em Schwetzingen e Mannheim. Com estes concluídos, foi capaz de prosseguir seus estudos astronômicos e publicou diversas obras. Em 1769 foi convidado para viajar para São Petersburgo para observar o trânsito de Vênus, o que fez junto com Anders Johan Lexell. Em 1773 a ordem dos jesuítas foi dissolvida pelo Papa Clemente XIV e, consequentemente, ele foi removido como astrônomo da corte. No entanto ele ainda era capaz de continuar suas observações e estudos astronômicos. Foi eleito em dezembro de 1765 fellow da Royal Society.

É mais conhecido por ser pioneiro no estudo de estrelas binárias, embora seu equipamento não tenha sido adequado para distinguir entre binárias verdadeiras e alinhamentos de estrelas coincidentes. Em 1777-1778 compilou um catálogo de 80 estrelas duplas, publicado em 1781.

ObrasEditar

  • Pantometrum Pacechianum, seu instrumentum novum pro elicienda ex una statione distantia loci inaccessi, 1762, Mannheim.
  • Basis Palatina, 1763, Mannheim.
  • Expositio de transitu Veneris, 1769, St. Petersburg.
  • Nouvelle méthode pour lever en peu de temps et à peu de frais une carte générale et exacte de toute la Russie, 1770, St. Petersburg.
  • Gründliche Vertheidigung neuer Beobachtungen von Fixsterntrabanten welche zu Mannheim auf der kurfürstl. Sternwarte endecket worden sind, 1778, Mannheim.
  • De novis in coelo sidereo phaenomenis in miris stellarum fixarum comitibus, 1779, Mannheim

Ver tambémEditar

HonrariasEditar

  • A cratera C. Mayer na Lua é denominada em sua memória.

Referências

Ligações externasEditar