Matemático

pessoa que se dedica ao estudo da matemática
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o profissional da matemática. Para o criminoso brasileiro, veja Márcio Matemático.

Um matemático é alguém que usa um amplo conhecimento de matemática em seu trabalho, normalmente para resolver problemas matemáticos. Os matemáticos se preocupam com números, dados, quantidade, estrutura, espaço, modelos e mudanças.[1]

Arquimedes foi um dos maiores matemáticos da antiguidade.

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da matemática

AtividadesEditar

 
Emmy Noether, teórica matemática e professora

Matemática AplicadaEditar

 Ver artigo principal: matemática aplicada

Os matemáticos envolvidos na solução de problemas com aplicações na vida real são chamados de matemáticos aplicados. Matemáticos aplicados são cientistas matemáticos que, com seu conhecimento especializado e metodologia profissional, abordam muitos dos problemas imponentes apresentados em campos científicos relacionados. Com foco profissional em uma ampla variedade de problemas, sistemas teóricos e construções localizadas, os matemáticos aplicados trabalham regularmente no estudo e formulação de modelos matemáticos. Matemáticos e matemáticos aplicados são considerados duas das carreiras STEM (ciência, tecnologia, engenharia e matemática).

A disciplina de matemática aplicada se preocupa com métodos matemáticos que são normalmente usados ​​em ciências, engenharia, negócios e indústria; assim, "matemática aplicada" é uma ciência matemática com conhecimento especializado. O termo "matemática aplicada" também descreve a especialidade profissional em que os matemáticos trabalham em problemas, muitas vezes concretos, mas às vezes abstratos. Como profissionais focados na resolução de problemas, os matemáticos aplicados examinam a formulação, o estudo e o uso de modelos matemáticos em ciências, engenharia, negócios e outras áreas da prática matemática.

Matemática puraEditar

 Ver artigo principal: matemática pura

Matemática pura é a matemática que estuda conceitos inteiramente abstratos. Do século XVIII em diante, esta foi uma categoria reconhecida de atividade matemática, às vezes caracterizada como matemática especulativa,[2] e em desacordo com a tendência de atender às necessidades de navegação, astronomia, física, economia, engenharia e outras aplicações.

Outra visão perspicaz apresentada é que a matemática pura não é necessariamente matemática aplicada: é possível estudar entidades abstratas com respeito à sua natureza intrínseca, e não se preocupar com como elas se manifestam no mundo real.[3] Mesmo que os pontos de vista puros e aplicados sejam posições filosóficas distintas, na prática há muita sobreposição na atividade de matemáticos puros e aplicados.

Para desenvolver modelos precisos para descrever o mundo real, muitos matemáticos aplicados baseiam-se em ferramentas e técnicas que muitas vezes são consideradas matemática "pura". Por outro lado, muitos matemáticos puros recorrem a fenômenos naturais e sociais como inspiração para suas pesquisas abstratas.

Ensino de matemáticaEditar

Muitos matemáticos profissionais também se dedicam ao ensino da matemática. Os deveres podem incluir:

  • ensino de cursos universitários de matemática;
  • supervisionar pesquisas de graduação e pós-graduação; e
  • servindo em comitês acadêmicos.

ConsultoriaEditar

Muitas carreiras em matemática fora das universidades envolvem consultoria. Por exemplo, os atuários reúnem e analisam dados para estimar a probabilidade e o custo provável da ocorrência de um evento, como morte, doença, lesão, invalidez ou perda de propriedade. Os atuários também tratam de questões financeiras, incluindo aquelas envolvendo o nível de contribuições previdenciárias necessárias para produzir uma determinada renda de aposentadoria e a maneira pela qual uma empresa deve investir recursos para maximizar seu retorno sobre os investimentos à luz do risco potencial. Usando seu amplo conhecimento, os atuários ajudam a projetar e precificar apólices de seguro, planos de pensão e outras estratégias financeiras de uma maneira que ajudará a garantir que os planos sejam mantidos em uma base financeira sólida.

Como outro exemplo, as finanças matemáticas derivarão e estenderão os modelos matemáticos ou numéricos sem necessariamente estabelecer um vínculo com a teoria financeira, tomando como entrada os preços de mercado observados. É necessária consistência matemática, não compatibilidade com a teoria econômica. Assim, por exemplo, enquanto um economista financeiro pode estudar as razões estruturais pelas quais uma empresa pode ter um determinado preço de ação, um matemático financeiro pode tomar o preço da ação como um dado e tentar usar o cálculo estocástico para obter o valor correspondente dos derivados de as ações.

PrêmiosEditar

Não há Prêmio Nobel em matemática, apesar de que alguns matemáticos ganharam o Prêmio Nobel em uma área diferente, como economia. Entre os prêmios de destaque em matemática estão o Prêmio Abel, a Medalha Chern, a Medalha Fields, o Prêmio Gauss, o Prêmio Nemmers, o Prêmio Balzan, o Prêmio Crafoord, o Prêmio Shaw, o Prêmio Steele, o Prêmio Wolf, o Prêmio Schock, e o Prêmio Nevanlinna.

Citações sobre matemáticosEditar

A seguir estão citações sobre matemáticos ou por matemáticos.

Um matemático é um dispositivo para transformar café em teoremas.
—Atribuído a Alfréd Rényi[4] e Paul Erdős.
Die Mathematiker sind eine Art Franzosen; redet man mit ihnen, so übersetzen sie es em ihre Sprache, und dann ist es alsobald ganz etwas anderes. (Os matemáticos são [como] uma espécie de franceses; se você falar com eles, eles traduzem para a sua própria língua e, então, é imediatamente algo completamente diferente.)
- Johann Wolfgang von Goethe[5]
Cada geração tem seus poucos grandes matemáticos... e a pesquisa [dos outros] não prejudica ninguém.
- Alfred W. Adler (~ 1930), "Mathematics and Creativity"[6]
Em suma, eu nunca encontrei o mero matemático que pudesse ser confiável com raízes iguais, ou alguém que não o sustentasse clandestinamente como um ponto de sua fé que x ao quadrado + px era absoluta e incondicionalmente igual a q. Diga a um desses senhores, a título de experiência, por favor, que você acredita que podem ocorrer ocasiões em que x ao quadrado + px não é totalmente igual a q, e, tendo-o feito entender o que você quer dizer, saia do seu alcance como tão rápido quanto for conveniente, pois, sem dúvida, ele se empenhará em derrubá-lo.
- Edgar Allan Poe, A carta roubada
Um matemático, como um pintor ou poeta, é um criador de padrões. Se seus padrões são mais permanentes do que os deles, é porque são feitos de ideias.
- G.H. Hardy, A Mathematician's Apology
Alguns de vocês podem ter conhecido matemáticos e se perguntado como eles ficaram assim.
- Tom Lehrer
É impossível ser matemático sem ser poeta de alma.
- Sofia Kovalevskaya
Existem duas maneiras de fazer boa matemática. O primeiro é ser mais inteligente do que todo mundo. A segunda maneira é ser mais estúpido do que todo mundo - mas persistente.
- Raoul Bott
A matemática é a rainha das ciências e a aritmética a rainha da matemática.
- Carl Friedrich Gauss[7]

Referências

  1. «Thinking About a STEM Career: Read This!» (em inglês). The Learning Curve. Consultado em 10 de maio de 2013. Arquivado do original em 6 de julho de 2014 
  2. See for example titles of works by Thomas Simpson from the mid-18th century: Essays on Several Curious and Useful Subjects in Speculative and Mixed Mathematicks, Miscellaneous Tracts on Some Curious and Very Interesting Subjects in Mechanics, Physical Astronomy and Speculative Mathematics.Chisholm, Hugh, ed. (1911). "Simpson, Thomas" . Encyclopædia Britannica. 25 (11th ed.). Cambridge University Press. p. 135
  3. «Wayback Machine» (PDF). web.archive.org. 3 de março de 2016. Consultado em 23 de março de 2021 
  4. «Biography of Alfréd Rényi» (em inglês). History.mcs.st-andrews.ac.uk. Consultado em 17 de agosto de 2012 
  5. Maximen und Reflexionen, Sechste Abtheilung cited in Moritz, Robert Edouard (1958) [1914], On Mathematics / A Collection of Witty, Profound, Amusing Passages about Mathematics and Mathematicians, Dover, p. 123, ISBN 0-486-20489-8
  6. Alfred Adler, "Mathematics and Creativity," The New Yorker, 1972, reprinted in Timothy Ferris, ed., The World Treasury of Physics, Astronomy, and Mathematics, Back Bay Books, reprint, June 30, 1993, p, 435
  7. Sartorius von Waltershausen: Gauss zum Gedachtniss. (Leipzig, 1856), p. 79 cited in Moritz, Robert Edouard (1958) [1914], On Mathematics / A Collection of Witty, Profound, Amusing Passages about Mathematics and Mathematicians, Dover, p. 271, ISBN 0-486-20489-8

Ver tambémEditar