Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2013). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O Clube Alemão em Lisboa (de: Deutscher Verein in Lissabon[1]) foi fundado no dia 17 de Dezembro de 1870 com o objectivo de fomentar a vida social e cultural na comunidade alemã de Lisboa.

História do ClubeEditar

A presença alemã em Portugal remonta à fundação da nacionalidade, nomeadamente na participação de cruzados alemães na reconquista.

Já nos séculos XIV e XV destaca-se o numeroso grupo de astrónomos e navegadores, como Martin Behaim ou Fernão de Ulm, bem como tipógrafos e encadernadores, que se instalaram em Portugal. O mais célebre de todos, Valentim Fernandes, oriundo da Morávia, obteve privilégios de impressão a partir de 1495. Nos séculos seguintes muitos alemães desempenharam altos cargos em Portugal, nomeadamente no campo militar, comercial e artístico. Destacam-se, pois, personagens como o Conde de Lippe ou João Frederico Ludovice.

Em 1822, no bairro de Campo de Ourique, em Lisboa, foi inaugurado o cemitério alemão. Durante séculos os alemães foram sepultados nesta cidade, entre outros locais no Mosteiro de S. Vicente de Fora e na Igreja de S. Julião.

Em 1848 surge a Escola Alemã de Lisboa e em 1855 o Colégio Alemão do Porto. Neste século muitas empresas alemãs instalaram-se em Portugal, como foi o caso da Siemens (1876) e da Sociedade Zickermann (1895).

Como resultado da nova conjuntura internacional, da qual resultou uma estreita relação entre as autoridades alemãs e portuguesas, o Clube foi palco de grandes eventos e festas memoráveis. Destaca-se o banquete oferecido a dirigentes da Juventude Hitleriana em visita a Lisboa, o qual contou com a presença de António Carneiro Pacheco, Francisco Nobre Guedes, Oswald von Hoyningen-Huene (Botschafter in Lissabon), Hartmann Lauterbacher (Gauleiter von Süd-Hannover-Braunschweig), Friedhelm Burbach (Auslandskomissar der NSDAP für Spanien und Portugal), Werner Lamann (director dos serviços de intercâmbio com a Mocidade Portuguesa), entre outras personalidades. Durante esta visita foi agendada a presença de Baldur von Schirach no acampamento da Mocidade Portuguesa de 28 de Maio de 1938, visita que não se chegou a realizar.

Neste período áureo o Clube adquiriu uma quinta em Carcavelos onde se instalou um jardim infantil e os primeiros dois anos do ciclo primário para servir as crianças germanófonas que viviam entre Cascais e Lisboa.

A partir de 1942 a aproximação de Portugal às potências aliadas provocou novas tensões no Clube, que foi obrigado a interromper as suas actividades. As instalações e o terreno na Rua do Passadiço foram confiscados e posteriormente cedidas a um clube desportivo português pela Comissão Controladora das Forças Aliadas.

Restou ao Presidente do Clube Alemão, Hans Wimmer, retirar e salvar o arquivo do Clube, os seus livros de actas e outros documentos de grande valor. Infelizmente acabou por desaparecer todo o arquivo em 1945, tal como todo o inventário restante do Clube, a sua vasta biblioteca, que contava com milhares de títulos, bem como a invejável colecção de material cinematográfico e de discos em vinilo.

A expropriação e entrega de toda a fortuna do Clube a uma sociedade fiduciária, levada a cabo pelo Governo português em conformidade com os Acordos de Bretton Woods, abalou profundamente a comunidade alemã instalada em Lisboa.

A história recente do clube é mostrada em seu site.[2]

 
Lisboa

Legados e Embaixadores da Alemanha em Lisboa[3] (Membros Honorários do Clube na maioria dos casos)Editar

Referências

  1. Deutscher Verein in Lissabon. Website do Clube Alemão em Lisboa. Consultado em 1 de maio de 2018.
  2. A História do Clube. Website do Clube Alemão em Lisboa. Consultado em 1 de maio de 2018.
  3. Liste der deutschen Botschafter in Portugal. Wikipedia. Consultado em 1 de maio de 2018.