Abrir menu principal
Out of date clock icon.svg
Este artigo ou seção pode conter informações desatualizadas. Se sabe algo sobre o tema abordado, edite a página e inclua informações mais recentes, citando fontes fiáveis e independentes.
Emblem-scales.svg
A neutralidade deste artigo ou se(c)ção foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Ficheiro:Pernambuco Arena.jpg
Arena Pernambuco, principal empreendimento da Cidade da Copa para os jogos da Copa do Mundo de Futebol de 2014.

A Cidade da Copa deveria ser um empreendimento urbanístico a ser desenvolvido na Região Oeste da Região Metropolitana do Recife, na cidade de São Lourenço da Mata. O conceito estava centrado na ideia de cidade inteligente, onde o projeto proporcionaria um equilíbrio entre o desenvolvimento urbano e a preservação dos recursos naturais.

Esta deveria ser a primeira cidade inteligente do Brasil, o seu espaço urbano de mais de 240 hectares estaria localizado às margens do Rio Capibaribe, a Arena Pernambuco, palco de jogos da Copa das Confederações de 2013 e Copa do Mundo FIFA de 2014, sendo o principal empreendimento do local, que contaria ainda com Shopping Centers, Estação de Trem Metropolitano, faixas para ciclistas, centros de convenção, áreas residenciais, universidades, parques etc. A sua construção estaria a cargo da empresa multinacional Odebrecht.

Índice

LocalizaçãoEditar

Metrô, VLT, e TU do Recife

Legenda:

Laranja (Metrô) 
         
 Verde (VLT)
Vermelha (Metrô) 
         
 Cinza (VLT)
Azul (Metrô) 
         
 Marrom (trem)

Diagrama:

 
         
 Recife
 
         
 Joana Bezerra
Afogados 
 
 
 
 
 
 Largo da Paz
Ipiranga 
         
 Imbiribeira
Mangueira 
         
 Antônio Falcão
Santa Luzia 
         
 Shopping
Edgar Werneck 
         
 Tancredo Neves
Barro 
         
 Aeroporto
Tejipió 
         
 Porta Larga
Coqueiral 
         
 M.te Guararapes
Cavaleiro 
 
 
     
 Prazeres
Alto do Céu 
 
         
 Cajueiro Seco
 
     
 
 
 
 
 
Marcos Freire 
               
 Ângelo de Souza
Jorge Lins 
               
 Pontezinha
 
 
 
 
 
 
     
 P.te Carvalhos
Curado 
             
 Santo Inácio
Rodoviária 
         
 Cabo
Cosme e Damião 
 
 
       
 Floriano
Cidade da Copa 
 
 
     
 Engenho Velho
Camaragibe 
         
 Jaboatão
Fontes:

Situada no município de São Lourenço da Mata, zona Oeste da Região Metropolitana do Recife - RMR, a Cidade da Copa estaria projetada para ficar bem nos limites do Recife, de Camaragibe e de Jaboatão dos Guararapes. São 19 km até o Marco Zero e o Aeroporto Internacional do Recife. Para conectar a região à capital, o Governo de Pernambuco investiu mais de R$ 1,5 bilhão em obras com a construção do Terminal Integrado e da estação de metrô Cosme e Damião, da Passarela Aeroporto-Metrô (Estação Aeroporto - bairro: Imbiribeira, Recife), os corredores Norte/Sul e Leste/Oeste da RMR, o Ramal Cidade da Copa, a Via Mangue (via que liga a zona sul do Recife ao centro da cidade), a Duplicação da BR-408 e a Triplicação da BR-232.

Cidade inteligenteEditar

Inteiramente planejada, a Cidade da Copa foi concebida como a primeira cidade inteligente da América Latina. A presença de alta tecnologia iria favorecer a segurança e a sustentabilidade do ambiente através do monitoramento da segurança feito pela central de comando e controle, do gerenciamento de energia e da adoção de sistemas integrados, o que tornaria todos os serviços mais eficientes. O projeto também previu um eficiente sistema de mobilidade. Toda a área foi planejada para ser percorrida a pé ou de bicicleta, de sua região central aos diversos setores, em menos de cinco minutos.

SustentabilidadeEditar

Localizada às margens do Rio Capibaribe, a Cidade da Copa teria o aproveitamento dos recursos naturais como um dos destaques do projeto. Quase metade do terreno seria reservada para grandes parques públicos, espaços abertos e verdes, somando uma área aproximada de 20 parques da Jaqueira, o principal do Recife. Como cidade sustentável, o sistema de mobilidade também incentivaria o uso do transporte público e alternativo com faixas dedicadas para pedestres e ciclistas.

EquipamentosEditar

Com vigilância monitorada por uma central de comando e controle, parques em todas as vizinhanças e espaços abertos e confortáveis para aproveitar a natureza, a área ofertaria uma nova forma de viver, um conceito novo de estilo de vida (way of life). O espaço seria dividido em quatro pilares: moradia, trabalho, educação e entretenimento. Na parte residencial, seriam quase 4.500 unidades residenciais de diversos padrões, inseridas em um modelo de sistema integrado de mobilidade, segurança, uso eficiente de energia, água e gás. Também haveria espaço para escritórios, hotéis, centro de convenções, campus universitário, escolas e diversão.

EntretenimentoEditar

No centro da Cidade da Copa estaria um grande complexo de entretenimento. Além da arena multiuso, o projeto previu uma arena indoor com capacidade para 10 mil pessoas, cinemas, teatros, shopping, bares, restaurantes e a Praça da Celebração, que ligaria a arena da Copa (Arena Pernanbuco) ao centro de diversão.

FasesEditar

Todo o projeto seria feito em etapas. A primeira fase deveria estar pronta até 2014 para aproveitar a visibilidade da Copa do Mundo do Brasil de 2014, com bares, restaurantes, shopping, o primeiro hotel e centro de convenção. Toda a estrutura deveria ser concluída a partir de 2025.

Arena PernambucoEditar

Sisbrace:          [1]
 

A arena, chamada de Arena Pernambuco, foi construída para sediar a Copa do Mundo do Brasil de 2014 em Pernambuco, na região metropolitana do Recife, e que seria o ponto de partida para o desenvolvimento da Cidade da Copa. O estádio foi concluído e tem perfil multiuso, sendo adaptável para jogos de futebol, outras partidas esportivas, grandes espetáculos, feiras e convenções. A capacidade é de 46.000 lugares, distribuídos em 102 camarotes (1.600 assentos), 1.800 assentos business e 2.700 assentos premium. Os torcedores e visitantes também contam com estacionamento com 4.700 vagas, sendo 800 cobertas. Ela está sediando o Clube Nautico Capibaribe e foi construída, como curiosidade, com todas as cadeiras na cor vermelha por ser a cor predominante nos três principais clubes de futebol do Recife: Sport, Santa Cruz e Nautico.

Tecnologia da Arena PernambucoEditar

  • Telões de LED em alta resolução
  • Câmeras especiais com visão panarômica 360º
  • Iluminação e sonorização seguindo padrão internacional

Conforto na ArenaEditar

  • Diversas opções de convivência, como lounges, bares e restaurantes
  • Amplo espaço para circulação
  • 13 escadas rolantes, 8 elevadores e 4 rampas de acesso
  • Múltipla setorização de assentos com mais opções para o público

SegurançaEditar

  • Central de Comando e Controle com monitoramento do estádio e entorno
  • Dispersão do público em apenas 8 minutos
  • Agentes de segurança em todos os setores do estádio, garantindo o bem estar do público

Projeto abandonadoEditar

O empreendimento da Cidade da Copa em Pernambuco foi abandonado devido ao alto custo do projeto e a falta de viabilidade pois ele ficaria numa região da cidade muito distante do mar, das praias e de difícil acesso aos principais centros urbanos da Região Metropolitana do Recife. Os hoteis e centros de convenções projetados seriam viáveis apenas durante a realização dos jogos da Copa de 2014, mas não teria demanda de clientes para a região pois os turistas que visitam Pernambuco preferem ficar em hotéis no litoral (o local é uma área rural da cidade de São Lourenço da Mata). As residências que seriam construídas no loteamento sofreriam o mesmo "desgaste" dos hotéis pois a preferência é a compra de terrenos em áreas mais urbanas ou próximas às praias.

Apenas o estádio da Arena Pernambuco foi concluído, bem como as estações do metrô e do SEI - Sistema Estrutural e Integrado, que é o sistema de integração entre o metrô e o ônibus que sai da estação Cosme e Damião e vai até a Arena Pernambuco.

Referências e fontes de pesquisaEditar

Referências

  1. «Classificação de estádios de futebol (Sisbrace)». Ministério dos Esportes. 25 de fevereiro de 2017 
  2. «Cópia arquivada». Consultado em 19 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 3 de abril de 2012 
  3. «Cópia arquivada». Consultado em 19 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 21 de agosto de 2014 
  4. «Cópia arquivada». Consultado em 27 de dezembro de 2011. Arquivado do original em 5 de janeiro de 2012