Clarice Piovesan

actriz brasileira

Clarice Jacy Piovesan (São Paulo, 6 de julho de 1945) é uma atriz e modelo brasileira. Ganhou notoriedade através do personagem Kika, do quadro no programa humorístico exibido pela Rede Globo Planeta dos Homens chamado Kika e Xuxu ao lado do seu então marido Stênio Garcia. O quadro se transformou em seriado, exibido todos os dias no horário das 17h, durante os meses de março a junho de 1978.

Clarice Piovesan
Nome completo Clarice Jacy Piovesan
Nascimento 6 de julho de 1945 (75 anos)
São Paulo, SP
Nacionalidade brasileira
Ocupação Atriz
Cônjuge Stênio Garcia (c. 1968–83)
Filho(s) Cássia Faro
Gaya Faro

CarreiraEditar

Começou na Rede Globo de Televisão, em 1976, no programa que fez muito sucesso Planeta dos Homens. Depois, passou a fazer: Kika e Xuxu[1], um quadro que teve inicio no Planeta dos Homens[2] e contava história de um casal, que em março de 1978 se tornou uma série[3], era um quadro cômico, com programetes de 10 minutos, e de aparição diária. Nessa série interpretava Kika e atuava ao lado do então marido Stênio Garcia. E. Depois ela fez a novela Feijão Maravilha[4], em 1979. Fez Mandrake, em 1983 e em 1990 fez La Mamma, uma minissérie com Dercy Gonçalves, sendo esse seu último trabalho na televisão.

No cinema a atriz fez os filmes O Segredo da Múmia[5], em 1982; As Três Mortes de Solano,[6] em 1978. O Esquadrão da Morte, em 1975; Vozes do Medo em 1972 e O Pornógrafo [7], em 1970.

Vida PessoalEditar

Entre 1969 e 1983 Clarice foi casada com o ator Stênio Garcia, juntos tiveram duas filhas Cássia e Gaya Faro. Em 1990 a atriz abandonou a carreira e atualmente mora na Holanda.

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem
1976 Planeta dos Homens Gibinha
1978 Kika e Xuxu Kika
1979 Feijão Maravilha Marilyn Meyer
1983 Mandrake
1990 La Mamma Fantasiota

CinemaEditar

Ano Título Personagem
1970 O Pornógrafo Amante de Miguel
1972 Vozes do Medo
1976 O Esquadrão da Morte Sônia
1977 As Três Mortes de Solano Clara[8]
1982 O Segredo da Múmia Gilda [9]

TeatroEditar

Ano Título Peronagem
1969/1970 Rito do Amor Selvagem
1972 Um Edifício Chamado 200

Referências