Citosina

composto químico
Citosina
Alerta sobre risco à saúde
Cytosine chemical structure.png
Cytosine-3D-balls.png Cytosine-3D-vdW.png
Nome IUPAC 4-aminopyrimidin-2(1H)-one
Outros nomes 4-amino-1H-pyrimidine-2-one
Identificadores
Número CAS 71-30-7
PubChem 597
MeSH Cytosine
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular C4H5N3O
Massa molar 111.10 g/mol
Ponto de fusão

320–25 °C (decomp)

Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Citosina é um composto químico de fórmula C4H5N3O.[1] É uma das quatro bases nitrogenadas encontradas no DNA e RNA, juntamente com adenina, guanina e timina (uracil no RNA). É um derivado de pirimidina, com um anel aromático heterocíclico e dois substituintes ligados (um grupo amina na posição 4 e um grupo ceto na posição 2. O nucleosídeo da citosina é citidina. No emparelhamento de base Watson-Crick, ele forma três ligações de hidrogênio com guanina.

HistóriaEditar

A citosina foi descoberta e nomeada por Albrecht Kossel e Albert Neumann em 1894, quando foi hidrolisada a partir de tecidos do timo de bezerros.[2] Uma estrutura foi proposta em 1903 e foi sintetizada (e, portanto, confirmada) no laboratório no mesmo ano.

Em 1998, a citosina foi usada em uma demonstração inicial do processamento de informações quânticas quando os pesquisadores da Universidade de Oxford implementaram o algoritmo Deutsch-Jozsa em um computador quântico de ressonância magnética nuclear de dois bits (NMRQC).[3]

Reações químicasEditar

A citosina pode ser encontrada como parte do DNA, como parte do RNA ou como parte de um nucleotídeo e forma par C-G com a guanina através de três ligações de hidrogênio.

 
par citosina-guanina

Como trifosfato de citidina (CTP), pode atuar como um cofator para as enzimas e pode transferir um fosfato para converter o difosfato de adenosina (ADP) em trifosfato de adenosina (ATP). A citosina também pode ser metilada em 5-metilcitosina por uma enzima chamada DNA metiltransferase ou ser metilada e hidroxilada para produzir 5-hidroximetilcitosina.

A citosina é instável e sofre desaminação espontânea, formando uracil. Essa reação pode levar a uma mutação pontual se não for reparada pelas enzimas de reparo do DNA, como a uracil glicosilase, que cliva um uracil no DNA.

Referências

  1. Ives, Sumner; Stein, Jess (1967-02). «The Random House Dictionary of the English Language, the Unabridged Edition». The English Journal. 56 (2). 302 páginas. ISSN 0013-8274. doi:10.2307/811703  Verifique data em: |data= (ajuda)
  2. Kossel, A.; Steudel, H. (1903-01). «Weitere Untersuchungen über das Cytosin.». Hoppe-Seyler´s Zeitschrift für physiologische Chemie (em inglês). 38 (1-2): 49–59. ISSN 0018-4888. doi:10.1515/bchm2.1903.38.1-2.49  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Jones, J. A.; Mosca, M. (1998-08). «Implementation of a quantum algorithm on a nuclear magnetic resonance quantum computer». The Journal of Chemical Physics. 109 (5): 1648–1653. ISSN 0021-9606. doi:10.1063/1.476739  Verifique data em: |data= (ajuda)
  Este artigo sobre Bioquímica é um esboço relacionado ao Projeto Química. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.