Cogovita

Cogovita (em armênio: Կոգովիտ, Kogovit (lit. "Vale do Cogo"); Կոգոեւիտ/Կոջաեւիտ, Kogoyovit/Kogayovit) ou Gogovita (em armênio: Գոգովիտ, Gogovit; em georgiano: გოგოვიტი; romaniz.: Gokoviti) foi um cantão na província histórica de Airarate, na Armênia. Tinha 2 460 quilômetros quadrados.[1] Como parte dessa província, era uma das terras sob controle direto da casa reinante.[2] Nela estavam situadas Bagauna, Arcapa, Arsacavano e a fortaleza de Terua.[3] Em 371, Meruzanes I Arcruni, um indivíduo pró-Império Sassânida, foi perseguido pelas tropas lealistas de Simbácio II Bagratuni em suas zonas úmidas.[4][5]

Armênia em 150. Airarate situa-se mais ao centro

Com a divisão da Armênia em 387, Cogovita ficou na porção da Armênia sob controle do Império Sassânida. Cyril Toumanoff sugeriu que desde o século IV a família Bagratuni já poderia controlar Cogovita.[6] Em 591, quando o Cosroes II (r. 590–628) e o imperador Maurício I (r. 582–602) redividiram o país, foi transferida à porção da Armênia sob controle do Império Bizantino. No século VII, aparece como um apanágio da dinastia Bagratuni.[7] Entre 772 e 890, a família Arcruni alargou seus domínios e tomou Cogovita.[8]

Referências

  1. Hewsen 1992, p. 302; 218, nota 296.
  2. Hewsen 1992, p. 309.
  3. Hewsen 1992, p. 218, nota 296.
  4. Grousset 1947, p. 146.
  5. Toumanoff 1990, p. 122.
  6. Toumanoff 1963, p. 202.
  7. Hewsen 1992, p. 212.
  8. Toumanoff 1963, p. 200.

BibliografiaEditar

  • Grousset, René (1947). História da Armênia das origens à 1071. Paris: Payot 
  • Hewsen, Robert H. (1992). The Geography of Ananias of Širak. The Long and Short Recensions. Introduction, Translation and Commentary. Wiesbaden: Dr. Ludwig Reichert Verlag 
  • Toumanoff, Cyril (1990). Les dynasties de la Caucasie chrétienne de l'Antiquité jusqu'au xixe siècle: Tables généalogiques et chronologiques. Roma: Edizioni Aquila 
  • Toumanoff, Cyril (1963). Studies in Christian Caucasian History. Washington: Georgetown University Press