Abrir menu principal

História do filmeEditar

O filme foi um projeto coordenado por Roberto Santos, quando era professor de cinema no Curso de Comunicação da ECA/USP. Vários dos diretores eram seus alunos e ex-alunos, como Aloysio Raulino, Plácido de Campos Júnior e Roman Stulbach.

O filme teve sua produção facilitada devido à ligação de Santos com César Mêmolo Junior, um dos sócios-proprietários da Lynxfilm, produtora de comerciais e de animação de grande porte na época. Ruy Perotti, diretor de um dos segmentos, era outro dos sócios-proprietários da empresa.

O filme foi censurado, tendo dois episódios cortados para exibição. Somente foi liberado em 1974, com a posse do presidente Ernesto Geisel.

SinopseEditar

O nome Vozes do Medo deve-se ao fato do filme tratar, em vários episódios, sobre constrangimento, negação, impossibilidade e apatia. Não há uma história, apenas fatos os quais constituem uma hístória, representada usando-se as diversas linguagens do cinema.

São doze episódios, realizados por 12 diretores, que abrangem desde o cinema-verdade até a ficção, desenho animado e realismo fantástico, e uma infinidade de outras tendências e manifestações.

EpisódiosEditar

Roberto SantosEditar

  • A Feira do Medo
  • Piá Não Sofre? Sofre!
  • Caminhos
  • Retrato de Um Jovem Brigador
  • Pantomina das 3 Forças

Maurice CapovillaEditar

  • Loucura

Aloysio RaulinoEditar

  • A Santa Ceia

PrêmiosEditar

  • Prêmio Governador do Estado, 1975 - Melhor Filme

Ligações externasEditar