Coave
História
Fundação
Quadro profissional
Tipo
País
Organização
Website

O Clube de Observadores de Aves do Vale Europeu - COAVE é uma OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), fundada em 2002, em Blumenau-SC, com o objetivo de promover a prática da atividade de observação de aves na região, oferecendo gratuitamente palestras sobre educação ambiental para escolas da região, atividades de campo aos interessados na prática, e também visando o desenvolvimento do potencial turístico que a atividade possui.

Logomarca do COAVE 2009

Finalidades do COAVEEditar

São finalidades do Clube de Observadores de Aves do Vale Europeu - COAVE:[1]

    • Desenvolver atividade ambiental;
    • Promover o voluntariado;
    • Desenvolver um sistema complementar e alternativo de sustentabilidade ambiental;
    • Estimular e promover ações que visem o desenvolvimento do turismo sustentável, a partir dos objetivos do Clube, como uma atividade turística;
    • Desenvolver modelo de sustentabilidade ambiental integrada a turismo de observação;
    • Organizar atividades como: treinamentos, cursos, seminários, feiras e eventos;
    • Congregar pessoas interessadas em ornitologia e matérias correlatas, por meio de intercâmbio de ideias e de cooperação mútua;
    • Estimular e promover a realização de estudos ornitológicos, criando as condições materiais e humanas necessárias para sua execução e divulgação de seus resultados;
    • Constituir-se como entidade ativa frente às questões relativas à conservação da natureza em geral e da avifauna em particular, apoiando e aliando-se a outras entidades ornitológicas e conservacionistas;
    • Estimular junto à sociedade civil o interesse pela ornitologia, bem como pela conservação da natureza em geral e da avifauna em particular.

História do COAVEEditar

O Clube de Observadores de Aves do Vale Europeu - COAVE foi fundado no ano de 2002, através de uma parceria entre o curso de Turismo da Associação Educacional Leonardo da Vinci (ASSELVI), hoje Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi), e a Organização Regional de Turismo - ORT, entidades movidas pela prática do ecoturismo na região. Nesse processo de implantação, dois registros merecem destaque: na concepção do projeto, a orientação e o estímulo da Organização Regional de Turismo – ORT foram fatores decisivos para dar rumo e talhar o tipo de organização a ser moldada; e, também, todo o apoio institucional da Uniasselvi, que propiciou os meios para a criação, implantação e operacionalização da nova entidade.

Aos pioneiros, inicialmente integrantes do curso de Turismo, juntaram-se professores e funcionários da Uniasselvi e outras pessoas da comunidade que participaram de um curso básico de observação de aves, promovido pelo Cemavi, sob a coordenação do biólogo gaúcho Márcio Efe, no Parque Ecológico Spitzkopf, criando, assim, o ambiente fértil para que a ideia inicial prosperasse. A partir desse momento foi fundamental a presença, em todos os instantes, da direção da Uniasselvi. Surgiu então, o Clube de Observadores de Aves do Vale Europeu - COAVE.[2]

Dentre as atividades do Clube, possuidor do status de OSCIP podemos citar: atividades em campo para observação de aves, cursos voltados ao trade turístico, palestras gratuitas nas escolas da região, projetos de Educação Ambiental em geral. Para oferecer um embasamento teórico e também uma maneira de dar continuidade no aprendizado do tema, o COAVE editou, em 2004, um guia de aves da região, auxiliando de forma inovadora o desenvolvimento da atividade e alcançando juntamente com seus associados mais um dos seus objetivos.[2]

Nos anos de 2007 e 2008, o COAVE trabalhou em parceria com o Centro Universitário Leonardo da Vinci – Uniasselvi na execução do serviço de observação da composição e dinâmica das aves nos municípios do Aproveitamento Hidrelétrico (AHE) – Salto Pilão. O serviço fez parte do programa de Apoio ao Ecoturismo desenvolvido pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci – Uniasselvi para o Consórcio Empresarial Salto Pilão – CESAP, e colaborou com levantamento de áreas próprias para a prática da atividade e a capacitação de agentes das comunidades de Apiúna, Ibirama, Lontras e Presidente Getúlio, para a prática da atividade e condução de grupos de observadores de aves.[3]

Já no ano de 2009, realizou duas importantes Consultas Populares, que elegeram "Aves Símbolos Ambientais" nos municípios catarinenses de Indaial e Brusque; no mesmo ano, desenvolveu ainda diversas atividades, principalmente direcionadas à Educação Ambiental nas escolas. Os resultados de 2009 não poderiam ser melhores: ao todo, os envolvidos nas atividades do clube somam, neste momento, aproximadamente 42.000 pessoas.[4]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Site do COAVE: www.coave.org.br
  2. a b BECKHAUSER, Lorival. MOHR, Maicon. TAFNER, Marlon Jackson. Guia de Observação de Aves do Vale Europeu. Indaial – SC: Ed. ASSELVI.
  3. Relatórios de desenvolvimento do Programa de Apoio ao Ecoturismo, desenvolvido pela Uniasselvi, para o Consórcio Empresarial Salto Pilão - CESAP.
  4. Balestra - Jornal do Grupo Uniasselvi, edições diversas de 2009.

Ligações externasEditar