Cneu Servílio Cepião (cônsul em 169 a.C.)

Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Cneu Servílio Cepião.

Cneu Servílio Cepião (em latim: Cneus Servilius Caepio) foi um político da gente Servília da República Romana eleito cônsul em 169 a.C. com Quinto Márcio Filipo. Era filho de Cneu Servílio Cepião,[1] cônsul em 203 a.C. e teve três filhos: Cneu Servílio Cepião, cônsul em 141 a.C., Quinto Servílio Cepião, cônsul em 140 a.C., e Quinto Fábio Máximo Serviliano, que foi adotado pela gente Fábia e cônsul em 142 a.C..[2]

Cneu Servílio Cepião
Cônsul da República Romana
Consulado 169 a.C.

Primeiros anosEditar

Foi edil curul em 179 a.C. e celebrou jogos mais de uma vez por conta de diversos prodígios excepcionais.[3][1] Foi pretor da Hispânia Ulterior entre 175 e 174 a.C..[4] Depois de voltar à Itália, foi um dos embaixadores enviados ao Reino da Macedônia em 172 a.C. para denunciar a aliança na corte do rei Perseu.[5]

Consulado (169 a.C.)Editar

Foi eleito cônsul em 169 a.C. com Quinto Márcio Filipo e recebeu a Itália como província enquanto Filipo assumiu o comando da guerra na Macedônia.[6]

Árvore genealógicaEditar

Ver tambémEditar

Cônsul da República Romana
 
Precedido por:
'Aulo Hostílio Mancino

com Aulo Atílio Serrano

Quinto Márcio Filipo II
169 a.C.

com Cneu Servílio Cepião

Sucedido por:
'Lúcio Emílio Paulo Macedônico II

com Caio Licínio Crasso


Referências

  1. a b Lívio, Ab Urbe Condita XLI 26.
  2. Cícero Brut. 20; de Senect. 5.
  3. Lívio, Ab Urbe Condita XL 59.
  4. Lívio, Ab Urbe Condita XLI 26.
  5. Lívio, Ab Urbe Condita XLII 25.
  6. Lívio, Ab Urbe Condita XLIII 13, 14, 17.

BibliografiaEditar

Fontes primáriasEditar

Fontes secundáriasEditar