Ciaxares

Ciaxares (em grego clássico: Κυαξάρης; em persa antigo: 𐎢𐎺𐎧𐏁𐎫𐎼 Uvaxštra;[2][3] avéstico: Huxšaθra "Bom governante"; acádio: Umakištar;[4] Língua frígia: ksuwaksaros;[5] r. 625–585 a.C.) foi rei do Império Medo entre 625 e 585 a.C., sendo filho e sucessor de Fraortes, pai e antecessor de Astíages. Segundo Jerônimo de Estridão, ele foi o sétimo rei dos Medos, sucedendo a Fraortes, reinando de 630 a.C. a 598 a.C. e sendo sucedido por Astíages.[6]

Ciaxares
Rei da Média
Provavelmente um relevo que representa Ciaxares em Quizicapã.
Reinado 625 - 585 a.C.
Antecessor(a) Fraortes
Sucessor(a) Astíages
Dinastia meda
Nascimento século VII a.C.
  Ecbátana
Morte 585 a.C.
Enterro Siromedia (atual Qyzqapan), de acordo com Igor Diakonoff[1]
Ocupação Soberano
Filho(s) Astíages, Amitis
Pai Fraortes

BiografiaEditar

Ciaxares, foi o grande reformador e centralizador do poder no reino medo, que lentamente tinha crescido até junto das fronteiras Este do Império Neoassírio.

Destroçou as invasões citas, em aliança com o novo monarca da Babilônia, Nabopolassar, e ambos iniciaram um forte campanha contra o Império da Assíria, que rapidamente foi destruído logo que a sua capital Nínive foi conquistada em 612 a.C. (622 a.C. ou 609 a.C., segundo Jerônimo de Estridão[6])

Reorganizou e modernizou o exército medo o que lhe deu maior poder e facilidade de entrevir dentro e fora do reino.

Esse novo poder também facilitou a aliança com a Babilônia que foi formalizada com o casamento da filha de Ciaxares com o filho de Nabopolassar, Nabucodonosor II, este o rei que construiu os Jardins suspensos da Babilônia como um presente para a sua esposa meda, que sentia falta do terreno montanhoso onde havia nascido.

Aliados estes novos aliados venceram o Império Assírio e destruíram Nínive, em 612 a.C. Após esta vitória, os medos conquistaram a Mesopotâmia setentrional, a Armênia e partes da Ásia Menor a leste do rio Hális, que era a fronteira estabelecida com o reino da Lídia.

A partir desse momento, Ciaxares consolidou o seu reino e transformou o Império Medo numa nova potência emergente no Próximo Oriente. Reformou o exército medo segundo o modelo assírio e babilônico. Reforçou também a administração e o protocolo com a corte de Ecbátana a capital do reino medo.

Empreendeu uma guerra de expansão em direção da Anatólia, chocando assim com o reino da Lídia, com quem manteve uma guerra de altos e baixos, sem grandes vitórias e que o levou a assinar um tratado de paz depois da famosa Batalha do Eclipse em 585 a.C.

Pouco depois deste acordou morreu, deixando a seu filho Astíages um reino bem estruturado. Astíages foi o último rei da sua linhagem por via direta paterna.

Um neto de Astíages, Ciro II, O Grande, revolucionou o mundo político do Médio Oriente e do Próximo Oriente, ao sublevar-se contra o seu avô e fundar o Império Persa Aquemênida.

Ver tambémEditar

Caixa de sucessão baseada em Jerônimo de Estridão:

Precedido por
Fraortes
Rei da Média
630 a 598 a.C.
Sucedido por
Astíages

Referências

  1. Gershevitch, Ilya (1984). The Cambridge history of Iran: The Median and Achaemenian periods. [S.l.: s.n.] ISBN 9780521200912 
  2. Akbarzadeh, D.; A. Yahyanezhad (2006). The Behistun Inscriptions (Old Persian Texts) (em persa). [S.l.]: Khaneye-Farhikhtagan-e Honarhaye Sonati. 87 páginas. ISBN 964-8499-05-5 
  3. Kent, Ronald Grubb (1384 AP). Old Persian: Grammar, Text, Glossary (em persa). [S.l.: s.n.] 406 páginas. ISBN 964-421-045-X  Verifique data em: |data= (ajuda)
  4. «Cyaxares - Livius». www.livius.org. Consultado em 9 de fevereiro de 2021 
  5. Diakonoff 1993, pp. 478-479.
  6. a b Jerônimo de Estridão, Chronicon
  Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.